Quarta-feira, 8 de Outubro de 2008

Até que a voz me doa...

Jornal Linhas de Elvas

Nº 1789 – 7 Junho de 1985

Á Lá Minute

 

           foto de over_acting1 em 18-04-2008 

Ouvindo Maria da Fé cantar o seu fado: “Até que a voz me doa”; Recordando a Amália que tão bem cantava: “Amália”,

               

quis Deus que fosse meu nome”, pensei que me caberia a mim, que não canto, escolher para meu fado – repetir até que a voz me doa – a minha oração de fé! – Acredito que:

---- Se às crianças fosse dado desde o berço, com a regularidade, sinceridade e insistência com que se lhes fornece o biberão – a certeza de que Sebastião da Gama falava verdade quando dizia:

“ O segredo é amar!

   

-- Acredito, que não seria possível, quando adolescente ou adulto, alguém, por exemplo: arrancar, em menos de 24 horas após a sua colocação 100 pés de cedro, de sebe que a Câmara mandou plantar como bordadura, para embelezar a estrada que conduz ao Viaduto.

-- Acredito que: - se depois de serem docemente embaladas com a certeza de que “Amar é o segredo” – as crianças tivessem nas escolas uma disciplina que as ajudasse a sentir – que o ar que se respira, para além da sua composição (analisável) é também o espaço da asa –

-- Que a pedra do banco de jardim que vemos partir em descuidada brincadeira – faz parte do segredo da terra que a deixa aflorar à superfície como elemento embelezador da paisagem, abrigo de vidas, indício e promessa de pedreira, alta escarpa onde a águia faz o ninho, cume de montanha onde gelos e neves moram por séculos…

       

-- Que a simples colher de pau – essa humilde auxiliar da feitura da sopa do dia a dia – até essa – nos pode trazer a mensagem da serrania onde, quando ainda pinheiro, falou a sós com o céu em longas noites de frias luas… ou as lembranças da beira-mar, onde escutou falas de altas ondas e temporais, cantigas de amigo do Senhor Rei D. Dinis e, onde provou, talvez pela primeira vez, o gosto do sal em respingos de espuma espalhadas pelo vento…

-- Acredito que se havia de perceber como tudo se entrelaça e como é violência não deixar crescer e florir a planta – não proteger o animal, poluir o rio que corre e o mar que o bebe…

-- Acredito que se entenderia que é violência não respeitar seja o que for que Deus tenha criado…

                               Photobucket

-- Acredito que por toda a parte com a fé de um Padre-Nosso se murmuraria o poema de Torga, o “Cântico de Inteligência”:

 

“Não destruas!

 

Toda a fúria é maldade

Ouve, que te não minto:

À tua volta a vida é como um cinto

De castidade

 

Constrói o mundo!

A sinfonia tem de ser inteira!

Junto o teu canto à melodia!

Não deixes que uma nuvem de poeira

Tolde a luz que te guia!

Dura!

Existe humanamente, e sê feliz!

Céu que não possas ver com olhos teus,

Deixa-o a Deus

- A ideia que tiveste e te não quis.”

 

Maria José Rijo

Gato Norueguês da Floresta

 

estou:

publicado por Maria José Rijo às 21:49
| comentar | Favorito
partilhar
13 comentários:
De Dolores e Luizinha e Avelino a 8 de Outubro de 2008 às 22:46
Nossa tão querida tia
Lemos o seu comentario, muito obrigado pelas suas
queridas palavras. Não sabe como são tão importantes
para nós - neste momento tão infeliz das nossas
vidas.
Hoje fomos os 3 assistir à missa na linda igreja,
sempre cheia de gente, gente devota que chora
junto do altar, gente que se lamenta e pede ajuda...
Nós, em silêncio fizemos precisamente o mesmo...
todos estamos precisando de um afago de Deus
nos nossos corações...
Hoje a Luizinha esteve horas a conversar com a
Magé...
realmente a Tia tem força... eu sinto essa força
nas suas palavras.
Obrigado Tiazinha querida.
Gostamos muito de si.
Ah, hoje o meu Avelino comprou um vaso de
orquideas no mercado e disse que quando a Magé
nascer vai ter a primeira orquidea de um novo
orquidário, na cebeceira.
Parece que caminhamos...
mas não sei para onde...

Beijinhos tia.

Dolores


De maria josé a 9 de Outubro de 2008 às 21:11
Meus queridos
Tenho cá tido comigo a minha Irmã. Como é natural tem seguido comigo estes tempos difíceis que vos bateram à porta. Então, como tem uma habilidade enorme para fazer casaquinhos de bébé fez um conjuntinho para a Magé. Se quiserem fazer o favor de dar o vosso endereço para o jornal Linhas de Elvas , em meu nome, poderei fazer o envio. Digo o jornal para haver sigilo. Estejam no entanto à vontade e, se não vos der jeito, não mandem. Não quero de forma alguma imiscuir-me na intimidae de ninguém.
Ficará sempre a lembrança da ternura que a Luisinha nos merece e o afecto que, mesmo à distância se gerou entre nós neste tempo, mais de um ano de convívio diário.
Lá na Catedral há uma capela do Menino Jesus de Praga. Nos tres dias que aí permanecemos fui lá sempre rezar. Foi pelo 25 e Abril! vejam há quantos anos...
Muitos beijinhos para os quatro e que Deus vos encha de esperança porque a bonança vem aí! e muita felicidade
Beijinhos - tia Zé


De Adalgisa Alexandra a 8 de Outubro de 2008 às 23:28
Mais um texto brilhante.
Parabens tia.
Gosto muito do seu blog.

Beijinhos

Gisa


De Maria josé a 9 de Outubro de 2008 às 21:15
Ás vezes penso : - o que seria de mim sem os meus fieis sobrinhos?
Por certo, nem valeria a pena manter este blog.
Beijinhos, Gisa, beijinhos e obrigada
Tia Zé


De Aristeu a 8 de Outubro de 2008 às 23:44
Olá Tia
Novo texto, novo comentário e novo beijinho.
Textos maravilhosos que a tia escreveu nestes anos
e anos a escrever para o jornal.

O mau Pai tem imensos, todos encadernados em
grossos volumes. Este hobby era de minha mãe.
ela sempre gostou de juntar os seus artigos e poemas
e todas as noticias sobre as suas exposições. e claro
também tem de outras pessoas que ela pareciava e
guardava com devoção.
Depois dela partir o meu pai fez ele o mesmo, já
que partilhavam o mesmo gosto.
E eu vou continuar com esta mesma alegria de juntar
os seus escritos.

Hoje o Gílio e a Cilene foram para Ribeirão Preto
para casa de uma tia da Cilene e só regressam no
domingo. Ele foi fazer negócio de gado e de cavalos.
este menino é o meu tormento e a minha alegria.
Está um bocado triste porque tivemos conhecimento
que a mãe dele, a Lucinda, faleceu em coimbra.
Era professora universitária e sofreu um acidente
vascular cerebral. Foi horrivel.

O meu pai está de cama - escorregou na banheira
e fez um corte na testa. Ando muito preocupado e
á contratei uma enfermeira para que durante o dia
fique e o ajude em tudo o que ele precisar.

Bom tia e quanto a si espero que esteja melhor da
sua constipação.
Gosto muito de si.
Beijinhos e as suas melhoras


De Maria José a 9 de Outubro de 2008 às 22:15
Meus queridos - eu, não sei, que vazio a Mãe do Gilinho deixou nas vossas vidas. Nem, sequer estou tentando saber. Quero apenas dizer que estou connvosco. Que respeito qualquer sentimento que esta circunstância em vós desperte e que deixo para o Gilinho um grande, grande, muito grande abraço com todo o mimo que ele merece.
Compreendo as suas preocupações, meu querido Aristeu com a saude de seu Pai.
A idade, tem o encanto do tempo, e o desencanto da fragilidade...
Em contrapartida, quando penso no Gilinho e me conta as suas aventuras , fico sempre a sentir que se isso preocupa um pouco, por outro lado também é reconfortante pensar que ele não se acomoda , que sonha, arrisca é ousado.
Para mim isso é mais saudável de espirito do que acomodar-se , deixar correr.
Claro, que eu estou longe, não o conheço e, me deixo enlevar por esse gosto de "provar" a vida que lhe atribuo pelo que me contam.
Quem está á sua beira é que se apercebe da conta peso e medida...
Mas, alguma vez a "medida"dos 20 anos foi comparável à dos 50 ou 80?
Gosto muito, muito de vós.
Desejo-vos todo o bem do mundo.
Àmanhã já vou à vacina da gripe A constipação já me deixou .
Que tudo corra bem e que o meu amigo Luciano
também já se tenha recuperado
Beijinhos para todos
Tia Zé


De Dina a 9 de Outubro de 2008 às 00:09
Meu Deus...desde essa altura até agora tudo piorou bastante, o mundo parece virado ao contrário. Quanto vezes penso no que o meu neto vai encontrar quando crescer...que mundo vai ele ter para viver? É assustador vermos a violência a aumentar de dia para dia.
O mundo já não é o que Sebastião da Gama ou Miguel Torga conheceram. Aliás já nem é o mundo que eu conheci e em que vivi a minha infância, nem o mundo da infância das minhas filhas. Que mundo vamos ter daqui a meia dúzia de anos?
Espero que esteja recuperada da gripe.


De maria José a 9 de Outubro de 2008 às 22:25
minha querida Dina
Hoje, fui à rádio dar uma entrevista.
Sabe que me lembrei imenso de si?
Estive por lá um tempo à conversa e relembrei-a com duas senhoras que também a recordaram com muita simpatia .Para mim , aquela, ainda é a sua casa.
Realmente os tempos mudam, mudam mudam...ou somos nós que mudamos?
Gostava tanto de ter certezas...
Beijinhos minha Amiga - beiihos Maria José


De Gustavo Frederich a 9 de Outubro de 2008 às 01:48
Minha querida Tia
... desci o monte... estou em casa do meu amigo e
estou de regresso ao mundo... a casa...
Já me encontrei... em parte... não vou entrar em
pormenores porque a maioria de quem lê, certamente
não entenderia...
A tia está melhor? Sente-se bem?
grato pelos comentários que encontrei, em resposta
de meus... grato por eles...
Amanhã regresso a casa.
Novas determinações farão mudar o rumo da minha
vida. Depois conto-lhe.
...
Beijinhos

Gus



De maria José a 9 de Outubro de 2008 às 22:53
Meu Sobrinho Querido
Tinha dito à Paulinha para por on line um poema para " receber" o Gus quando voltasse.
Quando o ia fazer, ela telefonou-me para me ler a sua mensagem porque havia voltado.
Não imagina como ficamos contentes. Então eu,nem queria acreditar.
Aqui fica então o seu presente de boas vindas
i

Responderei
por cada dia que não fecundei
responderei
porque os deixei à sorte, sem norte
como se para eles e para mim
não houvesse princípio e fim...
E, eu sabia
Que tudo me pedia
A resposta
À pergunta em que insisto
Porquê?
Para quê?
Como?
Quando?
Para onde vou?
O que espero?
Porque desespero?
Quem sou?

Beijinhos tia Zé


De poetaporkedeusker a 9 de Outubro de 2008 às 02:42
Minha amiga, sou eu quem se deslumbra com a riqueza deste seu blog! Que magnífico percurso o seu!
Quanta coisa feita a bem da humanidade!
A sua é que é uma grande alma.
Um grande abraço!


De Augusta Silva Torres a 9 de Outubro de 2008 às 18:42
Minha boa amiga

Hoje e desde as 17horas que estamos aqui , na
nossa reunião das 5horas - e cá estamos todas as
amigas deliciadas com a leitura dos seus artigos.

Desde que temos acesso a esta maravilha, que é
sem sombra de duvidas, um bom blog, de grande
qualidade literária e poética, que estamos tão mais
entretidas já que as nossas conversas andam à roda
do tema que a amiga nos fala.

Muitos Parabens
para si e para esta facilidade de nos emocionar
e enamorar

Gratas estas suas amigas do
Augusta Silva Torres

Margarida
Augustinha
Rosa Maria
Matilde
Francisca
Adelaide


De Maria José a 10 de Outubro de 2008 às 20:32
Minhas amigas
Não me deverei mais sentir só agora que sei que há um dia por semana em que faço parte do vosso grupo e, tomo convosco o chá das cinco.
Se me disserem qual o dia, prometo à mesma hora beberricar o meu cházinho e pensar que assim estou somando ao grupo também o meu nome.
Que bom que a minha escrita vos agrade. Se para nada mais servisse, distrair-vos, dar aso a entretenimento já era bom e, agora que mo contaram
também fica a valer pela alegria que senti por o ter sabido.
Obrigada de coração.
Um abraço apertado da Maria José


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 53 seguidores

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
21
22
23

24
27
28
29
30


.posts recentes

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@