Sábado, 23 de Agosto de 2008

... Lá e Cá...

Jornal Linhas de Elvas

Nº 2.370 – 4-Outubro -1996

Conversas Soltas

 

 

      Quando parece que já nada nos pode surpreender surge, ainda e sempre qualquer coisa que de tão inesperada nos enche de pasmo. Aquela bizarra história de uma criança de seis anos estar suspensa das aulas, do seu “Jardim-de-infância”, sob a acusação de assédio sexual a uma sua companheira de brinquedos – é um achado!

        Crianças palestinas no sábado-feira

        Até porque o “crime” se materializou com um beijo na bochecha de outra criança para além do espanto, também nos cabe o direito de ficarmos vivamente preocupados.

        Não com a miudagem – claro! – Mas com os adultos de países ditos civilizados – mais! – De civilizações avançadas – que nos oferecem estes pruridos de inesperadas purezas.

           Brasil Contra a Pedofilia erotização precoce

        Pensam-se, amadurecem-se e redigem-se normas internacionalmente aceites – os direitos das crianças. Discutem-se nos mais sofisticados areópagos das sociedades para seres tão frágeis, desprotegidos e indefesos como são os humanos na primeira infância...

        Depois uma senhora directora de um infantário – uma mulher – decide e muitos aprovam que aquele “bisganho” de olhinho azul e óculos a escorregar pela ponta do nariz (a televisão forneceu a imagem) fosse excluído de entre a sua turma apenas por um beijo.

         Por estas e por outras que tais, cada vez me sinto melhor na minha pele de portuguesa.

        Cá pelos nossos lados nenhum bestunto ousaria tão peregrina decisão.

        Por cá, dizia-se com toda a bonomia espinho que nasce para picar, nasce logo com o pico” – se se quisesse arvorar malícia. Porque a mãe da menina, desvanecida, alegrava-se ao ver que a filha tinha cativado um amigo e, a mãe do “meliante” julgaria por sua vez que o filho era sociável e meigo e estava feliz na escola como se estivesse em casa.

        Ambas as mães concluiriam que era saudáveis as crianças criarem amigos desde a escola, que isso ajuda na formação do carácter, estimula o desejo de aprender, combate a timidez e dá mais segurança à garotada.

        Depois, ao jantar, à mesa contariam o episódio em família.

        Os irmãos mais velhos, se os houvesse, haviam de rir e de os arreliar dizendo que eram namorados.

        E, fosse quem fosse que fixasse no episódio alguma atenção, havia de o fazer com a tolerância que sempre nos invade o coração quando se pensa ou diz essa palavra mágica – criança.

               

        Por isso, juro! – Penso que posso jurar – não passaria pela cabeça de ninguém da nossa gente envergonhar ou emporcalhar a inocência de qualquer criança por um gesto que, para nós, só tem uma leitura: ternura.

        Até pensei que a sábia ou... sabida directora para entender que há outras maneiras de estar na vida devia escutar, como terapia à portuguesa, o Carlos do Carmo a cantar “os putos”.

              

        Ando com um certo pendor para concluir que um dos maiores males destes nossos preclaros tempos é tanta gente saber tanto de tanto coisa que, sabendo demais se esquecem de escutar o coração.

        Ás vezes afogado em normas e deduções deixam passar o tempo e esquecem-se de viver.

       

        Razões de sobra vou tendo para repetir: Não me impinjam mais teoria de mais isto ou mais aquilo!

        Deixem-me a alma livre e solta e o coração aberto para me comover com a beleza das gotas de orvalho sobre uma flor qualquer que ela seja – sem perturbações de espírito ou eróticos conflitos interiores só porque as flores têm androceu e gineceu!

 

Maria José Rijo

 

estou: Criança

publicado por Maria José Rijo às 21:44
| comentar | Favorito
partilhar
7 comentários:
De Adelaide Matias a 23 de Agosto de 2008 às 22:51
Um bom texto.
Recordo o assunto e achei tudo um exagero, realmente!!

Os meus Parabéns por este seu parecer.
Gostei imenso IMENSO do que li.
Gosto de ler as suas opiniões, sinceramente a
Senhora escreve muitissimo bem.

Com Amizade

Adelaide Matias


De Gustavo Frederich a 23 de Agosto de 2008 às 23:02
Deixem-me a alma livre e solta e o coração aberto para me comover com a beleza das gotas de orvalho sobre uma flor qualquer que ela seja – sem perturbações de espírito ou eróticos conflitos interiores só porque as flores têm androceu e gineceu!
....

Adorei este seu final - minha querida Tia Zé
Adoro chamar-lhe de Tia Zé - o nosso amigo padre
pergunta assim - "Foste a casa de tua Tia Zé?" -
gosto muito de o ouvir assim perguntar - dá-me
a sensação que a Tia vive aqui ao lado, ou mesmo
ao fundo da rua.
No outro dia sonhei que Antares nos levava a passear
numa charette dourada, engalanada - como se
fossemos a um recital no palácio. Eu e a minha Tia
Zé.

Gostei deste seu texto e muito, esta frase final
é de ouro , ouro maciço que eu adorei ler.
Grato por este seu blog.
Bem haja por postar assim.
Deliciado estou SEMPRE ao ler a sua poesia e também
a sua prosa.

Com muita amizade e carinho
Gus


De Xavier Martins a 23 de Agosto de 2008 às 23:20
Minha Amiga D. Maria José Rijo
Texto excelente o de hoje - uma perspectiva
muito bem defendida - aliás é sempre assim que
nos tem habituado - assuntos tratados com uma
extrema sensatez, lucidez e uma sensibilidade
imensa.

Os meus Parabéns

Xavier Martins


De Luis carlos Presti a 24 de Agosto de 2008 às 01:29
Olá tiazinha querida
Voltei outra vez e estive no Rio de Jneiro, agora
tão depressa conto não sair e vou tentar estar
mais presente aqui na sua casa que posso dizer
ser um pouco minha também.
Gosto muito, e já me estou a repetir vezes sem
conta, mas gosto muito, muito deste seu lugar lindo.
O seu blog tem muito bom aspecto, porque é um
convite a ficar, a sentar-se aqui a seu lado e ficar
ouvindo-a falar, a contar tantas coisas por que
a vida a encaminhou.
Gosto imenso da sua sensibilidade de artista(lá no
outro blog) e nesta outra de escritora e poetisa
que me encanta.
É verdade tia - gosto muito de si e de ser seu
sobrinho (um pouco ausente - mas seu sobrino).

Li nestes comentários que vai fazer uma exposição
e fiquei muito contente porque acho que as pessoas
de talento (como a Tia) devem mesmo mostrar
os trabalhos de uma vida.

Posso pedir--lhe Tia, que mostre aqui (e no blog
o outro de arte) a sua exposição -para quem não
tem ou não pode estar presente?
Pode tia?
Sim... mostra não é?
Fico desejoso de ver tudo.

Muitos beijinhos Tia

Luis Carlos Presti


De maria josé a 25 de Agosto de 2008 às 23:51
Querido Luis
Resolvi parar com a minha empreitada para dar uma palavrinha aos meus queridos companheiros de jornada.Tenho a certeza que a Paulinha fará a "propaganda do costume" de todas as minhas habilidades artesanais.
Ela é a minha fã nº1 mas não me deixa dizer onde se podem ver as fotografias com que ela escreve verdadeiros poemas.
Mesmo sendo o supra sumo da delicadeza "apaga" os caminhos que eu indico para verem o trabalho dela.
Beijinhos
tia Zé


De Dolores e Avelino a 24 de Agosto de 2008 às 11:45
Querida tia
hoje amanhacemos com muita alegria porque uma
das orquideas do Avelino nasceu, deu uma linda flor
pelo que para comemorar vamos dançar - com o nosso grupo de amigos
no clube.

Eu não queria... mas as amizades são poderosas e
então lá vamos. Se a tia estivesse aqui também
iria conosco para se divertir um pouco.

Depois conto-lhe.
Ah! gostamos muito deste texto é muito lucido.
Como são sempre os textos da minha Tia querida.
Beijinhos e espero que também esteja animadinha.

Beizinhos

DO LO RES e Avelino


De Fisga a 24 de Agosto de 2008 às 14:58
Olá Sra. D. Maria José. É assim: O que já pareceu ser uma maldição, parece agora ser uma bênção dos céus. Nós porque sempre fomos um pais atrasado só agora está a chegar o celebre cargeking, paresse que é assim que se escreve, cá a Portugal. Parece que estamos condenados a andar sempre ao rabisco dos outros países, por isso não se vanglorie, porque essa moda ainda não chegou cá, mas não vai certamente ser pão que nos falte, tal como acontece com os automóveis e autocarros aviões e tantas outras coisas, quando os castigos que se dão ás crianças para aprenderem a não serem inocentes e doces, já que os pais o não sabem ser, dizia eu quando já passar de moda nos outros países, ela irá aparecer cá em nome do novo proteccionismo infantil, e do progresso. O mundo está podre, e infelizmente não temos outro para o substituir. Um bom dia e um abraço.


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@