Quinta-feira, 6 de Março de 2008

POEMA – A LUZ

Lá muito ao longe… está a luz!

Eu já a vi!

E agora…

Procuro o caminho que a Ela conduz…

 

Mas afastai-vos, caridoso intento!

Saí da minha frente,

Gentes que ouvistes meu lamento!

 

Perdoai o meu tom brutal, irado…

… Mas eu não quero fazer o tema copiado!

 

Eu quero ir sozinha!

Consciente dos meus passos!

Ainda que gaste a vida em sofrimento…

Eu quero ir sozinha!...

 

Deixai-me passar!...

Deixai-me enganar e recomeçar…

Deixai-me ficar aos bocados pela estrada,

Deixai-me que procure em direcção errada,

Mas deixai-me ir sozinha!...

 

E se eu morrer antes de alcança-la,

A Luz saberá

Que eu gastei a vida a procurá-la!...

 

 

Maria José Rijo

 

Poema nº V

Pag – 37

I LIVRO DE POEMAS

… E VIM CANTAR

DESENHOS da Autora

estou:
música: Poema - V - ...E Vim cantar...

publicado por Maria José Rijo às 17:33
| comentar | Favorito
partilhar
14 comentários:
De Gustavo Frederich a 6 de Março de 2008 às 20:32
Tia querida
Este poema é como uma oração.
A Luz... é essa mesma Luz que procuro para o
meu equilibrio interior, para o meu entendimento da
vida, desta vida - por vezes , tão estranha e ao
mesmo tempo tão maravilhosa.
......
Eu quero ir sozinha!
Consciente dos meus passos!
Ainda que gaste a vida em sofrimento…
Eu quero ir sozinha!...
.....

Estas palavras assentam em mim como uma
luva.
Eu também quero e preciso fazer esse caminho
sózinho....
Estas palavras é tudo o que eu penso e sinto
só nunca as encontrei em mim - desta forma desenhadas como horizontes de alma.
Oh Tia
Mas cada um dos seus poemas - vão de
encontro a esta minha alma que no embate
com a vida - se amachuca ou encalha nesta
vida belissima - mas que nem sempre
entendo.

----
Mas afastai-vos, caridoso intento!
Saí da minha frente,
Gentes que ouvistes meu lamento!

-----
LINDO
São palavras que se afeiçoam a esta minha
alma que...
Tia querida estou muito comovido.
Vou meditar no seu poema...

Muitos beijinhos

Gustavo Frederich



De maria José a 7 de Março de 2008 às 19:44
Meu sobrinho querido, não sei como agradecer a atenção e o apreço que lhe merecem os poemas da minha juventude.
Nunca pensei que por eles eu viesse a ganhar agora um Amigo tão generoso e atento e, esse, é para mim o maior mérito que lhe estou a encontrar.
Quero-lhe também agradecer o que me contou de si.
Imagina-lo criança gostando de livros, música e de solidão tornou-o tão mais meu conhecido do que possa imaginar.
Eu sei de uma menina que se imaginava a heroina das histórias do Pim, Pam,Pum e vivia pelos cantos
cheia de lapis e papeis fingindo-se de escritora...
Penso que pela vida fora, todos de certa maneira carregamos dentro de nós essas crianças. com esses sonhos, essas dúvidas, essas esperanças e medos.
E, talvez por isso não me seja possível discernir onde acaba o meu sonho de Ser e a realidade do que sou.
Uma coisa porém é inegavel, é a honestidade da
premente interrogação , e, também o desejo de encontrar o caminho.
Que a sua Madrinha, esteja bem e o seu coração mais leve e mais contente.
Gosto muito de si, e, por si e pela sua felicidade, peço a Santo Padre Pio
Um beijinho grande - tia Zé


De Adalgisa Alexandra a 6 de Março de 2008 às 22:23
Minha queridinha Tia
Grata pelas suas preciosas palavras, para com a
dor imensa que devastou o meu coração e alma.
Sei que sabe do que falo... a perda da nossa mãe
é como se o mundo, o nosso mundo, desabasse e
com ele todo o mundo dos afectos caisse por terra.
Estou desolada - como poderá calcular no entanto
estar aqui com a Tia - da-me um certo calor de
alma, um aconchego de coração.
Gosto tanto, tanto dos seus poemas, destas
suas crónicas tão lindas.
Tenho consciencia que ler e estar aqui olhando
através da sua janela me dá paz e dou comigo
a sorrir.

Obrigado Tiazinha
pela consolação de coração que sinto aqui na
sua casa.
Muitos beijinhos

Gisa


De Maria José a 7 de Março de 2008 às 20:21
Gisa
peço-lhe que esteja á vontade e, que, sem rebuço, fale da sua trisrteza sempre que lhe apetecer ,enquanto sentir que isso lhe é necessário e, lhe faz bem.Tem a minha amiga compreensão para a escutar sempre que o deseje.
Muitos dos meus poemas que a Paulinha está a publicar, no fundo, são muito isso : - lamentos, outras vezes, cantos das dores e das alegrias de viver.
Obrigada sempre pela sua querida presença
um beijinho
Tia Zé


De Flor do Cardo a 6 de Março de 2008 às 23:27
Finalmente!
Finalmente minha amiga
Já estou instalado neste mundo novo para mim
e Lindo.
Esta beleza natural encheu o meu coração de
uma alegria - como se em mim a primavera
brotasse neste instante - em que os meus olhos
pousam nesta natureza selvagem.
Estou embriagado com tanta beleza.
Aristeu - o meu menino - ao instalar-me
na sua casa sorriu de alegria por me ter com ele.
Diz que os laços que tinha em Lisboa esvaneceram
- coisas de coração e amores perdidos.
Mas queria contar-lhe Maria José - minha amiga
que neste amplo quarto, de janelas viradas para
um jardim belissimo - onde a flora alegra os
meus olhos - o meu filho me fez uma imensa
surpesa - já que tinha um portatil com acesso
a internet e ai estava o seu blog - descobri que
ele lê com imenso interesse, segue com
curiosidade todas as suas actualizações.
Perguntei se já tinha feito comentários - já que
os comentários são o alimento preferido dos
blogs. e de quem os faz.
Ele respondeu que ainda não mas que os fará.
Perguntei se o lia desde quando - e ele - o que
me deixou feliz - desde o dia em que eu lhe
comentara que encontrara o seu blog - do que
muito me alegrara com essa novidade.

Minha querida amiga - agora estou longe
da nossa Elvas querida - mas terei o seu blog
para ler - o que muito me deixa feliz.
Já não terei os jornais locais - o meu amigo
que me enviava os jornais para Lisboa -
faleceu -.
É como se o meu mundo - de amigos - estivesse
a desintegrar-se - como se cada uma das
pedras que o elevavam - caissem dia a dia, uma
após outra.
É assim o mundo dos velhos - os que vão à nossa
frente vão-nos abrindo a porta do outro lado... ao
mesmo tempo que nos abandonam... para o
resto da caminhada que nos falta viver. Tenho para
mim - que o Brasil será o meu tumulo - só lamento
que o corpo da minha amada esteja a dormir
em Portugal. Mas então... a minha vida está aqui
junto do meu querido Aristeu.

Minha cara amiga - agora que já estou em pouso
firme - e com esta janela aqui defronte dos meus
olhos - já poderei retomar as minhas leituras -
que estão atrasadas.

Um abraço minha amiga
Flor do Cardo


De Maria josé a 7 de Março de 2008 às 12:01
(Ainda bem que voltou.
Ainda bem que está feliz.
Ainda bem que é meu amigo.
Este comentário, melhor dizendo, este desabafo, é para as seis- queridas - visitas habituais deste blog, que quis o acaso se tivessem hoje juntado aqui, neste caminho comum : - a procura da luz;de que todos, cedo ou tarde, um dia, nos apercebemos, ser o nosso rumo.
Lembrei-me, então,de um Amigo,(que também terá conhecido) a quem eu chamava irmão, e foi meu médico durante toda a sua vida.O Dr António Pires Antunes.
Meu marido e eu, tiveramos um acidente de carro, com uns outros amigos. Eu ficara em estado de choque. Ao "acordar"(como depois isso nos faria rir) eu repisava para o Dr.- o que atrapalha, são os corpos, -porque em espírito eu ando sempre de braço dado consigo a passear à sombra das árvores.
O grande, se não o maior privilégio da velhice , é esse: - os corpos já não atrapalham.
Andemos, pois - em espirito,de braço dado, sem constrangimentos,a percorrer o que nos falta do caminho.
Há tanto para contar e recontar que é bom saber que alguém que escutamos, nos pode escutar também.
Estou à janela a seu lado,olhando essas maravilhas e, sabendo que lhe pesa a perda de alguém que estimava , aperto a sua mão
fraternalmente.
Um abraço - Maria josé


De Dina a 7 de Março de 2008 às 00:55
Todos nós de uma maneira ou de outra passamos a vida à procura dessa luz...ou de algo muito parecido.
Um beijinho


De maria José a 7 de Março de 2008 às 20:26
É mesmo verdade e, às vezes, nesses caminhos encontramos amigas queridas como a Dina
Quando vem a Elvas?
Um beijo
maria josé


De Luis carlos Presti a 7 de Março de 2008 às 00:56
Olá Tia
Boa noite, muito boa noite

Hoje resolvi escrever-lhe um comentário. Tenho
lido todas actualizações - todos os dias - mas só
agora deixo uma palavrinha.
Para lhe dizer que estou a ADORAR estes seus
livros de Poemas.
Gosto da sua forma intensa de sentir - Gosto da
profundidade e força dos seus desenhos e
gosto especialmente - porque a vejo com
grandes semelhanças com a minha preferida
Florbela Espanca.
Tenho uma paixão por esta poetisa - penso que
Florbela consegue chegar a muitas almas pelo
seu profundo sentir - e agora vejo e sinto em
si - nestas poesias suas a mesma garra - a mesma
dor e a mesma profundidade de sentimentos.

Parabéns minha Tia
(Gosto de a chamar assim - de sentir que uma
alma imensa como a sua - possa ler e ouvir
as minhas palavras - fico lisongeado - quando
me responde.)

Admiro-a muito.
Beijinhos grandes

Luis carlos Presti


De maria josé a 7 de Março de 2008 às 21:06
Ora viva!
Já tinha pensado marcar-lhe falta.
Mas, vá lá, desta vez, está perdoado, pois quem confessa gostar da poesia de Florbela - não merece castigo, só aplausos.
Também para mim é muio agradável saber que lê o que escrevo e que dessa leitura tira algum prazer.
nunca deverei saber se escrever é gosto ou penitência.
O que sei, é que, quando, o que se escreve, nos traz amigos é certamente um presente do céu que nos dá uma alegria que nunca se agradece demasiado.
E. se em lugar de, só amigos , são sobrinhos
que dizer, senão obrigada'?
Beijinhos
tia Zé


De Dolores Maria a 7 de Março de 2008 às 01:29
Minha querida Tia Zé
Só agora terminámos o terço. Todas as noites
nos reunimos - nós a familia e mais um
punhadinho de gente amiga - dois dias em casa
de cada um do grupo.
É uma convivência amena em torno do Senhor.
A minha sogrinha adora cantar os canticos da
igreja e no fim canta um hino para todos. O
Senhor Padre quer que ela vá cantar no
domingo de Páscoa na igreja - mas ela não quer
diz que tem vergonha.
O meu Avelino tenta que ela se decida em ir,
mas está mesmo sem vontade.
Se eu tivesse a voz que ela ainda tem para
cantar - eu seria uma voz permanente no
coro da igreja. Mas eu , coitadinha de mim
não tenho voz para cantar.

Querida Tia Zé
Este seu poema deixou-me com pele de
galinha, arrepiei-me - essa Luz - a Luz
divina - é a Luz que todos tentamos alcançar
mas a Tia, tão querida, com esta sua forma
tão bonita de falar - está certamente no
caminho - da Luz - dessa Luz que a ilumina
e faz de si a Luz que é nas nossas vidas.
É muito querida na minha vida, este blog
é a minha alegria - este ano que passou foi,
também, na sua companhia.
ADOREI. É LINDO.

Tia Zé querida
Vou-lhe contar uma novidade - que hoje, em
grande alegria me foi revelada ao jantar.
A minha Luisinha está gravida de quase dois meses
e estamos todos MUITO felizes com a boa nova.
Se tudo correr como Deus quer lá para Setembro
... temos bébé...

BEIJINHOS
DO LO RES


De Maria José a 7 de Março de 2008 às 21:47
Começo, com a alma em festa a dar beijinhos de parabens.
A notícia com que a Dolores encerrou o comentário de ontem é maravilhosa.
Às vossas vidas na hora certa vão chegar os netos.Porque ainda são muito novos , se Deus quiser, como a mulher da biblia, ainda poderão embalar os filhos deles.
Fico a acompanhar e a compartilhar a vossa esperança e a vossa alegria.
Parabéns.
Claro que agradeço muito o apreço que demonstram pelas minhas escritas, mas perante notícia tão boa e importante , perante acontecimento tão feliz, a festa hoje é vossa e, eu só posso dar mais abraços e beijinho
Vossa de coração tia Zé



De poetaporkedeusker a 7 de Março de 2008 às 03:55
Mas como é possível que só agora a tenha encontrado?
E a uma hora destas, quase a desmaiar de cansaço, com os olhos a fecharem-se de sono...
Até amanhã.


De poetaporkedeusker a 7 de Março de 2008 às 14:03
Voltei. Vim só espreitar a sua luz. Espreitar pode-se e deve-se. Impôr percursos é que se não pode nem deve...
Por isso vim espreitar a sua luz e volto um pouco mais feliz comigo mesma. Porque as luzes dos outros também nos iluminam...
Obrigada!


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 55 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Apresentação do Livro de ...

. O Natal e os Poetas - 201...

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@