Domingo, 14 de Dezembro de 2008

ORA BEM!

Jornal Linhas de Elvas

Nº 2.906 – 22-Fevereiro-2007

Conversas Soltas

 

             Referendo sobre a regionalização divide Portugal em dois

Ora bem! De que havemos de falar nesta altura em qualquer conversa, senão dos resultados do referendo?!

E, como é meu hábito assumir o que penso, digo, ou faço, começo por afirmar que, votei – não – embora, confessa-lo, não fosse, de todo, em todo, necessário, mas...

“ Je dis tout, tant pis si je me ridiculise” -  ( Violette Leduc)

E, agora que os resultados já são conhecidos e, o Sim, venceu, embora de forma não concludente, como toda a gente viu, ainda me dá mais gosto assumir que não estou na lista dos ganhadores

 Devo no entanto confessar que a vitória do sim me abre horizontes, não direi de esperança, mas de expectativas bem lógicas e interessantes.

Vejamos:

se a chusma de abortos é tanta como rezam as crónicas, e o governo é tão solícito a ajudar nessa circunstância, nada mais natural que a Maternidade e Elvas reabra para não deixar ao desamparo as pacientes necessitadas. Até porque é evidente que a sua situação merece mais cuidado e carinho do que a das mulheres que levam a sua gestação até ao fim, e, em lugar de abortos têm crianças de tempo.

Reconhecida e apadrinhada pela lei, fica a necessidade de se poder fazer em Portugal, com toda a eficiência e profilaxia, o aborto. (o que não se contesta)

Reconhecida e apadrinhada também pela nossa lei, fica a necessidade de as grávidas irem parir a Espanha porque esse mesmo governo não lhes dá condições de terem os filhos na sua Pátria.

Como equilibrar as duas situações, não sei!

Cada qual, tem seu ponto de vista sobre cada situação. Depende dos seus gostos, tendências, ideais, vocações. Da sua formação...

Faz dia 22 deste mês, anos, nasceu, alguém que me foi muito querido, e, cuja dor de ausência, fará sempre parte de mim, a quem foi dado o nome de Rafael. Dividindo a minha alegria, quando ele nasceu, com um grupo de amigas, ouvi estas exclamações: - Rafael, o nome do anjo...

Rafael, como o grande pintor da Renascença...

                    Os anjos mais famosos da história da arte

Cada coração tem um eco diferente, e, sempre assim será.

Cada qual sonha à medida dos seus gostos, tendências e anseios. E, quem como eu, andou à escola, calçada e bem abrigada, entre crianças de pés nus cheios de frieiras, e mal agasalhadas, numa aldeia pobre do Baixo-Alentejo, não poderá jamais, aceitar coliseus, T.G.Ves, ou o que quer que seja de espectacular, enquanto, houver filas à porta dos Centros de Saúde, Hospitais sem médicos, Maternidades fechadas, pessoas chamadas para intervenções cirúrgicas depois de terem falecido, ambulâncias apetrechadas de tudo – MENOS - do seu equipamento  principal – médicos e enfermeiros!

             

Tenho no ouvido e na consciência as palavras responsáveis, generosas e humaníssimas de alguém que tem feito milagres a salvar vidas até de siameses – o Senhor Doutor Gentil Martins, que cito: – Se existem listas de espera de doentes com cancro no Serviço se Saúde, não se pode dar prioridade ao aborto”

Eu, não estou contra ninguém.

Estou a favor de tudo quanto represente JUSTIÇA SOCIAL acima de qualquer outra coisa, porque, para mim e, para muita gente mais, o essencial é o ser humano feito à imagem de Deus.

Esse estranho “bicho homem” que legisla para eliminar a ocultas, elementos da sua própria espécie, e fica tão feliz como o Senhor Primeiro Ministro que, com descontrolado entusiasmo, pavoneava a sua alegria como se houvera ganho meios para criar em condições dignas, os filhos que muitas Mães gostariam de ter tido se lhes tivessem dado possibilidades para tal, ou conseguido controlar a pobreza, a fome que grassa livre, os salários baixos, o angustiante nível de vida dos portugueses... a não ser que este seja um meio para ajudar a controlar o deficit...

               

Termino confessando ao “nosso” maior português de sempre, (no seu género, claro!) que: - não sou, nem intelectual, nem de meia tigela. Se o fora, pedinchava que me erguessem uma estátua, como qualquer tartufo, neste Carnaval da Vida.

              

       SOU NADA-. NADA por inteiro e, por isso, me vergo ante

Fernando Pessoa

Repetindo:

“ Não sou nada.

Nunca serei nada.

Não posso querer deixar de ser nada.

E contudo tenho em mim todos

os sonhos do mundo”

 

Maria José Rijo

 

estou: Nº 2.906
música: texto de 2007

publicado por Maria José Rijo às 23:03
| comentar | Favorito
partilhar
3 comentários:
De Xavier Martins a 15 de Dezembro de 2008 às 01:23
Minha Amiga
Mais um excelente texto.
Parabens .
Realmente tem um espólio literário de grande
qualidade.
Temas variados e de grande Lucidez, uma das suas
marcas especiais.

Um grande abraço

Xavier Martins


De Adalgisa Alexandra a 15 de Dezembro de 2008 às 01:24
Tiazinha
Gosto tanto da forma como defende a vida.
Realmente a Tia é um ser MUITO especial.
Gosto muito de si.

Gisa


De Damião José Carvalho a 15 de Dezembro de 2008 às 01:32
D. MAria José Rijo
Realmente o que as pessoas dizem em tantos textos e
comentarios é realmente verdade - a sua
sensibilidade e lucidez demonstram que tem grande
amor a vida e consegue, pelas palavras, descrever
e emocionar quem lê.
Obrigado Minha Amiga ( se mo permite)
por ter on line os seus textos primorosos.

Um abraço e boa semana

DAmião José Carvalho


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@