Quarta-feira, 30 de Abril de 2008

Mágoa

As palavras estão cansadas

De tanta vez empregadas

Sem dizer nada sincero!

 

Como direi lamento,

Tortura, ou mesmo alegria,

Transmitindo o sentimento?

Não sei! Não sei!

Isso doe-me…

 

Se ao menos as minhas mãos

Pudessem mexer nas cores,

Que minha alma não tem,

Para pintar suas dores!

 

Se ao menos isso pudessem!

 

Se agarrasse na vida

E com fúria lhe mordesse,

Talvez a vida chorasse,

E a sua queixa pintasse

Uma dor igual à minha!

 

Mas se eu não prendo a vida

E ela me prende a mim…

Serei eu mesmo sem cores

Que riscarei sem pintar

As minhas mágoas sem fim!

 .

Maria José Rijo

Junho 1956

.

II Livro de Poemas

Poema nº 13

Pág. 61

Desenhos da Autora

estou:
música: II Livro de Poesia - poema - nº 13

publicado por Maria José Rijo às 00:18
| comentar | Favorito
partilhar
12 comentários:
De Adalgisa Alexandra a 30 de Abril de 2008 às 00:51
Querida Tia
Mágoa - é um poema que me fez chorar.
Gostei imenso - a sua poesia é realmente muito
sentida, profunda...

Gosto da sua poesia.
Este é um bom poema.
Muitos beijinhos e boa semana de trabalho.

Gisa


De Fernanda B. a 30 de Abril de 2008 às 00:54
Parece que adivinhei.
Sou fã das sua poesia - desculpe - também gosto
dos artigos mas o meu coração é apaixonado
pela sua poesia.
É que a minha alma entende-a e gosto de ler e reler
.
Parabéns Pelo Blog a cada dia está cada vez melhor.
Um grande beijinho

Nanda B.


De mari josé a 1 de Maio de 2008 às 22:00
Minha querida Fã
Que mais posso fazer do que deixar-lhe um abraço muito grato pela sua visita e pelas suas generosas palavras?
Um beijinho
maria josé


De Flor do Cardo a 30 de Abril de 2008 às 01:08
Grande Poetisa !
Disseram - meu filho e meu neto ao ler esta
Mágoa - do seu segundo livro de poemas.
Sabe a minha Amiga que tenho ainda comigo
a critica - que o meu amigo Marciano Cipriano
fez do seu livro - no Linhas de Elvas nº 327 de
2 de Novembro de 1957.
Cipriano - era um grande admirador da sua
obra literária - ele dizia sempre - " estes livros
Luciano, são a confirmação de uma grande
Poetisa" do mesmo sangue de Florbela -
acrescentava eu e ele confirmava com um Sim
e um sorriso.

Este poema é um dos meus encantos.
Parabéns por o colocar on-line - e sabe que a
minha mulher o sabia todo de cor e que o
declamava até em francês - adorava ouvi-la.

Um abraço
Luciano


De luisinha a 30 de Abril de 2008 às 01:23
Olá Tia
Hoje vou escrever aqui no seu blog que cresce e
fica mais lindo a cada dia.
Sabe que me sinto bem aqui - respira-se ar puro
das mosntanhas - e outras vezes da Primavera -
um pouco como ir ve-la a sua casa - passear no
seu jardim e sentar-me - consigo - num banco
de jardim - ouvindo-a falar.
Ler Maria José é como ler Isabel Allende - ambas
sentadas a meu lado - a falar - e eu a ouvir
seguindo os passos de cada uma - mas ali mesmo
ao lado.

Já não me recordo - se já lhe comentei - sobre
o que sinto quando leio os seus poemas - vou
dizer outra vez - gosto - GOSTO muito de ler a
emoção nas suas palavras - caminhar pelo seu
sendeiro de paixão, dor ... gosto porque me
identifico com a sua poesia - é um pouco como
se eu me tentasse dar a conhecer a alguém -
mas falando por outro caminho - como que
espreitando - embora a tia consiga - e muito bem
falar sem pruridos e eu me perca pelo caminho -
é que eu não sei explicar o que me vai na alma.
...
mais ou menos isto.
desculpe incomoda-la com estas minhas palavras
retorcidas - mas era só para dizer que Gosto
mesmo muito do seu blog e da sua poesia.

Obrigada Tia
por nos mostrar tanta beleza - tantos caminhos
de paixão e tantas flores...

Beijinhos

Luisinha


De Gustavo Frederich a 30 de Abril de 2008 às 01:53
Certamente que o nosso amigo Padre Pio
ouviu as minhas orações
é que eu pedi ao Santo Padre que hoje a minha
Tia colocasse on-line um Poema e eis...
um BELISSIMO poema
Mágoa - até o nome está é belo dentro do real
significado da palavra.

Este poema é qualuer coisa de grande - de
signicado maior que as palavras dizem... vai
além das palavras - está profundamente
enraizado na sua alma - de onde brota a sua
imensa sensibilidade - abraçada a uma liberdade
só sua - a uma frontalidade imensa que tem um
alcanse maior do que a tia possa calcular.

Agrada-me profundamente este poema é como
um olhar distante ao seu coração - um olhar a
essa mágoa que tem dentro - ou tinha ...

Os seus olhos olham longe - para lá do olhar
de qualquer um - as suas palavras dão-nos
visão - levam-nos a caminhar por caminhos
seus - por lugares como os meus - quando
caminho nesta floresta negra - olhando de cima
do dorso de Antares .

Compreendo-a e gosto de ler e reler os seus poemas
como sempre lhe tenho dito - ...
Tenho hoje uma novidade importante para lhe dizer
- é que o meu amigo padre - na missa do ultimo
domingo - leu um poema seu - o
poema - Como te encontrei - do primeiro livro
de poemas.
Promessa cumprida - disse-me ele hoje pela tarde.
Fiquei Feliz porque aqui - na Suiça - tem dois
amigos que aoreciam os seus poemas.

Muitos beijinhos Tia
e muito obrigado por esta surpresa tão boa.

Gus


De Bernardo Oliveira a 30 de Abril de 2008 às 10:25
Sem duvida um BOM poema.
Gosto imenso de poder ter acesso a esta sua
magnifica poesia.

Seu muito admirador
Bernardo Oliveira


De Maria josé a 1 de Maio de 2008 às 22:06
Deixo a Bernardo Oliveira o meu muito obrigada pelo apoio que o seu apreço me oferece
Grata a Maria José Rijo


De Fisga a 30 de Abril de 2008 às 10:40
Minha senhora Já tenho lido alguns poemas seus, nunca me atrevi a fazer-lhe qualquer comentário. Mas desta vez não resisti, e levei a cruz ao calvário. Parabéns pelo seu lindo e belo trabalham. Força.





De Maria José a 1 de Maio de 2008 às 22:10
Fisga - Obrigada, obrigada de todo o coração pela sua presença
Maria José Rijo


De Fisga a 3 de Maio de 2008 às 08:59
Não me agradeça: Porque afinal o presenteado fui eu, e creia que adorei o presente. Um muito bom fim de - semana.




De Dolores a 30 de Abril de 2008 às 13:16
Olá bom dia tia
Só agora é que consegui acordar... ontem enganei-me
nos medicamentos e bebi comprimidos para dormir
em dose elevada - bom... dormi muitissimo bem....
Só temos de rir... a minha filha e o meu marido estão
zangadissimos comigo mas então...

ADOREI Adorei a sua poesia.
É lindissima.
Os meus Parabéns

da sua sobrinha

DO LO RES


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 55 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Apresentação do Livro de ...

. O Natal e os Poetas - 201...

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@