Sexta-feira, 19 de Setembro de 2008

Quem me dera...

Jornal linhas de Elvas

Nº 2.832 – 22 – Setembro 2005

Conversas Soltas

        

Há uma quadra que se canta ao Senhor Jesus da Piedade que me encanta e me toca particularmente.

È bem simples e penso que todos elvenses a conhecem de cor.

 

O Senhor da Piedade

tem vinte e quatro janelas

quem me dera ser pombinha

para pousar numa delas.

 

Como já escrevo neste jornal há mais de cinquenta anos, é natural até, que por uma ou outra razão já me tenha acontecido citá-la. Mesmo correndo esse risco de me repetir, não resisto a chamá-la de novo à lembrança de todos nós nestas festas do ano 2005.

É que em boa verdade não sei de maneira mais simples nem mais bonita de evocar a sede de altura que mais ou menos todos guardamos nos nossos corações e ano a ano nos fazem guardar uns diazinhos de férias para voltar á Piedade e viver a festa do reencontro com o Deus do perdão, da esperança e do amor – Senhor Jesus da Piedade!

Algumas vezes ao relembrar esta quadra me ocorreu o “Quase” de Mário de Sá Carneiro

“Um pouco mais de sol – eu era brasa,

Um pouco mais de azul – eu era além.

Para atingir, faltou-me o golpe de asa...

Se ao menos eu permanecesse aquém...”

Enquanto aqui o poeta assume o desespero de que não estando “aquém”, não conseguiu atingir o ponto do reencontro com o “além” que persegue mas não alcança e que o levará mais tarde por frustração e amargura ao suicídio, na quadra popular o anseio de mais alto tem um registo diferente.

       

Tem outro caminho.

Aqui, sonha-se e anseia-se o caminho para Deus.

         Aqui sabe-se que tendo asas lá se pode chegar.

E, as pombas que simbolizam a pureza e a paz – com essas asas – andam lá perto.

Com essas asas sobem ao alto.

Com essas asas poderão no fim do voo ficar frente a frente com o mais alto.

Poderão terminar o seu percurso, pousar do seu voo, descansar dos seus esforços, no regaço de onde no início se soltaram.

 

Se fores a Elvas – vai à Piedade

Que é a melhor coisa que tem a cidade.

 

...e desde esse longínquo ano de 1737 que disso o povo dá testemunho fazendo do Santuário o seu altar de fé.

 

Bendito seja o Senhor Jesus da Piedade agora e sempre. Amem!

 

  Maria José Rijo

estou:
música: São mateus - 2005

publicado por Maria José Rijo às 22:31
| comentar | Favorito
partilhar
5 comentários:
De Adalgisa Alexandra a 19 de Setembro de 2008 às 23:27
LIndo. Os seus textos são sempre tão lindos.
E a sua Exposição?
Foi bem aceite? As pessoas gostaram muito, não foi?
Acredito que sim.
Tenho uma pena infinita de estar tão longe e não
poder ter tido a oportunidade de estar consigo.
Mas então...

Aguardonoticias suas. Assim que tiver um bocadinho
de paciência e tempo, lembre-se da sua
sobrinha

Gisa

que muito gosta de si.
Beijinhos e Parabens

Gisa


De Aristeu a 20 de Setembro de 2008 às 17:15
Minha querida Tia
E hoje... já mais descansada, suponho, da sua linda
exposição, que me diz?
Está feliz?
Creio que sim porque os seus trabalhos sempre
foram muito apreciados, tal como os seus textos,
as suas poesias, a sua alma.

Nem imagina a pena infinita com que o Gílio está,
bom, eu também e o Sr. Luciano nem lhe conto...
Está ali atirado para o fundo da cama, sem vontade
de se levantar para nada, nem sequer para vir ao
seu blog...

Mas não quero que fique triste, quero que saborei
o carinho e o apreço que as pessoas têm por si,
porque têm, um apreço imenso como eu tenho
por si.
Ah, consegui retirar do blog a foto sua, daquele
tempo que me falou ao coração e eu não esqueci.
Está linda, numa moldura, na sala, da nossa casa.
Bem ali ao lado de minha mãe...

Muitos beijinhos e aguardamos as fotos da exposição.
Espero tenha gostado das "minhas" flores...
Para a Paula um grande beijinho de gratidão (sei
que me fez esse favorzinho - como sei, não sei...
mas algo me diz que recebeu. Recebeu?)

Muitos beijinhos Tia querida
e desejos de um Feliz São Mateus

Aristeu


De maria josé a 22 de Setembro de 2008 às 00:08
Ontem foi a procissão os Pendões.Assisti da minha janela. Levou um pouco mais de hora e meia a passar,
É sempre impressionante.
Obrigada pelas flores. A Paulinha com a sua natural delicadeza escreveu no cartão os nomes de todos vós e, também dos outros"sobrinhos" da net.
Foi uma doçura a sua lembrança, tal como essa outra de me "querer" na sua sala. ´Na verdade sinto-vos também, como minha família muito, muito especial.
Penso que a Paulinha tem algumas fotos para mostrar.Tudo dependerá dos afazeres dela.
Não haverá uma Paulinha por aí que me mande uns retratinhos vossos?
Era bom!
Beijinhos para todos e que a desenvoltura do Gilinho volte rápidamente.
Para um "domador" faço ideia do peso do sacrifício de ter que estar em repouso.
Teria sido um encanto te-lo tido comigo...mas, Deus dirá...
Eu, também estou tentando recuperar da minha estafa
Beijinhos adoro-vos - Tia Zé


De Gustavo Frederich a 20 de Setembro de 2008 às 17:33
PAssei rapidamente...
Só para dizer a si, minha querida Tiazinha
que vou ... vou indo, na escuridão dos meus dias...
queria te-la comigo... sinto-me muito só...
Tia se durante alguns dias não aparecer, não se
preocupe, (se eu conseguir virei aqui a sua casa),
mas vou passar uns dias ao Tibet... tenho de
repensar a minha existencia... os pilares da minha
vida estão a ruir...

Espero que , pelo menos, a tia esteja bem, que se
sinta feliz e que a sua exposição tenha sido, e
continue a ser um êxito.

Voltarei, prometo.
Muitos beijinhos e grato pelo seu carinho... é a
unica luz do meu tunel no presente.
Peço desculpa... mas preciso ser sincero...

Até breve
Regressarei de espirito lavado...
Beijinhos Tia querida, gosto MUITO de si

Gus


De maria josé a 22 de Setembro de 2008 às 00:28
Meu sobrinho querido
Faltam-me as palavras que desejaria saber para lhe dar o conforto que o seu coração precisa.
Mas pelo menos que não lhe falte, se dela necessitar, a minha presença, da única forma possível a uma distância tamanha - num abraço grande, grande com o carinho imenso de quem o entende, porque, também já perdeu os maiores amores da sua vida.
Que a sua viagem ao tecto do mundo o conforte é o que lhe deseja esta tia que apenas tem para si o tal abraço sempre que o desejar
Um beijo tia Zé


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

. OLÁ Dolores

. 2007 - 2017 = 10 º Aniver...

. ENCONTROS DE CIRCUNSTÂNCI...

. Recado para os Sobrinhos ...

. Saudades

. A Feira de São Mateus 201...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@