Quinta-feira, 27 de Dezembro de 2007

BROÍNHAS

Ingredientes:

-- 6 ovos

-- 500g de açúcar

-- 250g de banha

-- 1kg de farinha

-- Raspas de limão

 

Modo de Fazer:

Junte tudo, amasse e ligue bem.

Tenda pequenas bolas.

Com as asas da tesoura enfeite-as.

Os desenhos lembrarão pássaros a voar.

                                               Maria José Rijo

@@@@@

Colecção de Gastronomia - Doces

estou:

publicado por Maria José Rijo às 15:54
| comentar | Favorito
partilhar
7 comentários:
De Dolores Maria a 27 de Dezembro de 2007 às 22:58
Esta colecção é muito bonita.
Tem aqui uma colecção muito gostosa,
de fotos optimas.

Só tenho que lhe deixar um beijinho de
Parabéns.

DO LO RES


De carmelinda pereira a 30 de Abril de 2009 às 14:26
Depois de muito procurar a receita das broinhas consegui encontrar, obrigado... faz muito tempo que sai de Elvas, mas não se conseguem esquecer de certos sabores. por isso é bom que estejam divulgadas receitas tão boas como as nossas.

maria jose rijo! o nome é muito familiar, mas não consigo chegar lá.


De maria rosário fonseca luis a 18 de Maio de 2011 às 23:55

Há dias assim.Senti saudades das broinhas que fazia a minha mãe.Vai daí perguntei a este "bichinho"que tudo sabe. Qual não é o meu espanto quando vejo o nome Maria José Rijo.As saudades aumentaram em turbilhão.Já não eram só as broas...é tudo o que o seu nome me trouxe à memória.Uma senhora com quem convivi em casa do meu irmão,os seus saberes,a sua simpatia,o agrado com que pegava na minha filha,a graciosidade da sua casa,a amizade que a unia ao meu irmão,eu sei lá,eu sei lá!Naveguei pelos seus escritos pelas colecções,vi alguns dos seus bonecos que já conhecia e pela minha terra, pelo meu ALENTEJO.
Obrigada pela receita das broas,mas creio que vou sonhar com coisas muito mais saborosa.Beijos




De Maria José a 4 de Junho de 2011 às 20:35
Maria do Rosário - claro que me lembro de tudo quanto evoca e de muito mais...
Lembro a sua Mãe, as suas filhas que eram lindas, a casa de seu Irmão, a amizade de todos vós, o bom convívio, os seus sobrinhos também ainda pequeninos., o seu Irmão a pedir-me poemas para um programa que ele fez na rádio. Batia à porta e com aquele sorriso bonacheirão que o caracterizava dizia: Zézé precisava para o programa de hoje... e eu a refilar: - está maluco!- mas lá ia procurando corresponder.
Lembranças de saudade que me acompanham.
Obrigada por ter aparecido.
Se vier a Elvas bata-me à porta.
Adoraria saber de todos vós.
Um abraço grande - maria José


De Helena Abreu a 23 de Setembro de 2012 às 15:13
Obriada pela receita das broínhas. Ficaram deliciosas. Sou a filha do Álvaro Abreu, lembra-se?
Um abraço
Helena Abreu


De Maria josé a 27 de Setembro de 2012 às 11:16
Maria Helena
Como esquecer? Como?- se é de saudads que eu vivo e hei-de morrer!
Ainda tenho cartas de seu Pai.
Há uma, então onde me manda a lista dos medicamentos todos que tomou ao longo da vida que me deliciou.
Guardo tudo o que me fala de amizade
Saudades
Saudades - um abraço
Maria José


De Maria Helena Abreu a 28 de Setembro de 2012 às 08:11
É mesmo do meu pai, essa ideia de escrever um biografia através dos remédios que foi tomando ao longo da vida! Acontece que olhando para trás agora, com alguma distância, os remédios milagre foram a Estreptomicina e o Rimifon que o salvaram e sacaram do Caramulo (a ele e ao Casimiro). Depois, praticamente não teve mais doenças... a não ser as imaginárias.


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 53 seguidores

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
21
22
23

24
27
28
29
30


.posts recentes

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@