Sexta-feira, 8 de Fevereiro de 2008

Livro das Flores

                                                 

                                                 Todos os dias

                                                  amanhecem

                                                  Crianças

                                                  Pássaros

                                                  Flores !

                                                  Sobre a noite

                                                  das crianças

                                                  Pássaros

                                                  Flores

                                                 que já não amanhecem

                                                  Amanhecerá!

          

                                                  Maria José Rijo

estou:

publicado por Maria José Rijo às 23:57
| comentar | Favorito
partilhar
9 comentários:
De Gustavo Frederich a 9 de Fevereiro de 2008 às 01:20
Este poeminha é a "coisa" mais linda
que eu já li.
Não são apenas palavras que em conjunto
ficam bem e bonitas.
Não.
É um conjunto que tem preocupação, sentido,
vida, história, dor e lágrimas.
É um pequeno espaço, aquele que fica
entre o espaço sol e lua, noite e dia... onde a
vida se move com a sabedoria.
Mexeu comigo, enterneceu-me a alma e o
coração.
Oh Tia - mas isto é LINDO!
Vou memorizar como uma oração.
Obrigado Tia.
Daqui de longe cá vái um beijinho

Gustavo Frederich


De Maria José a 9 de Fevereiro de 2008 às 20:55
Julgo ter percebido que é apreciador de poesia
Recordo-me de já me ter falado no livro "Flores"de que a Paulinha falou.
A Paula, com a sua paciência -rara - juntou tudo o que escrevi sobre flores e fez um livro para ela, outro para mim.
Conclusão: - edição sui generis - dois exemplares .
Fiquei feliz por lhe ter agradado o poeminha.Obrigada.
Hoje, também fiz uma caminhada ao sol, depois visitei uma amiga viuva que vive só e está adoentada e vim ocupar oresto da tarde respondendo aos comentários .
Vivi assim esta boa sensação de vos ter por perto, o que é bom.Beijinhos.
Maria josé


De Gustavo Frederich a 9 de Fevereiro de 2008 às 22:47
Muito boa noite Tia
Acabei de ler os imensos comentários que tem
aqui. É sinal de que o blog é bem recebido e que
os leitores gostam e querem manter contacto
com a escritora (como eu).

Realmente a sua sobrinha teve um Feliz ideia,
o livro das flores. Gostaria pois de conhece-las
todas as flores do seu livro. Pode ser?
---
Com muitos beijinhos para si tia
Gustavo Frederich
-----

Creio que foi o sorriso,
sorriso foi quem abriu a porta.
Era um sorriso com muita luz
lá dentro, apetecia
entrar nele, tirar a roupa, ficar
nu dentro daquele sorriso.
Correr, navegar, morrer
naquele sorriso.



Eugénio de Andrade




De maria josé a 10 de Fevereiro de 2008 às 19:50
ao receber mais esta bela oferta que me fez de um poema de Eugénio de Andrade, lembrei-me que no Natal de 81, me deram de presente um livro autografado desse escritor - Poesia e Prosa -1940*1980 e, apeteceu-me oferecer-lho porque penso que as coisas devem pertencer a quem as aprecia e ama.( um dia falarei dos meus temores...)
Fosse o Frederch meu visinho, e lá estaria eu cheia de roupa até aos olhos - que o frio não tem piedade dos corações antigos, a levar-lho dizendo: guarde-o é uma lembrança minha, por me ter dado,quando eu já nem acreditava possível a ilusão de que eu poderia ter sido o que sempre sonhei ser - sem lá cheger - escritora.
Se me disser - como - lá irá.
Não levará violetas, porque elas , como os sonhos, são efémeras e morrem-nos nas mãos.
Estou-lhe grata, sinceramente grata
Beijinho...maria josé


De Natércia Nogueira a 9 de Fevereiro de 2008 às 11:21
Que lindo!
Este poema é uma maravilha.
Adoro este seu blog.

Parabéns pela sua alma tão bonita
e tão sensivel.

Beijinhos
Natércia Nogueira


De Maria jpsé a 9 de Fevereiro de 2008 às 20:20
sabe Natércia - às vezes nem mostro à Paula,que é a minha sobrinha que faz blog, os meus poemas.
Tenho um certo pudor.
Fiquei feliz com as suas palavras - obrigada.
Beijinhos
Maria josé


De Natércia Nogueira a 10 de Fevereiro de 2008 às 17:46
Boa amiga
sinto-me lisongeada pela abertura de coração.
Não tenha pudor em mostrar os poemas, este
blog é a prova de que tem uma alma grande, a
Senhora que escreve com tanta beleza e clareza
quase como água lavando pedras - mostre e
publique - a sua sobrinha só pode gostar imenso
de si. Este blog é isso - e faz bem em postar tanta
beleza do seu coração.
Todos os que passamos por aqui vêm saciar a sede
de tanta beleza e emoção.

Muito obrigada por me ter dirigido estas palavras.
Fiquei muito contente.
Obrigada.

Natércia N.


De maria josé a 10 de Fevereiro de 2008 às 20:16
Natércia, obrigada e...esta lembrança para si:

Não lamento a minha morte
lamento a morte das lembranças
que trago comigo e não fui capaz de legar

Só quem semeia sonhos - colhe esperança
Não sei em que encruzilhada me perdi de mim.
Digam-me , se me viem por aí

Obrigada.

Maria José


De Poema e flores a 15 de Maio de 2008 às 10:05
Este poema para mim é um momento muito bonito.
Mas não são só os poemas no blog que me atraem, até a barra á esquerda do blog onde podemos ver uma sequência de fotos e pequenos textos, faz-me parar, pensar e apreciar. Obrigada
Rita


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

. OLÁ Dolores

. 2007 - 2017 = 10 º Aniver...

. ENCONTROS DE CIRCUNSTÂNCI...

. Recado para os Sobrinhos ...

. Saudades

. A Feira de São Mateus 201...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@