Sexta-feira, 25 de Julho de 2008

Olá! Olá, a todos

Olá! Olá, a todos.
Cá estou de volta, graças a Deus.
Começo por confessar que me tem feito falta a vossa companhia, que desejo com veemência que todos estejam de saude e, dito isso passo a contar a nossa odisseia.
Como sabem quem faz este blog é a nossa Paulinha. A minha contribuição resume-se a ler e, para além de lhe agradecer ... comentar pelo telefone e admirar a imaginação e o bom gosto que ela demonstra em tudo quanto faz.
Eu, por norma, escrevo num computador que já tem mais de dez anos ( sou fiel, sentimentalmente fiel, a tudo de que me sirvo e ajuda a viver como se os utensílios sofressem por ser postos de parte)
Para ter internete comprei um portátil , mas pus net fixa. Assim não "desconsiderava"o velho, pelo novo.
Só que me arrependi da net fixa e aproveitei as férias para mudar, o que já aconteceu.
Ficamos reduzidas ao portátil da Paulinha que se fez caro para prestar os seus serviços, amuou, aqueceu, apagou-se, enfim fez as tropelias que quis.
Sabemos agora que as queixas eram de "temperaturas elevadas",faltou-lhe "o leque" que é como quem diz : - a ventoínha.
Resolvido que está o contratempo espero recomeçar a receber notícias vossas para retomarmos o gosto das nossas cavaqueiras.
Vacinei-me hoje contra o tétano, não estou a cem por cento de bem estar, pelo que vos vou deixar...

Já deu para vos trazer saudades, contar que o mar do Algarve chega a ser mais azul do que o céu, e mais bonito do que um sonho, Agora aqui cheira a restolho, a sol (o sol tem cheiro),cheira a mantrasto e hortelã junto às ribeiras e toda a gente, diz a toda a gente: - comi hoje uma talhada de melancia!...
Ai, Alentejo da minha alma que até para o mar te levo comigo.
Beijinhos - Beijinhos ...
Tia Zé

estou: Voltei

publicado por Maria José Rijo às 22:27
| comentar | Favorito
partilhar
13 comentários:
De Gustavo Frederich a 25 de Julho de 2008 às 22:44
Que alegria IMENSA a minha -- a de hoje - a de
agora - a de este instante em que a noite entra
vagando pela minha janela - não só recebo o ar
fresco da noite - o perfume do pinheiral - da floresta
... mas também as noticias DE MINHA TIA - noticias
tão frescas e alegres e perfumadas como as que
me chegam da janela.
Perfume de alguém que voltou a casa com a alegria
de viver como só a minha tia transmite pela paz da
sua escrita, das suas palavras.
Gosto muito deste seus posts - assim tão especiais,
tão bonitos e ao mesmo tempo tão próximos do
coração.
Agora parece que nova alma nasceu em mim, este
seu "Voltei!" é o perfume que eu esperava sentir...
só hoje voltei a sorrir - o nosso amigo padre já
andava preocupado pela demora mas hoje com a
noticia e a leitura do novo poema - já ficou mais
contente.
E eu também.
Muitos beijinhos para si e grato pelo seu regresso.
Beijinhos Tia querida
Gus


De maria José a 29 de Julho de 2008 às 22:00
Gus,meu sobrinho querido
Vou tentar pela ordem em que chegaram, deixar um sinal do meu afecto a cada um dos meus companheiros, nesta estrada traçada no mundo das estrelas onde sem nos vermos nos cruzámos, nos encontrámos e fomos, pouco a pouco, pelas falas do coração, erguendo a imagem dos amigos que connosco partilham sabedoria,vida, cuidados e atenções.
Nas horas do entardecer, quando se vive só, às vezes apetece escutar música em silêncio frente a uma janela aberta tendo o céu como cenário de fundo. Então é consolador pensar que algures , sob o mesmo céu, amigos, que recordamos, se podem sentir tão acompanhados com a nossa estima, como nós com a lembrança deles.
Então a noite, não nos assusta. Apenas aviva a nossa sensação de paz.
Beijinhos para si e para o "nosso" querido Padre.
Obrigada, pelas vossas orações
Tia Zé





De Aristeu a 26 de Julho de 2008 às 00:22
Finalmente!
Estamos todos muito contentes por este seu regresso
fantástico.
Que bom Tia que voltou, o mau pai já estava a ficar
doente, acredite que já nem abria o computador.
Agora vou-lhe já dizer que já tem a sua amiga
on-line.
Que Bom Tia.
Muitos beijinhos e Obrigado por ter voltado para nós.
Com muita admiração.
Seu sobrinho
Aristeu


De Maria José a 29 de Julho de 2008 às 22:29
Aristeu - meu querido sobrinho
Ainda não lhes disse, mas digo agora, que fiquei tão comovida, quando num destes dias passados se depediram de mim como a "minha família do Brasil" que, só hoje,consegui falar-vos nessa querida ternurice.
Eu não sei se podem avaliar a importância que tem na minha vida o conhecimento que têm de mim.
Não estou desmerecendo da vossa inteligência ou sensibilidade. Que isso fique bem claro.
O que acontece,é que na minha idade, já a maior parte do meu mundo , o tempo afastou de mim, daí que,quando, mesmo de longe, alguém me acena com memórias que são - também - passado meu, isso me faça sentir, ainda, parte activa de uma vida onde, por vezes me sinto como sobrevivente única e inútil de um navio que se tivesse afundado.
O meu amigo Luciano, eu sei que - já tem idade- para entender! Mas... Aristeu e Virgílio, é bom que saibam que estão a fazer a boa acção do escuteiro.
Pois que Deus vos compense
Beijinhos - tia Zé


De Xavier Martins a 26 de Julho de 2008 às 00:30
Minha cara amiga
Eu o seu leitor assiduo do outro seu blog (e tb deste)
embora o outro seja o meu favorito - vim aqui
a esta sua casa saber de si.
Já soube agora que tinha a máquina estragada -
realmente foi um precalço incrível - mas agora que já
voltou a postar será que posso pedir-lhe que (se
poder...) volte a postar lá no Ficou escrito?
Eu também estive na Figueira da Foz - na minha
casinha da praia - que também é nossa e pelo
menos a 45 anos. O que é a nossa alegria, comprendo
o bom que é caminhar na mesma praia - como a
Senhora por 50 anos - é uma maravilha.
Parabéns por ter regressado e também concordo
pois nota-se muito bem como a sua sobrinha Paula
tem uma grande admiração por si - as tias são
sempre umas queridas e se assim é - as sobrinhas
como esta sua - tão dedicada - conseguem colocar
as delicias que a tia faz - aqui - para que todos
possamos observar.
Os meu Parabéns a ambas e um Graças a Deus
por terem voltado.

Com imensa alegria
Xavier Martins


De Dolores,Avelino,Luizinha a 26 de Julho de 2008 às 00:42
Olá Tia
Cá estamos nós os três e devo dizer que estamos
muito MUITO contentes por ter voltado a esta nossa
conviVência - Já sentiamos tanto TANTO a sua falta.
Quero que saiba que gostamos muito de si.
Grata por ter voltado e já nos fazia muita FALTA.
O Avelino tem umas orquideas Lindas e hoje disse
que se vivessemos pertinho - ia-lhe oferecer um
vaso para a sua varanda - A Luizinha já tem uma
barriguinha grande e estamos contentes por isso
também.

Muitos beijinhos Tia
beijinhos destes seus 3 sobrinhos
DO LO RES
Avelino
Luizinha


De Dina a 26 de Julho de 2008 às 02:48
Bem vinda!
O meu computador também teve um achaque desses...mas felizmente passou-lhe depressa.
Se o mar do Algarve chega a ser mais azul que o céu...o céu do Alentejo tem um azul único...não acha?
Gostei da ideia do sol ter cheiro...
As melhoras!


De Fisga a 26 de Julho de 2008 às 12:46
Cheira a restolho. O resto que fica na terra após a ceifa. Mantrastos , uma espécie de hortelã brava. Amiga soube-me bem ver escritos esses nomes, obrigado. Quanto à praia basta ler a descrição, para deduzir que as férias foram curtas, mas que correram bem, isso é muito bom. Quanto ao p. c. Só quem os não tem é que não sabe. Quanto à forma como o blog. Chega até nós, é engraçado, faz-me lembrar as pequenas empresas familiares. Quanto à saúde, Bom essa bota é sempre boa de calçar e má de descalçar, espero que desta vez não seja assim tão má. Cá fico esperando. Um abraço.


De Luis carlos Presti a 27 de Julho de 2008 às 23:10
Minha querida tia
Depois de tanto tempo voltei, mas voltei de Cuba
a de Fidel - onde estive de férias.
Tive um Prémio de Mergulho em Havana - foi uma
maravilha.
Voltei ontem e estou muito feliz.
Estive a ver o seu blog e lamento ter tido o pc
avariado mas os computadores têm destas coisas.
Desgraçam-nas a vida.

Estou feliz por ter voltado.
Ah sabe que já estive nessa sua Praia da Manta
Rota? Em tempos fui com os meus pais e era
fantástica. Vejo que continua linda.
Beijinhos Tia

Luis Carlos Presti


De maria josé a 3 de Agosto de 2008 às 15:23
Mas que desassocêgo!
Então não pára em ramo verde?
Não quererá levar-me na bagagem?
Sabe que foi em Cuba que me casei? - Não a de Fidel... como é evidente, mas, a nossa, lá do Baixo Alentejo, onde os solteiros, ainda cantam para as noivas:
"mas que linda vai a noiva, no seu dia de noivado, também eu queria, também queria, também queria ser casado" e mais coisas simples e belas que o povo guarda no coração.
Beijinhos e, obrigada por ir aparecendo
tia Zé


De Adalgisa Alexandra a 29 de Julho de 2008 às 01:10
Olá Tia querida
Passei para deixar um grande beijinho e perguntar
se está tudo bem consigo, é que estranho não ter
um textinho para nós.
Fico a aguardar.
Beijinhos e que a Tia esteja bem de saude.
Gosto muito de si

Com muita amizade
Gisa


De Aristeu a 29 de Julho de 2008 às 01:19
Não posso e não quero deixar passar as horas sem
lhe contar que o meu filho anda muito entusiasmado
com o Poseidon - onome foi muito bem aceite por
estas bandas e imagine que ele até fez uma pequena
cerimónia de baptismo para o cavalo.
Teve até direito a champagne, aquele menino
adora cavalos.

Queria também ter novidades para ler - desculpe
esta forma de perguntar - mas tinha imensa
vontade de ter novidades. Amanhã certamente
já teremos.
Com imensa amizade
e um beijinho deste menino de olhos bonitos
como a tia me dizia
(estou-me a mimar com as suas palavras)
Até amanhã
Beijinhos
Aristeu


De Gustavo Frederich a 29 de Julho de 2008 às 23:47
Daqui da minha janela sobranceira para esta minha
floresta encantada dei comigo a pensar em si e na
qualidade da sua poesia, da sua escrita.
É de uma beleza extraordinária. de uma fluência
especial, onde a cultura, sempre me presente, me
impreciona.
Gosto da forma como transmite o seu mundo, como
fala dele com essa sua especial simplicidade.
Só pode ser uma pessoa encantadora. Ao lêr a
beleza dos seus pensamentos, muitas vezes me
encontro neles, e é neles que caminho tentando
reencontrar-me consigo.
Quando falo com o nosso amigo padre - e não são
poucas as vezes - chegamos sempre a mesma conclusão
de que a Tia é uma alma muito especial, que tem
conhecimentos que fazem de si uma pessoa única.
Acredito que seja muito admirada pela sua forma
de expressar os seus pensamentos.
Fascina-me o seu blog e tudo o que ele contem.
É um bom blog - este blog da minha Tia.
Gosto de pensar em si como A MINHA QUERIDA TIA.
Gosto muito de si - eu - este seu sobrinho que
vive longe - e ao mesmo tempo tão perto - na
Suiça.
Grato SEMPRE pelas suas palavras, pelo seu
sorriso, pela sua saudade.
Grato Tia por me dar a sua atenção, o seu carinho.
Seu sobrinho

Gus


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@