Quarta-feira, 7 de Maio de 2008

Pensamento

Não sou princípio

Nem fim!

Sou um ponto no caminho

Daquela linha partida

Que vinha de Deus para mim

Maria José Rijo

Julho de 1956

II Livro de Poesia

Poema nº 10

Pág.- 49

Desenhos da Autora

estou:
música: Livro de Poesia - II - Poema - 10

publicado por Maria José Rijo às 23:54
| comentar | Favorito
partilhar
10 comentários:
De Gustavo Frederich a 8 de Maio de 2008 às 00:32
Realmente a minha Tia querida
tem aqui um Pensamento que é um Poema
dos melhores.
Esta sua forma de expressar o profundo da
alma é profundo, verdadeiro e tocando a
genialidade.

Parabéns
Adorei verdadeiramente
este seu poema

Um abraço e um beijinho
e um muito obrigado por nos mostrar aqui
tanta beleza

Gus


De Adalgisa Alexandra a 8 de Maio de 2008 às 00:39
Encantador.
Hoje este seu poeminha veio quase como uma
resposta, um hino de louvor.
Identifico-me imenso com a sua poesia, há uma
parte da minha alma que sente assim desta
maneira - mas não tenho palavras, nem saberia
como dizer - assim - com tanta beleza e
realismo.

Parabéns por tanta beleza.
Gosto muito de si
Muitos beijinhos

Gisa


De Dolores Maria a 8 de Maio de 2008 às 00:48
TIA Tiazinha
Antes de ir para a minha caminha e agora que
terminaram as minhas novelinhas - aqui estou
eu para ler o post de hoje.
Um poeminha muito bonito e a minha sogrinha
diz que tem poemas muito bonitos e bons.
O meu Avelino está ali a olhar para mim e
está repetindo já - aqui o seu poema.
Gosta de os decorar - desde menino que sabe
imensos poemas - e não quebrou o habitual
gosto de as decorar.
Tem um amigo que é o Luis Miguel - que faz o
mesmo - trocam poemas - como os miudos
trocam cromos.
Eu gosto dos ouvir - mas levam horas a fio -
chegam a enervar-me...

Mil beijinhos (é a despedida da minha Luisinha
ao telefone)

desta sua sobrinha

DO LO RES


De Flor do Cardo a 8 de Maio de 2008 às 00:59
Cara Maria José
Hoje estou tão mais FELIZ .....
É que um amigo de Elvas - que já não vive em Elvas
mas que tem amigos em Elvas - enviou-me uma
colecção de Jornais - Linhas e Despertadores - desde
que abandonei a cidade.

Fiquei muito contente.
O meu filho queria pedir para que o jornal me
fosse enviado pelo correio semanalmente - mas
na verdade não estou interessado - é uma
distancia muito grande - mas eu ficaria tão mais
feliz que pudesse ler on-line - o que não é
possivel... é pena - mas é assim...

Mas agora o meu amigo fez-me esta surpresa
com a promessa de que irá repetir com menos
tempo de por meio.
Não caibo em mim de contentamento.

ADOREI
Hoje o post é de uma delicadeza que me
enterneceu o coração.
Gostei de verdade pela pureza e pela emoção.
O Aristeu comoveu-se e o Virgilio já o sabe
de cor.
Não é exagero - conto pela emoção.

Um abraço enorme e amigo

Luciano


De Luis carlos Presti a 8 de Maio de 2008 às 01:06
Cara mia

Desculpe a falta de comentários da minha parte.
Não é asencia do blog, passo cá todos os dias e
leio tudo o que publica com muito entusiasmo...
E gosto - hoje em particular - é um poema
ou pensamento - excelente -de uma profundidade
e realidade que chega a arrepiar - pela BELEZA
e Encanto.

Adorei, soube-me muito bem.
Um beijinho ternurento para si
Querida Tiazinha

Luis Carlos Presti


De Fisga a 8 de Maio de 2008 às 11:31
Mas que linda poesia. Esta toca cá mesmo no fundo do coração: No meio disto encontrei uma surpresa, estes seus poemas são da década de 1950, engraçado: Nessa altura também eu andava a escrever umas coisas, sabe é nas alturas em que nós não sabemos, que não sabemos nada e pensamos que sabemos algo, comigo foi assim. Dizia eu andava a escrever umas coisas das quais até tenho algumas publicadas neste blog, é coisa muito pouca e é tudo virado para o lirismo da época. Estão nas postagens de 3 a 11 de Dezembro de 2007 e de 4 a 10 de Janeiro de 2008 e tenho mais umas coisinhas mas vão ficar no papel, para a posteridade. Um beijo e um bom dia.


De Alberto Mateus a 8 de Maio de 2008 às 23:49
Um BELISSIMO Poema.
Digo sinceramente que gosto imenso da sua
poesia.
ESte seu blog é especialmente bonito, pleno de
beleza poetica.
Os meus Parabéns por ter este blog on line e
deixar que nós - passeantes neste mundo
imenso que é a net - temos o privilégio de o
conhecer - de ler e reler - como eu - com grande
admiração por tudo quanto aqui nos mostra.
A sua obra literária é de uma beleza muito
especial , a Senhora é especial - nota-se também
pela qualidade de comentários que aqui tem.

Um abraço
Seu admirador de Bragança

Alberto Mateus


De Gustavo Frederich a 9 de Maio de 2008 às 00:46
Ainda bem Tia
Ainda bem que ainda tem aqui este Poema
que tanto Adorei.
É Perfeito, profundo, imenso, extenso que leva
a nossa alma - que lê - ao ponto exacto onde a
tia está - com essa sua alma ÚNICA - de uma
sensibilidade que nos leva por esses caminhos
feitos pela sua alma - esses caminhos feitos de
amor e dor - esses caminhos onde os nossos
pés pisam junto dos seus.

Gosto dos horizontes que me levam os seus olhos,
do brilho da vida que neles distingo... amo as
suas palavras pela sensibilidade - pela alegria e
também pela dor que nela aparece em forma de
flores...

Obrigado Tia
por não ter colocado novo post
neste lugar onde mora a poesia...
a sua bela poesia.

Beijinhos Tiazinha
e até amanhã

Gus


De Dolores Maria a 9 de Maio de 2008 às 00:51
Oh... hoje não temos nada novo!
Mas não faz mal - como diz o seu sobrinho Gus
este poema é muito bom e fez bem não ter
mudado o post - é bom que todos possam ler
tanta beleza... MAS amanhã ...
posso pedir um post novinho? Posso?
Vou aguardar...

Neste mês de Maria muitos beijinhos
e que Nossa Senhora olhe por si que possa Ela
admira-la tanto quanto eu - eu estou longe mas
Maria, Nossa Senhora poderá sempre e todos
os dias protege-la.

Gostamos muito de si.
Beijinhos Tiazinha

DO LO RES


De Flor do Cardo a 9 de Maio de 2008 às 01:12
Vejo - Cara Maria José
que é bem apreciada - tanto em prosa como em
Poesia. Noto que as pessoas vêm e esvrevem
muito e muito bem - sobre os seus post.
É gratificante saber wue o que escrevemos é
algo "saboroso" ao espirito de outros.

Eu só queria mesmo era ter uma alma imensa,
capaz de conhecer todas as palavras especiais
que podessem elevar Muito mais a sua forma de
escrever - a sua forma de sentir.
Não sei... mas eu gosto bastante de caminhar por
estes seus caminhos - cujos lugares - eu também
alguma vez - caminhei.

Se não fosse este lombago que me leva para a
cama - correria o mundo - para gritar aos sete
ventos - para que fossem ler o seu blog.
Mas isto está mesmo dificil - estou velhote e a
maleitas ando aqui de um lado para o outro -
em mim - magoando-me aqui e ali. Agora é o
lombago que se juntou a mim.
Este velho cansado de viver - mas que não deve
pensar em morrer ... ainda não - dizem eles...

Li o seu artigo sobre a amiga Lili Guerra.
Deixou-me uma pena infinita saber que essa
Senhora já partiu.
É um Bom artigo, justo, bonito e bem dedicado
de uma amiga para outra que partiu.

Se eu morrer entretanto - pode escrever algo
- morreu o velhote... que nasceu em Coimbra
e casou com uma bela mulher de Elvas, uma
filha de agricultores que estudou em Paris e que lhe
deu um filho - o melhor do mundo - e que
conheceu Maria José Rijo certa vez - em Setembro
na casa do poeta Casimiro Abreu e do amigo
Sabino...

Bem haja Maria José
Desejos de que a sua saúde esteja muito bem - já
que a minha...

Um abraço
Luciano


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

. OLÁ Dolores

. 2007 - 2017 = 10 º Aniver...

. ENCONTROS DE CIRCUNSTÂNCI...

. Recado para os Sobrinhos ...

. Saudades

. A Feira de São Mateus 201...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@