Terça-feira, 12 de Agosto de 2008

O Homem Novo

Jornal linhas de Elvas

Nº 2.874 – 13 – Julho – 2006

Conversas Soltas

  

Li no Jornal Linhas de Elvas de quinta feira 1/6/06, um artigo de opinião assinado por João Paiva para o qual - ao que me avisaram  através da NET - o seu autor pedia um parecer da minha parte, o que me causou surpresa por não me sentir à altura de tal distinção, mas, que, como é obvio – agradeço.

Não conheço, João Paiva, não sei quem é. Pareceu-me ainda jovem e, se como afirma temos amigos comuns não deixaremos de nos encontrar mais dia, menos dia, se Deus quiser.

Mas pensando melhor – direi: que não conhecia -  porque, quem  acredita na responsabilidade e compromisso do que se diz e escreve, também se identifica através das afirmações que produz.

Por isso ousei apelidá-lo de: - O Homem Novo!

Para mim o Homem Novo – é esse. É o que não lê a critica como um insulto ou um acto de maledicência. É o que lê a critica- mesmo que lhe não agrade - como um acto de responsabilidade, às vezes, até, como um acto de desespero,  mas também -  Sempre - como um corajoso acto de esperança.

Por isso a sua chamada à responsabilização da sociedade civil; por isso o seu alerta para a consciencialização de que tudo é de todos para fruir; mas, também, de que, tudo é de todos, na partilha da responsabilidade e, na procura das soluções - me pareceu a postura certa do Homem Novo, o homem do futuro, que não delega no estado ou nos políticos locais a solução de todos os problemas. Do homem que sabe que é do compromisso de cada um, que é “da colaboração” ( que eu leio contribuição) de cada um, que as soluções podem acontecer.

O Homem novo, não tem idade, basta-lhe, sendo jovem ou idoso, ter consciência cívica, caracter, abertura de espírito, visão de futuro, sentido de o “Outro” e o consequente procedimento responsável e coerente.

O Homem Novo, é o que oferece caminhos, é o que não passa indiferente ao que vê à sua volta.

È o que no meio da turba, se identifica e se assume e vai pelo seu pé por onde entende que é o seu trilho, mesmo sabendo que fácil é a estrada já rasgada.

Parabéns.

Julguei entender que Elvas – Plataforma XXI lhe abriu perspectivas de esperança. Acho que tem razão. Concordo.

Aliás João Pais explana muito bem as suas ideias. - Mas...

Contrapor já vai – quase -  sendo um “vício” em mim!

E... João Paiva acredita que em torno de qualquer projecto, - excepcional, que ele seja - todos se unam com a força e a veemência que leva o povo ao entusiasmo como só frente  a uma vitória  no futebol ( entre nós) se tem podido observar?

Não sente o desinteresse e o desencanto instalados em todas as frentes?

Se fizer a relação entre as reacções de LUTA e LUTO pela perda irreparável de quanto Elvas recentemente sofreu - ( o último Regimento, a sua Maternidade e a assustadora ameaça  AINDA não muito bem identificada de perda de valências do Hospital) - com  o  ruidoso carnaval que ecoou pela noite dentro quando a batalha campal  do futebol na Alemanha se decidiu a  favor de Portugal...

Se o fizer...e contabilizar- também- o quase silêncio em relação à perseguição que está tentando amordaçar a   imprensa local...

O que pensará?

Pensará como eu? - A proposta é valida! - Está na mesa!

Que bom seria, se com a mesma convicção e força se defendessem em massa, em uníssono, causas das quais dependem, não o futuro de Selecções que representem Portugal – mas o futuro de PORTUGAL, em si próprio...

O êxito de um país é o resultado da soma das contribuições de todos – todos – sem excepção - que o constituem.

– Não acha?

Expresso aqui, também a minha gratidão a todos que, de qualquer modo, fazem chegar ao meu conhecimento o seu apoio pelas minhas opiniões.

Um dos rumos da minha vida é procurar não desmerecer de tamanha confiança e compreensão, e lutar com coragem pelo que considero – a minha verdade – sem a querer impor a ninguém, e menos ainda, - faze-la passar - como única.

                                          

Maria José Rijo

 

estou: O Homem novo
música: Resposta a João Paiva

publicado por Maria José Rijo às 23:18
| comentar | Favorito
partilhar
6 comentários:
De Gustavo Frederich a 13 de Agosto de 2008 às 00:03
Olá Tia
Passei para deixar um beijinho muito grande e para
desejar também que tudo esteja bem consigo.
Hoje estou com uma imensa dor de cabeça - presumo
ser deste tempo incrivel - hoje choveu por aqui...
imagine em pleno agosto.

Estou cansado.
Um beijinho Tia e até amanhã
Gus


De Adalgisa Alexandra a 13 de Agosto de 2008 às 00:20
Tia Tia Tia
Boa noite
Passei para lhe contar que apanhei um escaldão
enorme na praia - não estava assim tanto sol - mas
adormeci na toalha e eis... o lindo serviço...
Estou incandescente...

Beijinhos Tia

Gisa


De Aristeu a 13 de Agosto de 2008 às 00:26
Querida Tia
Já li o comentário dos nosso menino ... mas que fazer
se ele não acha bem que comentemos... mas como
o meu Pai diz - " vá vão lá por um comentário no
blog da vossa tia - é importante sabermos a sua
opinião" - diz o senhor Luciano e cá estamos nós...

Vamos ver o que decide - é só namorico e cavalos...
mar... viagens... bom e agora fala em querer ir ao
São Mateus - aí em Elvas mas eu que não posso
mesmo sair de Brazilia.
Terá de ficar para o ano.
O que lamento muito.

Mas... fica aqui um grande beijinho de saudades
deste "menino" que ficou encantado desde menino
por uma Tia tão querida.

Beijinhos

Aristeu


De Xavier Martins a 13 de Agosto de 2008 às 00:42
Minha e muite ilustre amiga
Não é que não venha a este blog, mentiria se dissesse
que não - venho cá e muitas vezes - as mesmas que vou aos outros - mas que aconteceu?
Não tem ido ao outro blog?
Lá estou eu aguardando - dia a dia - mas entretanto
ando por aqui - lemdo aqui - ali e digo-he já tenho
quase lido todo este blog.
É um BOM blog com imensos assuntos muito bem
abordados, só uma escritora como a Senhora
consegue ter um mundo de palavras, uma catedral
de grandes maravilhas.

Muito obrigado por ter feito este seu blog - sem ele
eu (e muitos) não teriamos acesso a esta sua
imensa obra literária -

No entanto e tenho andado a meditar - gostaria de
saber qual- de todos estes textos publicados aqui -
é o primeiro de todos - digo na publicação do
Jornal.
Era interessante mostrar.

Um abraço

Xavier Martins


De Fisga a 13 de Agosto de 2008 às 16:48
Olá Sra. D. Maria José Rijo. Tal como as penas das aves flutuam sobre a água, a sabedoria das pessoas fá-las flutuar sobre quem lhe a reconhece. Um grande abraço.


De Maria José a 13 de Agosto de 2008 às 17:34
Mesm o quando não se diz nada a Luisinha sabe
que está no nosso coração

Beijinhos Para todos

Tia Zé


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@