Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2008

JACINTO

A mesma terra

que gasta

que apodrece

e consome

A mais bela criatura

No mistério do seu ventre

alimenta

cria

liberta

Dum bolbo sem ar nem graça

como um nabo na feura

em milagre

a formosura

do Jacinto

a liliácea bolbosa

de florzinhas gomosas

cheirosas

de toque quente

como um bafo de desejo

como apetites dum beijo

de amor

jamais consentido

que nem a morte venceu

e em cada Primavera

renasce, vive e revive

como na alma refloresce

o que nunca se esqueceu.

 

Maria José Rijo

.

LIVRO DAS FLORES

@@@@@@@

POST - nº 500

@@@@@@@

Fotos do Blog --  http://olhares-meus.blogspot.com/

estou:

publicado por Maria José Rijo às 21:54
| comentar | Favorito
partilhar
8 comentários:
De Dina a 19 de Fevereiro de 2008 às 23:59
Adoro flores...para mim são todas bonitas.
Beijinhos!


De Dolores Maria a 20 de Fevereiro de 2008 às 01:07
Querida Tia
Mas que lindos os seus jacintos.
Estou maravilhada - não só com as fotografias,
mas com o poema.
É tão lindo!!
Oh tia que delicia.
E muitos Parabéns pelos PREMIOS ao blog
e também pelo facto de ser este o post nº 500.
500 Maravilhas escritas pelo seu punho e
sensibilidade.
Obrigada Tia por todos e cada um deles.
Gostamos muito de ler este cantinho.

Dolores e Avelino


De Gustavo Frederich a 20 de Fevereiro de 2008 às 01:27
Li e Reli e voltei a Ler e ainda Li em voz alta...
LINDO
LINDO
LINDO...
Este Jacinto é uma maravilha.
Cada flor que aqui nos deixa para ler, é feito de
uma beleza incalculável. A sua sensibilidade é
um autentico paraiso de beleza, as suas palavras
conseguem comover-me, deliciar-me até não sei
onde.
Estas fotografias estão de uma beleza ...
belos reflexos! belas cores! belíssima foto!
5*****! parabéns

Estou encantado.
Verdadeiramente perplexo pela beleza da sua
criatividade.

Parabéns pelo post número 500 - é notável a
imensidadão de belos textos que conseguiu
juntar e espero poder ler MUITOS MAIS.

Bem haja querida Tia
pela beleza que me oferece todos os dias.

Beijinhos
Gustavo Frederich


De Adalgisa Alexandra a 20 de Fevereiro de 2008 às 01:39
Hoje
vim pelo perfume...
Algo me dizia que seria uma flor...
e não me enganei.
Jacintos.
Adoro Jacintos - a minha avó Gisa - quando
vivia em Trancoso - lá no quintal da casa -( por
onde eu brinquei vezes sem conta - na minha
feliz infância) - habituei-me a ve-los crescer
de todas as cores - nos canteiros.
A minha avó adorava-os e dizia que o perfume
a levava a passear pela meninice dela - e isso
fazia-a emocionar-se - ao ver os canteiros
repletos de tanto perfume.

Também tenho cá no meu Ap - não tenhos
muitos tenhos apenas uma cebolinha que me
dáo esse perfume - que tenho em mim.
Aqui - no seu blog - encontro muitas vezes
pedaços de esperanças, de alegrias, risos
ou até lágrimas - dessas mesmas que tenho
dentro de mim.

É essa faculdade que me faz ler e beber - com
ávido prazer - os seus textos - eles são muito
belos e perfumados .

Parabéns por este Post - que além de ser uma
Beleza é já o 500 - e merece uma taça de
espumante - do melhor - de um francês.

Beijinhos minha Tia.
Vou agora deitar-me .
Paz e alegrias para o seu lindo coração.

Sua sobrinha

Gisa


De Maria José a 23 de Fevereiro de 2008 às 20:44
Gisa,felizes, os que. como nós temos um quintal, onde brincamos em crianças, para recordar.
Felizes os que brincamos com cães e gatos vulgares, sem estirpe e apelidos sonantes como fidalgos de antanho...felizes!
Agora, como na ASAE, é tudo levado a tais requintes de exagero que os cães são, tão puros, tão puros que já não pedem afagos - mordem, matam.
Os gatos que viviam deitados ao sol na pedra quente das lareiras, têm camas sofisticads, comem
enlatados e, se calhar, saltam para cima das mesas e cadeiras assustados até que os donos espantem os ratos...
Eu não sei a sua idade, mas sinto pela saudade na sua escrita que, talvez como eu tenha aprendido um mundo de pequenas coisas que hoje sãoo sustento da nossa alma e, são afinal as grandes coisas que valem a pena .
hoje já estou muito cansada. Já ne sei há quantas horas estou aqui na conversa com os meus amigos e com os meus novos sobrinhos.
Outro dia falaremos mais um pouco se Deus quiser
Afectuosamente um beijo Tia Zé
ratos


De Avelino a 20 de Fevereiro de 2008 às 02:22
Já é muito tarde,
A dolores já dorme, mas eu na minha
insónia vim ler e inibriar-me coma beleza
dos seus Jacintos.

Eu a minha Dolores estamos encantados
com esta sua Maravilha de blog.
Queria comentar-lhe que a sua sobrinha
tem imenso gosto em colocar, este blog
numa autentica catedral da palavra - como
diz e muito bem a minha Dolores.

Muitos Parabéns.
Avelino


De Joaquim Gregório a 20 de Fevereiro de 2008 às 19:54
É muito bonito o seu blog.
Além de ser um jardim - é um blog muito bom,
muito lucido e sensivel.

Parabéns

Joaquim Gregório


De Maria josé a 23 de Fevereiro de 2008 às 20:49
Obrigada pelo sua visita - Joaquim Gregório
é sempre bom alargar o grupo de amigos que nos falam
Obrigada mais uma vez
Maria José


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 53 seguidores

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
21
22
23

24
27
28
29
30


.posts recentes

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@