Quarta-feira, 19 de Março de 2008

ESTEVA

Mais intensa do que a cor

de uma giesta em flor

mais vibrante que a giesta

que veste amarelo em festa

É o perfume do mato

Quando o sol passando a pino

lhe aviva mais o destino

de fazer cheirosa a serra

E ... se é a esteva que a habita

com suas folhas escuras

(com folhinhas verde-escura )

e aquela flor bonita

recortada em seda mole

Quem há que não se console

de inspirar à saciedade

aquele ar de céu aberto

que sempre falta à cidade ?

e ... pode até relembrar

dos tempos da sua infância

a tal famosa  advinha

que tanto mistério tinha:

“Verde foi meu nascimento

e de branco me visto

as cinco chagas de Cristo

Representaram-se em mim !”

Depois, colhendo a flor

Verá como cada pétala

tem uma pinta de cor

uma dedada vermelha

que no branco alvo se espelha

como sangue num sudário

E... se pensar que essa flor

dá fruto: - “ as pióguinhas”

que nas mãos da garotada

jogadas como ao pião

bailam... bailam pelo chão

como sua mãe flor

que a cria lá pela serra

baila ao vento e canta a terra.

quando o sol quente de lume

a faz suar em delírio

o tal viscoso perfume!...

 

 Maria José Rijo

(13-4 – 85)

LIVRO DAS FLORES

 

estou:
música: Flor - Esteva

publicado por Maria José Rijo às 23:43
| comentar | Favorito
partilhar
7 comentários:
De Dolores Maria a 20 de Março de 2008 às 00:51
Lindo...
Os seus poemas são LINDISSIMOS.
Mas então - e a fotografia?
Hoje não temos?

Que os próximos dias sejam perfeitos e lindos
para si tia.
Que a Pascoa lhe traga alegria ao coração.

Beijinhos de nós todos.

DO LO RES
Luisinha
Avelino
Dulcinha


De Francisco Parreira a 20 de Março de 2008 às 00:53
Gosto muito d seu blog e da forma como
fala da vida.
Gosto muito da sua poesia.

Feliz Páscoa

Francisco Parreira


De Adalgisa Alexandra a 20 de Março de 2008 às 00:58
Querida Tia
Que nesta Páscoa a alegria e a Felicidade
acompanhada de MUITA SAUDE - a façam
feliz e a inspirem para continuar a escrever
como tem feito até aqui.

Tia - esta é a minha primeira Páscoa sem a
minha Mãe. Sinto-me só mesmo dentro de uma
multidão.
Desculpe o desabafo.
O Porto é uma cidade escura e fria - mas estrou
a gostar.

Beijinhos e Boa Páscoa.
Notei que não tem fotografia?
Por algum motivo especial? É que aqui nos tem
habituadas a ter umas belissimas fotos que
acompanham sempre as suas palavras.

Beijinhos Tiazinha querida

Gisa


De Maria José a 22 de Março de 2008 às 19:11
Gisa - obrigada pelos votos de boa Páscoa e, também pela confiança do desabafo. Não é fácil recomeçar no vazio de algumas ausências, mas assim se faz o caminho.Chego a acreditar que,aqueles que lembramos, ainda nos acompanham mais. Já reparou como estão sempre connosco?
Conheci o Porto. Em solteira estive lá uns dias no Grande Hotel do Império, nem sei se ainda existe. Fomos comprar mobílias para minha irmã que ia casar...
Daqui a pouco há um século!
Há poucos anos voltei lá algumas vezes e gostei.Que seja feliz na escolha que fez.
Beijinhos e uma Santa Páscoa
Tia Zé


De Gustavo Frederich a 20 de Março de 2008 às 01:43
Minha querida tia.
Queira acreditar que hoje estou surpreendido.
Não conheço a esteva.
Não sabia desta flor.
Nem sequer a conhecia.

Hoje não tenho nenhuma achega para lhe contar.
Apanhou-me desprevenido.

Mas gostei imenso do seu poeminha. é Lindo.
Obrigado pelas suas palavras no comentário
que fez para mim.
A Tia é já uma pessoa com um peso especial
na minha vida, nos meus pensamentos.
Fico feliz por isso.
Gosto muito de si.

Pascoa Feliz

Com muita ternura

Gustavo Frederich


De dualidades np a 20 de Março de 2008 às 14:43
Olá!!!!
Passei só para deixar um beijinho e fazer votos de uma boa e santa páscoa.
Beijinhos


De Gustavo Frederich a 21 de Março de 2008 às 11:37
Queridissima Tia
Ao regressar ao seu (e também meu) blog
reparei que me tinha esquecido de escrever aqui
- neste belissimo poema - do livro das Flores -
a ESTEVA.
Achei o poema muito bonito - como o de todas as
suas flores.
Meditando nelas e apreciando-as - acho que a Tia
tinha aqui um livro estupendo para publicar.

È verdade que não conhecia a esteva.
É flor que nunca me tinha passado frente aos
olhos. - e é Lindissima.

Hoje neste dia duplamente especial
por ser sexta feira santa e ainda o primeiro dia de
Primavera.

Muitos beijinhos Tiazinha tão querida.
Gosto muito de si.

Seu sobrinho

Gustavo Frederich


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 53 seguidores

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
21
22
23

24
27
28
29
30


.posts recentes

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@