Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2007

NÓGADOS

Os nógados são o requinte na doçaria do Natal de Elvas.

Tendem-se como “grossos e longos cordões de oiro” – ensinavam as velhas às novas que lhes herdavam o saber.

Vão-se estendendo sobre brancos panais.

Fritam-se depois como meadas que se escorrem em grandes passadores.

Partem-se à mão em pequenos troços que misturados com mel de abelhas, em ponto de rebuçado, se arrumam em barras sobre a pedra da mesa, tendo o cuidado de molhar as mãos em água fria para evitar escaldões.

 

6 Ovos bem batidos com uma colher de azeite frio;

A farinha que embeber para tender 500g de mel.

 

Maria José Rijo

@@@

Colecção de Gastronomia Doces

estou:

publicado por Maria José Rijo às 20:56
| comentar | Favorito
partilhar
7 comentários:
De Dolores Maria a 13 de Dezembro de 2007 às 00:58
Hummmmmmmmm
Que bom...
Que coisa gostosa....
Nunca os provei mas acho que iria gostar
de provar... qualquer dia.
Esta é uma colecção estupenda.
Parabéns Dona Maria José realmente tem aqui
uma belissima ideia, uns postais muito bonitos,
as fotos uma delicia e as receitas com o seu
toque especial ( na escrita).
Gosto imenso.
Beizinhos Tia

DO LO RES


De Amilcar Martins a 13 de Dezembro de 2007 às 00:59
Muito boa esta colecção.
Os meus Parabéns.
As fotos Lindissimas.

Com admiração

Amilcar Martins


De Ernesto da Costa a 13 de Dezembro de 2007 às 01:05
Hoje lembrei-me de vir ver o seu blog.
Perdoe-me a ausencia - mas ao voltar...
é enorme a saudade que sentia ... destes
seus textos gostosos.

Adorei a forma como fala do Natal - estas suas
reminiscências são lindas.
Emocionei-me com os textos do Natal.

Os meus Parabéns por me fazer recuar
(no tempo) da minha infância,
A minha avó Mariana tinha também um
lindo menino Jesus que ela fazia as roupinhas
e vestia, conforme a liturgia - eu tinha umas
meinhas que ela fizera para o menino Jesus
igual as que tinha feito aos netos.
Era uma delicia ver que nós, meninos,
também tinhamos umas meias iguais às Dele.

Belos tempos.
Grato por me fazer recordar as minhas
recordações de infância.

Grato

Ernesto Costa


De Dina a 13 de Dezembro de 2007 às 23:56
Para quem não gosta de mel: (como eu!)
Substituir o mel por calda de ameixa comprada nas fábricas de ameixas de Elvas que ainda resistem.
A minha ex-sogra fazia-os assim e eram uma delícia.
Ai estou com água na boca...
Beijinhos!!


De Dolores Maria a 14 de Dezembro de 2007 às 01:54
Tem razão Dina estes docinhos
só nos fazem crecer água na boca.
Parabéns para o seu blog.
Gosto (também) de passar por lá,
mas aqui é como "se fosse a minha casa".
Beizinhos

DO LO RES


De Dina a 18 de Dezembro de 2007 às 01:32
Obrigado pela visita, é sempre bem vinda mas numa coisa tenho que lhe dar razão...aqui está-se sempre muito bem.
Um beijinho e feliz natal!


De vanda santos a 22 de Dezembro de 2009 às 13:43
ola a todos eu ja provei e vou faze los este ano pois minha familia e toda do alentejo minha avo fazia os muito bem e ela me ensinou infelizmente e o primeiro ano k ja nao passa o natal e triste mas vou fazer td o k me ensinou td tradicinal do alentejo e tudo delicioso obrigada por colocar esta receita aqui um bom natal pa todos


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@