Segunda-feira, 8 de Setembro de 2008

História Linda

 

 

Era só um malmequer

e olhava encantado

a folha

que estava verde!

Folhas

havia muitas!

Malmequeres

só um!,

e era Branco

e

tão luminoso

que até…

tinha um olho

amarelo

cor do Sol!!

 

Maria José Rijo

14-Nov-1963

(Desenho da autora)

 

estou: Poemas
música: História Linda - 14-Nov-1963

publicado por Maria José Rijo às 22:33
| comentar | Favorito
partilhar
11 comentários:
De Gustavo Frederich a 8 de Setembro de 2008 às 22:59
Minha querida Tia
Que poema tão querido.
Um poema de 45 anos e que continua LINDO
como no instante em que o escreveu.

Muito obrigado por ter colocado aqui um poema
(para mim :) )

Achei lindo e mesmo agora acabei de o ler, ao
telefone ao nosso amigo padre que sorriu e disse:
"realmente essa Senhora tem alma de poeta" - o
que eu também acho e acrescento que tem uma alma
sensivelmente bela e cheia de alegria pela vida.
ADORO o seu traço do desenho, tem força, MUITA
FORÇA - tanta como a vida que he deu tal dom.

Parabens Tia
e estou-lhe grato por esta maravilha inesperada.

Muitos beijinhos
Gus


De maria josé a 9 de Setembro de 2008 às 21:58
Meu sobrinho querido
pelos seus comentários vou seguindo a sua vida e em pensamento até lhe faço companhia algumas vezes.
Avalio a falta que lhe faz a proximidade do "nosso" querido Padre. Apercebi-me no entanto que mantém o recurso do telefone para lhe falar e, também para o ouvir. É bom. É muito bom dispor desse recurso. Há minucias no convívio que o particularizam e tornam especial.Eu, ainda me lembro do cheiro da batina do nosso professor de moral. Percebi mais tarde que advinha de ele ter roupa muito usada e brunida pelo ferro quente.E, isso ainda hoje me enternece.
Era quase como se a pobreza limpa daquele padre fosse uma feição.
Meninas crescidas em aldeias têm destas reminiscências...
Obrigada pela sua amizade e pelo seu apreço.Que bom seria começar a escutar desde longe o trotar de um cavalo e pensar que era o Gus quem o montava para vir lanchar torradinhas com doce de tomate...
A minha exposição , ou resulta muito bem , ou muito mal. Veremos...
Depois contarei se Deus quiser.
Beijinhos - tia Zé


De Gustavo Frederich a 9 de Setembro de 2008 às 01:37
Voltei e volto todas as vezes que sejam precisas
porque estou encantado com esta história Linda.
Mas que MAravilha de poeminha.

Oh Tia que poema lindo. Dirá que não gosta - os
artistas são assim - nem todas as obras são do seu
gosto mais profundo - procuram sempre o que está
lá... lá bem fundo, por vezes do outro lado de si
mesmos.
É natural mas aqui os seus poemas eas suas prosas
são autenticas maravilhas.
Gosto imenso.

Parabens tia querida
Grato pelo poema de hoje
Beijinhos

Gus


De Luisinha a 9 de Setembro de 2008 às 01:43
Tia
Sou eu, a Luisinha
Vim ve-la e fiquei encantada com tanta beleza.
Este malmequer é uma... MARAVILHA, nunca tinha
visto nada assim com tanta força (como diz o seu
sobrinho Gus).
Eu também concordo com ele, os seus desenhos têm
imensa alma, tal como a sua poesia e tb a prosa.
Não estou a falar, só por ser bonito... digo isto assim
porque é assim que sinto.

Os meus pais ficaram encantados e a avozinha
também e até já o sabe de cor.

Parabens tia
Gosto muito de si e acredito que as pessoas que
estão junto de si só podem ser pessoas felizes
por ter uma tia tão querida, cuja alma é pura
como este belo poema.

Parabens Tiazinha

Luisinha


De Maria josé a 9 de Setembro de 2008 às 22:29
Querida Luizinha
Que bom é ter essa Avó tão querida que vos acompanha e dá tanta força.
Na verdade, quem tem um família tão unida e protectora só pode dar graças a Deus. Até eu, aqui de longe me junto a vós na alegria da espera da sua filhinha.
Faço ideia das coisas delicadas que já terá para a vestir quando chegar.São lindas as roupas de bébé.
Penso muitas vezes como seria agradável conhecer-vos.Que bom seria apreciar as belas orquidias do Avelino, ir convosco às festas de igreja, enfim, tornar real este convívio que mesmo assim já nos agrada tanto.
Obrigada por gostarem do que escrevo e por o dizerem com tanta generosidade
Beijinhos para os quatro com a ternura da tia Zé


De Gílio e Cilene a 9 de Setembro de 2008 às 01:53
Querida e nossa Tia
Estou aqui ao lado do Gílinho e estivemos a por as
leituras em dia. Nós gostamos muito de ler os seus
textos e as poesias.
O Gílio está muito triste porque não pode ir ter
consigo a Portugal, a Elvas para o São Mateus, e eu
também queria ir, mas então...

O Avô Luciano está na piscina porque tem de
exercitar os musculos, o Aristeu está a trabalhar
porque está envolvido num trabalho novo e anda
muito ocupado.

Tia
Viemos contar-lhe uma noticia especial...
O Aristeu e o Voinho Luciano exigiram que
fossemos nós dois a contar-lhe a novidade e que
não passaria de hoje, assim...

Tia é que...
vai ser Tia-avó...
pois... é isso...
Ela está gravida!
pois...
Eu estou grávida Tia...

É esta a novidade que o Aristeu e o voinho não
lhe contaram...
Está entregue a noticia....

Muitos beijinhos Tiazinha

Gílio e Cilene


De maria josé a 10 de Setembro de 2008 às 20:53
Meus Meninos muito queridos
Não pude deixar de sorrir, enternecida, com a vossa novidade. É que ela me trouxe à memória uma sobrinha neta que sendo a preferida de minha Mãe, sua bisavó, foi, por decisão de minha sobrinha, sua Mãe,aconselhada a ser ela própria a contar a sua Bisa, que esperava bébé.
Minha Mãe era uma senhora de rigidos principios , estava na altura com mais de noventa anos e todos receavamos o seu sofrimento. Como minha Mãe cegara aos noventa e dois anos ao ser operada às cataratas, e, portanto não via - a notícia foi-se protelando. Porém aos cinco meses de gravidez impos-se tomar a decisão de tudo contar.
Corajosamente a menina vencido o pudor, deu a noticia. Minha Mãe escutou em silêncio, Depois, com voz enternecida , mandou: - anda cá.
Puxou-a para o colo beijou-a no rosto e disse-lhe:
Acabas de te despedir da liberdade da tua juventude. Começam as tuas grandes responsabilidades.Tenho a certeza que serás uma boa mãe.
É muito cedo, mas...já que escolheste assim Nossa Senhora te abençoe .
Dito isto começou a perguntar-lhe da saude e de projectos de futuro.
Aprendi então que todas as coisas têm um começo.
Pode não ser igual ao que se sonha...
O importante, porém é a maneira como depois,nós escrevemos a história.
Falta-me contar que o Sebastião já completou 12 anos e sua irmã a Leonor, que tem 10, ganhoui este ano a medalha de ouro , porque foi campeâ de ginástica acrobática.
Beijinhos para os dois e para o avõ Luciano, que já tem mais uma razão para viver contente.
Aperto muito ao meu coração, num abraço o Avô Aristeu, que tenho a certeza aprenderá sem custo e "sem curso" esta nova forma de amar
Sejam felizes tia Zé


De Amilcar Martins a 9 de Setembro de 2008 às 20:33
Lindo o seu Poema.
Parabens.
Parabens também pelo blog. É fantástico.

Amilcar Martins


De maria José a 10 de Setembro de 2008 às 21:18
Amilcar Martins

Bonita, bonita é a alma de quem é assim generoso

Um abraço grato
Maria José


De António Piedade a 9 de Setembro de 2008 às 20:36
Boa Noite
Cara Maria José Rijo
Sou um çleitor assiduo neste seu cantinho.
Aprecio todos os seus textos, da prosa à poesia.
É um encanto a sua forma de escrever e da falar
desta vida, onde todos caminhamos.
Gosto muito da sua forma de olhar o mundo e da
forma como fala dele.

Gosto das imagens que nos transmite com as suas
palavras.

Parabens PARABENS

António Piedade


De Maria José a 10 de Setembro de 2008 às 21:06
Fico sempre feliz quando vejo o seu nome,
Como é natural a pouco e pouco alguns nomes vão-se tornando familiares. Depois quando desaparecem e, passado algum tempo reaparecem sente-se um conforto íntimo - é um amigo que volta.
Um abraço agradecido
Maria José


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 53 seguidores

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
21
22
23

24
27
28
29
30


.posts recentes

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@