Sábado, 20 de Dezembro de 2008

Memorias

Jornal Linhas de Elvas

Nº 2.998 – 11 de Dezembro de 2008

Conversas Soltas 

Outro dia, nem já sei precisar quando, encontrei na televisão, por mero acaso, um programa de memórias que fiquei a ver durante um bom tempo, com um sorriso enternecido pelo confronto mental que estabelecia entre as imagens das pessoas que – ao tempo o faziam e – a sua imagem actual, eram o Carlos Cruz, o Raul Solnado e o saudoso Fialho Gouveia.

                              

Todos magros desembaraçados de gestos, desenvoltos, enfim, como naturalmente se é aos vinte /trinta anos.

Prestavam homenagem pública a figuras destacadas da música e da canção dessas épocas. Coisas de há perto de cinquenta anos, por certo.

Naquele dia distinguiam Belo Marques.

A certo passo recordaram Júlia Barroso, de quem uma cançonetista

                  

actual evocou, cantando-os, alguns êxitos.

Foi então que me recordei de um episódio acontecido a meu marido e a mim, à conta da semelhança física que me era atribuída em relação a essa cançonetista – coisa a que jamais tínhamos feito reparo.

Estávamos em Lisboa, por uns dias, e, naquela tarde resolvemos passear no Chiado.

A certo passo reparamos que estávamos a ser seguidos por algumas pessoas. Logo, logo, meu marido comentou, na paródia, que as alentejanas até faziam sucesso em Lisboa e mais meia dúzia de graças porque era muito brincalhão e descontraído.

Porém, a certo passo, tanto ele como eu começamos a ficar constrangidos sem perceber o que se passava e, resolvemos entrar numa pastelaria para lanchar e ver se acabávamos com o pequeno cortejo de cinco ou seis jovens que nos seguia.

Foi então, aí, que se desfez o equivoco quando o empregado que nos servia me pediu um autógrafo e me felicitou pelo noivo, tratando-me por Júlia Barroso.

Nesta época em que tão pouco há que nos faça sorrir, sabe bem evocar estas memórias que nada mais pretendem do que isso – fazer sorrir ou dar uma gostosa gargalhada.

 

Maria José Rijo

 

estou:

publicado por Maria José Rijo às 11:13
| comentar | Favorito
partilhar
8 comentários:
De Dolores a 20 de Dezembro de 2008 às 12:17
Oh tia
Mas nesta foto com o seu marido - estão tão Lindos.
Realmente eram muito parecidas mas a minha Tia
acredito que mais linda.

Adorei esta sua lembrança. Ainda bem que a contou
aqui para nós.
Gostei muito.

Hoje fizemos a nossa arvore de Natal - mas não compramos grandes decorações porque resolvemos
por fotos dos nossos queridos - familiares, amigos e
claro a sua também está - a nossa tia mais querida.

Muitos beijinhos Tia
e por favor não se deixe constipar, tenha cuidado
com os frios, deste inverno - tão gelado.
Gostamos muito de si
A sua familia na França

DOLORES
Magé
Avelino


De Adalgisa a 20 de Dezembro de 2008 às 12:27
Bom dia Tia
Ontem já estranhei o "meu" blog preferido não ter um
texto especialmente lindo MAS agora voltei desejando
já ter aqui alguma coisa... e que espanto - um texto
excelente.
Sabe a minha Tia que eu adoro estes textos que fala
de si, de acontecimentos que lhe aconteceram um dia,
das suas memorias...

Obrigada Tia
Este é LINDO e a Tia e o Tio eram um casal 5 estrelas.
Adorei - já tenho o texto na minha pasta e a foto
para mim também.

Gosto muito de si - pode parecer-lhe estranho que
diga assim - mas é assim que sinto.

Beijinhos Tia

Gisa


De Ana Maria Lourenço a 20 de Dezembro de 2008 às 23:32
Minha boa amiga
Confesso que gostei muito do seu textos, desta sua
historia, passada na sua juventude.
Realmente existe muito parecido entre si e a Julia
Barroso, mas gostei mais de si.
Uma frescura natural, uma beleza e simpatia muito
especial.
Lendo e relendo o seu blog, sente-se que a amiga
tem uma imensa sensibilidade, uma lucidez incrivel
e eu quero dizer-lhe que fico muito Feliz sempre
que novo texto amanhece no meu munitor.

Obrigado Amiga Maria José por ter criado este
blog e o conservar tão lindo, a cada dia tão mais lindo
.
Um Grande beijinho e que esta época de Amor e
Amizade lhe traga muita Luz e muita saude.

Deste sua amiga
Ana Maria Lourenço


De Maria José a 22 de Dezembro de 2008 às 22:43
Ana Maria Lourenço
Um dos meus sobrinhos bisnetos chama-se Lourenço e é uma benção de Deus; - minha Mãe chamava-se Ana.
Se já é reconfortante sentir o seu interesse e apreço pelos meus escritos, ler o seu nome - só isso - é quase como uma grata mensagem de amizade.
Obrigada, um grande, grande abraço e um santo Natal
Beijinhos - Maria José


De Armando Franco a 20 de Dezembro de 2008 às 23:36
Um texto muito bonito.
Gosto imenso do seu blog.
Venho cá todos os dias duas vezes - porque nunca
se sabe se há maravilhas novas para ler.

Boas festas
Seu admirador

Armando Franco


De Maria José a 22 de Dezembro de 2008 às 22:51
Armando Franco, obrigada pelo seu apoio.
mas, vamos combinar uma coisa: vamos ser amigos
porque assim aceitamo-nos e mesmo quando não gostar , volta porque os amigos são assim.È que aqui quem admira sou eu pela sua atenção e generosidade.
Boas Festas
Tudo de bom para si- um abraço
Maria José


De Luis Manuel Gaspar a 21 de Dezembro de 2008 às 10:13
Bom dia D. Maria José
Não me conhece e eu não a conheço, mas quero
que saiba que conheci o seu blog e gostei imenso.
Tem aqui artigos especialmente belos e esta sua
forma de escrever é fantastica.

O blog está muito bonito, nota-se que é um blog
com class.
Bem haja e boa continuação

Boas Festas com muita alegria e muita Saude.
Voltarei


Luis Manuel Gaspar


De Maria José Rijo a 22 de Dezembro de 2008 às 22:56
Luis Manuel Gaspar
Boas Festas
Bom Natal
Obrigada pelo seu comentário, e, se Deus quiser cá nos encontraremos sempre que aqui quiser voltar.
Um abraço grato
Maria José


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 55 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Apresentação do Livro de ...

. O Natal e os Poetas - 201...

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@