Terça-feira, 2 de Setembro de 2008

Meu dia de hoje

(Jean Cristophe)

Não te quero macular

Meu dia de hoje!

Quero amar-te, respeitar-te

Que nasceste para mim!

Quero que tu floresças

Florescendo eu em ti!

 

Para ti, olhos fechados,

Inda a noite te encobria

Mundo fora – Monte em monte!

Houve um galo que cantou!!!

Até ele já sabia

E repete em cada dia:

Dia que nasce – é sempre hoje,

É sempre um único dia!

 

Mundo fora – monte em monte

A cantar, rompendo a noite,

Já o galo o repetia!...

 

Maria José Rijo

 

II Livro de Poesias

Paisagem

Poema nº 18

Desenhos da Autora

 

 

estou: Meu dia de hoje
música: II Livro de POESIA - poema - nº 18

publicado por Maria José Rijo às 00:39
| comentar | Favorito
partilhar
5 comentários:
De Gustavo Frederich a 2 de Setembro de 2008 às 01:49
Obrigado Tia.
Muito grato por ter postado um poema para mim.
Gostei imenso e não estou a dizer só para dizer bem,
não, digo porque é de coração que lhe digo que gosto
imenso da sua poesia.
Ambos os livros são óptimos.
Tem aqui poesias fantásticas, acho que levaria a ler
a sua poesia até ao fim dos meus dias, tal como
faço com a Florbela que adoro.

Adoro a sua sensibilidade.
Os seus poemas expressam uma vida de vivências
e sentimentos de uma dimensão que me enternece
o coração e sempre me leva por esses seus
caminhos, mesmo quando de dor, são mostrados
na sua poesia, desta sua forma subime...

Sempre com uma mensa alegria de pertencer
a esta sua familis.

Beijinhos Tiazinha querida

Gus




De Maria José a 2 de Setembro de 2008 às 19:47
Meu Sobrinho Querido
como calcula ando preocupada com a preparação dos meus trabalhos. Justamente or isso estou a aproveitar esse fim de tarde para deixar um aceno amigo aos meus fieis leitores. Claro que para si tem que ser, já que tanto lhe agradam...um poeminha

Palavras
as palavras
quando as escrevo ou digo
já estão ocas
já lhes libei o sentido
na intensidade dum íntimo amplexo
para as saborear recreadas
porque as amo
a elas me dou
nelas me solto
e me liberto
e, não mais são minhas
porque eu - sou elas


De Gustavo Frederich a 2 de Setembro de 2008 às 23:56
MARAVILHOSO.
O seu poema é uma beleza. Lindissimo.
Aqui é esta ele - PAra que as pessoas o possam
ler de novo e apreciarem - como ele é LINDO.
As suas palavras SÂO SEMPRE Lindas como a
sua alma é ESPECIAL.
A Senhora é um ser especial - a sua poesia é
ESPECIAL, a prosa é ESPECIAL...
Obrigado por esta beleza de poema (e para mim)


Palavras
as palavras
quando as escrevo ou digo
já estão ocas
já lhes libei o sentido
na intensidade dum íntimo amplexo
para as saborear recreadas
porque as amo
a elas me dou
nelas me solto
e me liberto
e, não mais são minhas
porque eu - sou elas

...
ADOREi
ADOREI
ADOREI
ADOREI

Grati tiazinha querida

Gus


De Adalgisa Alexandra a 2 de Setembro de 2008 às 12:28
Lindo o seu poema.
A tia tem mesmo o dom para a poesia e para todo
o tipo de escrita.
Gosto muito de si.
Mil beijinhos

Gisa


De maria josé a 2 de Setembro de 2008 às 22:42
Querida Gisa
A minha ignorância deste mundo da internet desfez-me o comentário que lhe dediquei
voltei para lhe deixar um beijinho e pedir que leia também para si o poeminha que ofereci ao meu sobrinho Gus. Está bem?
tambem gosto muito de si
Beijinhos e muito, muito obrigada pela sua presença
Maria José


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 55 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Apresentação do Livro de ...

. O Natal e os Poetas - 201...

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@