Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008

Exposição PERCURSO

estou: in Exposição
música: Exposição Percurso de Maria Jose Rijo

publicado por Maria José Rijo às 22:27
| comentar | Favorito
partilhar
5 comentários:
De Aristeu a 30 de Setembro de 2008 às 02:17
MInha querida Tiazinha
Estou tão feliz por continuar a mostrar a sua exposição
quase peça por peça, que me dá a sensação de que eu
caminho a seu lado e a escuto a falar, a contar-me
o que é cada uma das peças, porque e quando as
fez.
Sim porque cada uma delas tem uma história, uma
história de dor e amor.
u ainda me recordo do que a minha mãe dizia dos
seus quadros e dos seus bonecos de madeira, "que
só uma pessoa de alma especial e de muita lucidez
podia caminhar num caminho de luz, deixando-se
guiar pela mãos de Deus"
Eu agora acho mesmo e estou mesmo fascinado.

Parabens tia mas desculpe posso perguntar?
Será que vai conseguir por aqui on-line as suas
palavras - das entrevistas que deu no dia da
inauguração? Por acaso esta é uma pergunta do meu
pai, que diz que normamente fazem entrevistas.
Seria possivel? Se não for tudo bem, não tem
qualquer problema.

Hoje o Senhor meu Pai voltou a escorregar na piscina
e quase partiu o joelho, está li todo magoado de
dores, parece um menino, cheio de miminhos por todos os lados.
O Gilinho (como a tia lhe chama - e agora nós também
mas ele diz que só a tia lhe pode assim chamar - nós
aqui em casa é só Gílio.) Imagine só a tia lhe pode
chamar de Gílinho. É só rir.

Querida tia
deixo aqui muitos beijinhos
desta sua familia brasileira
destes que muito a estimam e adoram

De longe sinta-se abraçada

SEu sobrinho
Aristeu


De Adelaide Matias a 30 de Setembro de 2008 às 21:29
Boa miga
Estive cuidadosamente a ver a sua exposição.
Tem aqui fotos Lindas que nos mostram condignamente
a beleza das suas peças e trabalhos.
Devo dizer que é uma optima exposição e que tem
um talento nato para estas obras de arte.
Deixe-me dizer-lhe que os seus bonecos de madeira
são de uma autenticidade que parece terem alma,
terão sim - da sua alma - da sua lama que lhes deu
esta vida - na aparência de serem gente.

Minha querida amiga e as suas conchas. Mas que
maravilha de trabalhos. Eu não sabia que com as
conchas se poderiam fazer estas belissimas obras
de arte que a Senhora aqui tão bem nos mostra.

Estou fascinada.
Já passei o endereço do seu blog a todas as minhas
amigas para que tenham esta oportunidade de
ver uma exposião cheia de alma e de vida.
Minha querida amiga
receba um beijinho desta que muito a estima.

Adelaide Matias


De Maria José a 3 de Outubro de 2008 às 01:38
Adelaide Matias
Sabe o que me apetecia?
Pois eu conto: era estar mesmo a falar consigo, a tomar um chazinho e a falar de mil coisas.
Obrigada pelo seu generoso coentário
Um abraço amigo
Maria José


De Aristeu a 30 de Setembro de 2008 às 21:41
Tiazinha
Vem ver novamente a sua exposição.
É adoravel.
Em cada dia encontro sempre algo em que não
tinha reparado no dia anterior.
Tem imensos trabalhos e todos de uma qualidade
magnifíca.

O Gílio hoje já tirou uma parte go gesso e amanhã o
Dr. vem tirar o resto. Deixe ver o que se segue.
O meu Pai está muito contente com a sua exposição
devo e quero ser eu a contar-lhe que ele agora
arranjou um grupo de Senhores, amigos dele - que
se juntam em certas tardes na semana e a tia nem
imagina para quê.
Pois eu digo-lhe - são as chamadas "Tardes literárias"
em que cada um dos do grupo vai apresentando
olbras dos seus escritores preferidos e depois
comentam e até têm convidados.
O meu Pai - O Senhor Luciano lê textos seus, poemas
e vai mostrando - para já , yudo o que ele mais
adora da sua prosa e poesia.
Acredite que quando é a vez dele expor texto ou
poema seu aparece mais gente para o ouvir.
Está agora muito contente e eu também porque
parece ter abandonado aquela nostalgia que
tanto o abatia.
Espero que a tia não se importe por ele ler em
publico as suas obras literárias.
Aguardamos resposta - caso a tia não deseje que~
ele continue - o pai termina por aqui.

Boa continuação e boa exposição

Beijinhos

Aristeu


De eva a 1 de Outubro de 2008 às 19:21
Não tendo ainda podido deslocar-me a Elvas, esta "mostra" fotográfica da sua exposição apenas confirma e reforça o empenho em não perder o original.
Felizmente que os fins-de-semana ocupados terminam na terceira semana de Outubro.
Maria José, quer-me parecer que não cheguei a agradecer-lhe a autorização relativamente ao seu texto dos livros mas confesso que só consciencializei hoje essse facto. As minhas desculpas e o meu obrigada.


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@