Sábado, 8 de Março de 2008

Poema - Deve ser Bom estar louco

-- Ai, deve ser bom estar louco!

 

Nada fazer como os outros,

Ser espontâneo!

E tampouco

Recear a má figura!...

 

-- Ai, deve ser bom estar louco!

 

Fazer o que dá na gana,

Nada temer, nem ninguém!

Nem bondades, nem castigo,

Que é sempre prémio também!...

 

-- Ai, deve ser bom estar louco!

 

Fazer o que o pensamento

Como deus absoluto

Nos ordena e nos impõe!

Porque ser louco, afinal,

É ser bom e ser brutal,

Mas é sermos nós, finalmente,

Quando da vida e do mundo,

Tudo nos é indiferente…

Quando os últimos preconceitos

Cedem à nossa vontade…

 

-- Ai, deve ser bom estar louco!

Dentro da nossa verdade!!!

 

Maria José Rijo

24 – Abril-1954

 

Poema Nº 8

Pag 49

Desenhos da autora

estou:
música: Livro - I - Poema 8

publicado por Maria José Rijo às 21:43
| comentar | Favorito
partilhar
11 comentários:
De Gustavo Frederich a 8 de Março de 2008 às 23:41
Meu Deus, mas eu adoro os seus poemas.
São todos poemas com muita força, cheios
de energia e profundidade.
Os seus poemas levam-me a pensar imenso,
levam-me por caminhos que procuro sejam
as suas pisadas - nesse caminho que a levou -
na sua juventude - a este caminhos de Luz...
Os seus poemas são todos feitos de Luz - dessa
luz que tem no seu coração , na sua alma...

Beijinhos Tia
Adorei

Gustavo Frederich


De maria José a 9 de Março de 2008 às 18:28
.Meu sobrinho querido -vou ter uma semana um pouco pesada para o meu ritmo presente, onde não acerto o passo por nada, mas tento acertar ao meu passo o que tenho para fazer.
Porém quando se impõem "Vistorias" sejam de saude, como no caso ,sejam lá do que for, invertem-se os termos e toca de aceitar ritmos impostos do exterior sem tir-te nem guar-te.
Não antes, porém de vir aqui deixar um abraço tão, tão grande como o conforto que todas as suas palavras e "companhia" me têm dado.
Tenho alguns exemplares, muito poucos, de livros meus.
Se der o seu endereço por carta, em meu nome, para o Linhas de Elvas, farei que lhes cheguem às mãos, ou, talvez nem valha a pena já que a nossa Paulinha, os está a por on-line.
Um amigo nosso, João Carpinteiro, dono de um Museu de Fotografia com o seu próprio nome, convidou-me para fazer numa sala desse espaço, uma nova exposição. Desta vez seria uma retrospectiva.Chegada que estou àquela idade canónica que até me permite estes delírios - aceitei.
Tenho no entanto que começar a trabalhar porque até aqui, e já não vou mudar, o que não ofereci, fui pendurando nas paredes, de tal jeito que desde os quartos à sala está tudo cheio.
Não sei se é bom ou mau. Juro que não sei. Mas, há uma coisa que garanto: - nada, nada, mesmo, paga as horas de puro prazer em que gastei tintas e pinceis tão feliz como o Frederich quando se deixa levar pelo seu cavalo branco, ao sabor dos ventos.
Deus queira que esta tagarelice o tenha distraído um pouco. Ah! é verdade , não estou doente.
Sou como os carros velhos, precisam de revisão e, alguns acertos, necessáriamente.
Beijinhos - tia Zé


De Luisinha P. a 8 de Março de 2008 às 23:58
Hoje no dia da Mulher - no que resta de dia - deixo-lhe aqui um grande beijinho - e muito especial.
A Senhora é uma Mulher especial cujas capacidades
intelectuais estão acima da média.

A sua prosa e poesia - têm muita força. e eu
gosto muito de vir ler porque me leva a pensar.

Muitos beijinhos e obrigada por ter gostado
da ideia de eu ser mãe.
Beijinhos e (posso chama-la de Tia ?)

Luisinha


De maria josé a 9 de Março de 2008 às 18:52
Luisinha querida, claro que é minha sobrinha! Aliás como poderia ser de outro modo tratada a filha da primeira, e mais assídua leitora do nosso blog?
Sabe que até a minha irmã quando me telefona pergunta: a Dolores tem dado notícias?
Isto acontece porque ela, a Paula e eu fazemos praia na casa que ela tem, há cinquenta anos, no Algarve e, foi no Verão que os comentários de sua Mãe surgiram, estando nós três juntas.
Só tenho que agradecer a paciência com que me tratam e as coisas bonitas que escrevem sobre os meus textos.
O que me vale é já não ter tempo para mudar, senão aí me tornava uma vaidosona insuportável.
Como queria muito agradecer todos os comentários e estou um pouco contra o tempo - peço~lhe que divida esta visita com seus Pais, está bem?
Então por favor conte-lhes que tenho alguns livros, meus, que gostaria de lhes oferecer.Porém para isso teriam que se dar ao trabalho de enviar por carta, em meu nome , o vosso endereço, para o Jornal Linhas de Elvas.
Se, não quiserem ter essa maçada, já sabem que a nossa Paulinha os está a pouco e pouco pondo on-line
Beijinhos para todos da Tia Zé


De Flor do Cardo a 9 de Março de 2008 às 00:01
Mas que Lindo!
Que poema Lindo -no que resta de dia da Mulher.

A minha amiga tem poemas muito lindos.
Cá de longe, um beijinhos especial
pelo dia de Hoje.

Saudações

Flor do Cardo


De Maria josé a 9 de Março de 2008 às 19:04
Não lhe ofereço livros , porque me disse te-los.
Nem me diria o seu nome, já que prefere o anonimato.
Respeitemo-nos como somos mas...
posso perguntar:- eu já o vi?
Conheço-o?- já falámos?
A curiosidade pica ...tanto ou mais do que o cardo.
Obrigada pelas saudações do dia de ontem.
Permita-me retribui-las pelo Filho que tem.
De certo o merece. De certo se merecem.
Deus os proteja.
Beijinhos para ambos Maria José





De Dolores Maria a 9 de Março de 2008 às 00:06
Tiazinha
Já vi que a minha menina veio ler e escreveu
um comentário.
Fico Feliz.
Este poema é muito bonito e gosto IMENSO
dos seus desenhos.
Agora vor rezar mais uma vez o meu terço.
Boa-noite

DO LO RES


De Adalgisa Alexandra a 9 de Março de 2008 às 00:12
Querida Tia
Consegui finalmente entrar na net. Tenho tido
alguns problemas mas finalmente ...

Vim ler este seu belo poema - como os textos
anteriores.
São todos e cada um deles - perfeitos, pensados
e o que muito me impressiona é a sua tremenda
lucidez.

A Senhora Tia - tem uma percepção muito
grande da vida, da beleza da vida e de tudo o
que nela existe.
A Senhora é uma mulher rara - de uma
extrema e sensivel beleza interior.

Gosto imenso do seu blog.
Beijinhos Tia

Gisa


De poetaporkedeusker a 9 de Março de 2008 às 00:23
Magnífico poema. Será que lá no fundo nós, os poetas,
somos um nadinha loucos? É que tanta lucidez pode parecer loucura... dentro da nossa verdade.
Um respeitoso abraço.


De Manuel Beirão a 9 de Março de 2008 às 13:09
Gostei imenso deste seu poema.
Aliás este seu blog é uma Catedral da palavra,
onde a palavra - a portuguesa - no real
significado da lingua - aqui - É RAINHA.

Parabéns D. Maria José pelo belissimo blog
que tem on-line.

Manuel Beirão


De Barbara Fróis a 9 de Março de 2008 às 13:16
Olá olá
Agora já fazia muito tempo que não vinha a este
seu blog - o lugar onde mora a melhor poesia.
Sabe que eu acho-a ( na poesia ) muito parecida
com a grande Florbela Espanca -
e na prosa - encontro semelhanças com Isabel Allende.
A sua forma de estar na vida é uma alegria e um
incentivo para mim.
Parabéns pelo Dia de Ontem. Li o seu texto sobre
a mulher - e é fantástico - gosto da sua visão do
tema e da lucidez que o rege.

Beijinhos D. Maria José.
Votos de muita Saude, Alegria e Felicidades

Barbara Fróis


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

. OLÁ Dolores

. 2007 - 2017 = 10 º Aniver...

. ENCONTROS DE CIRCUNSTÂNCI...

. Recado para os Sobrinhos ...

. Saudades

. A Feira de São Mateus 201...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@