Sábado, 13 de Dezembro de 2008

Hesitação

Maria JOSÉ RIJO

Conversas Soltas

4 de Dezembro de 2008

Nº 2.997

             Escrita à mão

Muitas vezes hesito na escolha de temas para estas conversas.
A minha hesitação advém sempre da pergunta que a mim própria faço: - que importância pode isto ter? - ou: - a quem pode isto interessar?

                                  
Depois venço o meu constrangimento pensando que a Vida não é só feita de grandes acontecimentos, nem é só vivida por pessoas a quem é possível procurar grandes emoções em grandes experiências, ou grandes aventuras.
Que, na vida, todos cabemos, sejam quais forem os nossos interesses, tendências ou gostos.


Sob o mesmo céu vivem os vermes e as aves. E, sendo a plumagem das aves por vezes de uma beleza quase irreal, e a asa, o símbolo da liberdade e do sonho, e sendo, em contrapartida, os vermes, feios e asquerosos, a linguagem da decomposição e do podre, a vida que os sustenta vem da mesma fonte e a dignidade da sua qualidade de ser, a sua função tem a mesma intrínseca dignidade que os seres ricos de
cor e beleza.


Assim que os mais capazes e os menos capazes, no sofrimento e na alegria têm todos as dimensões certas para viver a plenitude dos seus sentimentos e das funções para que foram criados. Não terão por vezes todos a mesma capacidade para encontrar o caminho que os possa levar ao destino mais certo, ou de encontrar a forma mais cabal de o evidenciar, mas o máximo, é sempre máximo. Seja qual for o limite suportável.
Vi, como a meio mundo, por certo, aconteceu ter visto, num programa de televisão, uma Mulher, médica de profissão, na qualidade de Mãe, expor para pedir ajuda o drama pungente, a agonia de não saber o paradeiro de um filho.

        
Alguns dias mais tarde, foi-nos dado rever a mesma pessoa com os olhos a brilhar de incontrolável alegria a contar que o filho já reintegrara a família e, da prudência e tacto com que estavam a cuidar de tão melindroso assunto.

Recordei-me então de uma amiga minha que tinha um filho diferente - mas - porque era dotado acima da média, causava problemas. Era bom aluno [hoje é um conhecido cientista] mas por não ligar àquilo que considerava

pormenores sem importância, era-lhe indiferente ter o cabelo comprido, a barba de qualquer dimensão, sair à rua de botas ou sapatos de quarto, a tal ponto que o pai, pessoa em destaque na altura, sentindo-se criticado pelos seus pares, o confrontou com a obrigação de proceder igual a todos os demais ou, a sair de casa, já que havia muito tempo que lhe era imposta esta exigência sem resultado.


Ferido nos seus brios, o rapaz, arranjou a mochila e dispôs-se a partir.
A Mãe, que até então a tudo assistira sem intervir, chegado aquele ponto de ruptura, olhou o filho e disse-lhe: - és inteligente e responsável, reconheço-te o direito às tuas escolhas e às tuas decisões não é esse o meu problema.
Só queria que me ajudasses, que me dissesses aonde é que eu errei contigo, meu filho, para saíres assim de casa.

Deverias ter-me ajudado e ensinado porque sabes que não há nada na vida, mais importante, para mim, do que tu.
O rapaz pousou a mochila, abraçou a Mãe que chorava e disse-lhe - tu estás sempre certa Mãe, perdoa-me, e ficou.
Parece que é sempre estendendo as mãos abertas para dar que se recolhe a alegria que pode encher de paz os corações.

 

Maria José Rijo

 

estou:

publicado por Maria José Rijo às 22:33
| comentar | Favorito
partilhar
8 comentários:
De Adalgisa Alexandra a 14 de Dezembro de 2008 às 01:16
Tia querida
Mt obg pelo seu comentario para mim.
é mesmo mt querida em nos responder mas por
favor não se canse muito, isto da net cansa a vista.

Este texto é excelente.
Mais uma maravilha. Parabens Tia

Gisa


De Amilcar Martins a 14 de Dezembro de 2008 às 01:21
Realmente
Este blog é mesmo muito bom.
Textos excelentes e sempre com imagens muito
bonitas, tão bonitas que nem se dá conte de que
os textos possam ser algo compridos - mas não
estou a refilar - nem sou preguiçoso para ler ---
Leio sempre com muito PRAZER porque a sua
forma de escrever dá-me um grande prazer de ler.
São como imagens que nos levam - por esses
seus caminhos.

Parabens por mais esta postagem.
Um texto excelente.
Lucido e de uma beleza extraordinária.

SEu leitor

Amilcar Martins


De Aristeu a 14 de Dezembro de 2008 às 01:29
Querida Tia
Muito obrigado pelas suas amaveis palavras.
Realmente o senhor Meu Pai não está a atravessar
uma das melhores fases - mas já está mais
restabelecido pois agora não o deixo afastar-se dos
jardins mais proximos da casa.

Ele não gosta, mas tem de ser.
Esta a dizer-me que já cá vem fazer um comentario
porque já leu o texto e gostou.
O Tio Américo está a dormir - dorme muito - deve
de ser da mudança de clima.
Agora tenho outra empregada em casa - uma para
cada um -assim t~em toda a atenção nexessário é
que eu não estou sempre em casa.

Imagine... mas é assim.
O Gílio lá anda a trabalhar...

Tia querida que tenha um bom domingo.
Muitos beijinhos

Aristeu


De Dolores a 14 de Dezembro de 2008 às 01:37
Olá boa noite
E como está a minha Querida tia ?
Espero que tenha passado bem o dia e Santa Luzia.
Sabe que hoje estive a fazer bolachinhas de Santa
Luzia.
Imagine !!
A minha prima tinha uma receita antiga e entre
conversas - lá ma emprestou e pronto... todo o dia
lá golozeamos as ditas bolachinhas.
Aí na sua zona também fazem algo assim?
Têm bolachinhas ou outro tipo de doces?

Ah Tia tenho estado a tentar fazer alguns pratos
das suas receitas - nos almoços e nalguns jantares.
E T~em gostado muito.
Tenho-les lido algusn dos seus textos e eles têm
gostado. Fiquei tão feliz.

Ah o meu Avelino já me chama outra vez Paxão.
Adorei - é que até me tinha esquecido.
Ele está encantado com o trabalho no orquidário
e eu com a nossa casinha.
A Magé está a crescer a olhos vistos - não sei como
lhe enviar a foto mas hei-de conseguir. Um dia
destes vai te-la ai - num destes comentarios.
Está prometido. Só não sei quando.

Que tenha um bom domingo
Sus familia na França

Dolores, Magé e Avelino


De Gustavo Frederich a 14 de Dezembro de 2008 às 02:11
Tiaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Muitos beijinhos
deste seu sobrinho

Grato pelo comentario - amanhã voltareiiiiiiiiiiii
Beijinhos


Desejos de um bom domingo.
Gosto muito de si
Gus



De Damião José Carvalho a 14 de Dezembro de 2008 às 02:15
Acabei de descobrir esta
GRANDE
M A R A V I L H A que é o seu blog.
Por uma hora inteira - li reli e descobri aqui um
grande espolio de MAravilhas

Vi também que é um blog muito comentado e
muito lido.
O que é realmente muito bom.
Li um texto que achei excelente - As gavetas da
memória.
Mas que Maravilha Sra D. Maria José Rijo.
Estou encantado e já coloquei o seu blog - no
primeiros da minha lista de Favoritos.

A partir de agora tem mais um - nesta lista de
admiradores

Seu mais novo leitor

Damião José De Carvalho



De Sonhadora a 14 de Dezembro de 2008 às 19:36
Mais uma vez...que belas reflexões e acompanhadas de imagens belíssimas...assim a sinto eu...doce Senhora...que põe em pé de igualdade o verme e a ave...quem dera que todos o fizessem...pois somos todos feitos da mesma matéria, mais tarde todos pó como o que vagueia entre as estrelas...
Um Abraço enorme desta Sonhadora.


De Princesa a 15 de Dezembro de 2008 às 16:23
Este texto é deveras interessante, mostrando que de facto todos os seres cabemos neste planeta tão diminuto comparado com o universo onde estamos inseridos, independentemente das singularidades que nos separam, bem como que temos sempre muito a aprender com os outros...

Boa semana!


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@