Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2008

Sabe Deus!

Começava a ter saudades, destes dois dedos de conversa que sempre entretêm o espaço de tempo que se ocupa com uma visita.

Mas, todos sabemos que é assim: - metem-se férias, celebração de tradições, encontros e reencontros que as épocas propiciam e, de repente temos consciência que o tempo passou e deixamos para trás muitas coisas que gostaríamos de ter realizado.

Vá então de tentar recuperar o jeito habitual de viver, que, sabe Deus, muitas vezes se corta a contragosto.

E, por ter começado esta visita a escrever “sabe Deus” qualquer coisa dentro de mim me trouxe à memória o fatalismo do fado que, se, se canta, é porque - muito bem - nos canta.

Mas, quer eu escrevesse esse epíteto ou outro, como:

- Quem sabe! -

Sabe-se lá! – Foi Deus!

         Só Deus Sabe! – É a força do destino!

         Quem viver saberá!... Ou: - contará...

         Está no segredo dos deuses... e por aí fora...

         Não estaria tentando títulos certos para fados incertos, ainda que o pudesse parecer.

Estaria aventando conjecturas – mas, conjecturas de esperança, não de desgraças. Porque vividos que estão os pesadelos porque todos temos passado, está na hora de acreditar que o pior já passou.

Que quando a noite finda, é a madrugada que se lhe segue e traz consigo um novo dia.

Essa é a ordem da Natureza – mesmo sobre o caos.

Confiemos.

A gente sabe que as casas nos centros históricos das nossas cidades, se esboroam como biscoitos molhados no chá quente...

A gente sabe que os utentes de cargos políticos e outros, entram para eles cheios de ambições pessoais e saem cheios de dinheiro...

A gente sabe que aqueles que nos deveriam servir de padrão de referência pela dignidade, honestidade, lealdade, rigor com que exercem os seus altos cargos, se expõem dia a dia na televisão e nos jornais a contar, ou, muito, muito pior, a insinuar as piores coisas uns dos outros, desacreditando-se e desacreditando as suas funções e cargos...

A gente sabe, aprendido a duras penas, o que por aí se diz ou, por aí, se faz...

A gente sabe que chegados a este ponto de degradação só é possível acreditar e aguardar o regresso às origens – o recomeço.

A gente ouve que o traçado tal, foi por ali, e não por acolá ou “acoli”...sempre por torpes razões...

A gente ouve que há planos Directores Municipais que fazem piruetas, derrapagens, travagens e avanços impensáveis para passar com seus cortejos de oferendas às portas dos compadres...

 A gente ouve que não tem havido sobreiral ou quinta que tenha conseguido impedir a caminhada dos gigantes das botas altas, que já no tempo das fadas assustavam os indígenas...

A gente, sabe o que ouve, mas a gente não sabe quem o viu, quem garante e prova o que diz...

A gente não esquece o que ouve, e pensa no que, como um eco, se repete... se propaga e nos ofende.

Mas a gente crê, crê com toda a força da esperança que um dia as coisas podem mudar e, mais do que expor no pelourinho os que prevaricaram, é importante começar a apontar os que cumprem, – que também os há-de haver! - Os que fazem bem, os que são justos e segui-los sem desconfiança.

Porque esses sim! Esses é que nos podem mostrar o caminho se ainda o houver como acreditamos.

Tenho a certeza que é mais consolador saber os nomes dos heróis do que dos ladrões.

Todos sabemos quem foi Ali-Bá-Bá.

Dos ladrões, só se diz: que eram quarenta.

Nomes para quê? - Ainda que sejam milhentos...

Herói não é quem rouba.

Herói – é quem salva o tesouro.

 

                    Maria José Rijo

 

@@@@@

Jornal O Despertador

Nº 226 – 6 de Fevereiro 2008

A Visita

 

estou:

publicado por Maria José Rijo às 20:59
| comentar | Favorito
partilhar
1 comentário:
De Gustavo Frederich a 12 de Fevereiro de 2008 às 22:58
Querida tia
Este texto é excelente, arrebatado, deveras
que gostei.
Muita verdade há nele contida.
Gosto dessa sua forma especial de cantar a vida
e da lucidez imensa que a Senhora tem.
......
Lucidez: palavra feita de sombra e luz, vem
de Lúcifer, que é como os antigos chamavam
o planeta Vênus e também o nome do anjo
caído, rebelde, o bem-amado de Deus, o
Príncipe das Trevas. Lúcifer quer dizer
também luz que de tão forte é capaz de
cegar. Lucidez é portanto uma luz
aterradora e Lúcifer aquele que não
resistiu a tanta lucidez. ...
http://mdemulher.abril.com.br/anamaria/hilda/69928_comentarios.shtml
(palavras de Hilda Lucas)
.....
Incrivel este troço sbre a lucidez , deixo-lhe ai
o portal de entrada para se lhe apetecer
ler o resto do artigo.
Acho-o Lucido.
--------------------------

Muitos beijinhos Tia
Gustavo Frederich


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 55 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Apresentação do Livro de ...

. O Natal e os Poetas - 201...

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@