Quinta-feira, 20 de Novembro de 2008

HOMENS e BICHOS

Á lá Minute

Jornal linhas de Elvas

Nº 1.885 – 24 de Abril de 1987

 

Bicho de Estimação metendo o bico em prato alheio! 

Duas vezes consecutivas escutei, interessada, o Dr. Alçada Batista falar sobre relações surpreendentes entre alguns

 

homens e o meio que os circunda.

Contava ele histórias breves sobre monges, ascetas e eremitas, que algures, em regiões isoladas do mundo, repartiram em paz o seu espaço com animais, ditos selvagens ou perigosos, que com eles coabitam ou conviviam familiarmente.

           

Destacou, até, a estranha paz estabelecida entre um monge eremita, que abrigava na sua cabana um ninho de víboras, e que muito naturalmente recomendou a uns hospedes de ocasião, que tivessem cuidado para não as perturbar pois que uma delas tinha tido filhos, e necessariamente, carecia de mais tranquilidade e paz na circunstância.

Tudo isto são relatos tão estranhos que frente a eles só há, a meu ver, duas atitudes possíveis: - Ou se encolhem os ombros e se sorri como de outras doces lendas, e se passa à frente – ou – se pára e se pensa a sério no comportamento da espécie humana frente aos animais.

                 

Lembro-me, de ter visto em certa ocasião, na televisão espanhola, alguém que afirmou ser o homem o único animal capaz de atacar sem motivos, o chão que o suporta, e para provar a sua teoria, deixou ali frente às câmaras, que escorpiões e aranhas venenosas passeassem livremente sobre os seus braços nus.

                            escorpiao

Perante coisas assim, quase parece lógico deduzir, que em lugar de usar a inteligência para suprir dificuldades e procurar uma equilibrada relação de paz com o resto da criação, o homem acusa como defeitos e perigos todas as diferenças que o separa e distingue dos outros animais.

Deste modo justifica os sofrimentos, que, por vezes, lhes inflige o destino a que os condena e o espaço que lhes disputa empurrando já para a extinção de algumas espécies.

 

Maria José Rijo

 

estou: 1987
música: Homens e Bichos

publicado por Maria José Rijo às 21:34
| comentar | Favorito
partilhar
6 comentários:
De Xavier Martins a 21 de Novembro de 2008 às 01:45
Ohhh
Belissimo texto e aproveito para lhe agradecer e
com muita alegria o inicio da postagem do seu
outro blog. Vi que a próxima conversa vai ser
sobre o Forte de Santa Luzia, é verdade que já me
tinha também comentado.
Belissimas fotografias aéreas tem de inicio do tema
em destaque. Parabens e por favor - como dizem
na minha terra "Os cães ladram e a caravana passa"
é um adagio de se tem de ter sempre em conta -
perdoe-me dar a minha opinião, mas ali, naquele
espaço do Ficou Escrito - deprendo que é um espaço
que comenta o passado, do seu passado - pelas "coisas" da história que faz história.

Grato por ter iniciado o Ficou Escrito.
Parabens
Seu amigo

Xavier Martins


De maria José a 23 de Novembro de 2008 às 20:31
xavier Martins - Eu já me envergonho! - mas a Paula tem estado numa feira de Turismo por vezes até às onze da noite. Com tanto desencontro ainda não foi possível dispor de uma hora ou duas para uma reunião que permita organizar a papelada.
Penso que já faltou mais.
Deus queira que não se desiluda
Um abraço
Maria José


De Flor do Cardo a 21 de Novembro de 2008 às 01:55
Minha cara Amiga
Perdoe-me tão grande ausencia - daqui desta sua
nossa minha Casa - Mas - como sabe tenho por cá o
Américo e por tantos assuntos em ordem leva o seu
tempo.

O Aristeu todos os dias, como hoje nos leu o seu
artigo e também, claro os seus comentários.
Adoramos
Mas... o Aristeu quase se zangava comigo "... porque
é uma vergonha... agora que tens cá o Américo...
falahas ao blog... isso não se faz... não tem juizo
Pai... vá ao blog... Hoje e sem falta !..."
-- Foi o quase grito do Aristeu e ... quem pode
obedece - ... Cá estou eu e com um enorme
pedido de Desculpas por esta ausencia.

Gostei imenso do seu texto - os nossos Parabens
e o Américo tem lido imensos textos seus - Adora a
sua poesia porque a acha muito parecida, no senti-
mento, com a nossa Florbela. Nós também achamos
(pelo que não foi preciso brigar com ele...:) - ).

Hoje para ojantar é um cozidinho à moda de
Vila Viçosa - o nosso Américo está na cozinha...
Imagine ! - ele a cozinhar!!!

Ahhh é verdade (agora foi Gilinho que me gritou
lá do quarto dele) - não me quero esquecer da
ideia da bengalinha - dá um jeitão.
Obrigado pela Dica.

Parabens e Grato por TUDO

UM abraço desta sua familia Brasileira

Luciano


De Adalgisa Alexandra a 21 de Novembro de 2008 às 02:00
Ai Tia
até tomei um susto com este cãozinho mal humurado...
Espero que assuste quem vem meter aqui o nariz
com má fé - aqui é um blog de familia e muito unido.

Parabens Tia é um texto LINDO (como sempre)

Muitos beijinhos

Gisa


De Gustavo Frederich a 21 de Novembro de 2008 às 02:02
LIndo Tia
Além do texto ser fantástico - hoje tem aqui um
guarda com cara de Mau.
Pode morder?!!

Mas eu gostei imenso do texto.
Muitos Parabens Tia

Beijinhos grandes

Fus


De Dolores e Avelino a 21 de Novembro de 2008 às 02:04
Olá Tiazinha querida

Passamos para deixar um grande beijinho.
A tia está bem?
Esperamos que sim.

Beijinhos Tia

DO LO RES


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 53 seguidores

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
21
22
23

24
27
28
29
30


.posts recentes

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@