Sábado, 31 de Janeiro de 2009

Ao sabor do acaso

Jornal Linhas de Elvas

Nº 3005 – 29 de Janeiro de 2009

Conversas Soltas

 

 

Mesmo quem nada percebe de música, como eu, tem a noção do que ela é, do que ela significa, do que ela vale, quando nos deixamos invadir por ela e dentro dela – libertos – nos soltamos.

Penso sempre, que, mesmo quando não sei as palavras que, como uma reza, eu poria dentro dos seus sons, penso sempre, que toda a música é oração, mesmo quando fala de revolta.

         

Por estar bravo, encapelado que seja, o mar não deixa de ser mar.

E, mesmo quando afoga, ainda e sempre, é água.

Não me perguntem o que quero dizer com esta conversa, porque não saberia dizer.

Sei que estou a ouvir música, sei que está a chover, sei que tenho a lareira acesa. Sei que é reconfortante estar em casa com tempo assim e olhar pelas vidraças e ver o “mundo” molhado lá fora.

          

E, sei que a música tem o condão de criar como que um mundo envolvente para nós - um mundo diferente  para cada um de nós - dentro do mundo imenso onde cabem reunidos, os mundos de todos nós juntos.

Em dias de chuva, Chopin, é mais ele.

É , absolutamente, ele.

Sei que é assim porque nestes dias, nestas horas ele pega na nossa sensibilidade, no nosso coração, nas nossas almas e eleva-as até ao infinito de nós mesmos. Até à fusão com a essência da música, até lá onde o que se pensa, o que se sente, o que se julga ser, se desfaz como bolas de sabão deixando apenas um resíduo de água,

Fugaz como uma lágrima.

Um vestígio, uma vaga lembrança da beleza entrevista e impossível de capturar.

A flor atrai porque é bela.

A infância deslumbra porque é inocente e pura

A música cativa e apaixona porque da flor é o perfume e da pureza e inocência – é a voz.

 

A música é a fala da Vida.

É a prova de que para todo o mal há esperança e espaço para redenção.

Porque de tudo a música fala.

“Quasimodo” era horrendo fisicamente.

O amor o sublimou.

Contado em música só poderia ser belo.

Porque a música é o extracto, o mistério, o segredo, a centelha de infinito de cada ser.

Nestes dias, em que a música nos faz mergulhar dentro do mistério incontido da dimensão divina de ser gente, parece que o cinzento do céu acontece para que brilhe melhor a clarividência de o reconhecermos.

O piano emudeceu.

Sem a alma nas mãos de Maria João Pires, ficou apenas, o que é – um instrumento musical. Um móvel.

E, a tarde – sem a música – ficou aquele entreacto – hoje chuvoso, ventoso e triste que nos conduz à noite.

Embuço-me no vazio escuro que o silêncio criou em meu redor e vou fingir que ainda não acordei do meu deleite.

 

  Maria José Rijo

                                 0004rh34

 

 

estou: Ao sabor do acaso
música: Maria João Pires - ao Piano

publicado por Maria José Rijo às 18:06
| comentar | Favorito
partilhar
8 comentários:
De Adalgisa Alexandra a 31 de Janeiro de 2009 às 20:42
Olá Tiazinha
Cá estou eu e hoje tem um excelente texto.
Muitos Parabens
mais uma maravilha.
Mts parabens Tia Querida.

Gisa


De Ana Maria Lourenço a 31 de Janeiro de 2009 às 20:48
Mas que Belo texto este seu.
Eu sou uma grande apaixonada pelo Piano de
Maria João Pires.
Já estive em vários concertos da Maria João e
são sempre uma maravilha, realmente o piano,
o som do piano é diferente - nem sei explicar mas
talvez a Senhora tenha a mesma percepção.

Muitos Parabens querida amiga
É sempre SEMPRE gratificante entrar aqui no seu
blog.
Tem sempre textos magnificos.

Um grande beijinho
e bom domingo e já agora um beijinho também
para a sua Mana.

Com amizade

Ana Maria Lourenço


De Xavier Martins a 31 de Janeiro de 2009 às 21:14
Lembrar Maria João Pires
Que coincidencia, cá em casa ouvimos imenso
Maria João Pires.
A minha mulher encontra consolo da sua alma, no
piano de Maria João. Temos todos os seus discos e
todos os dias a Maria João Pires faz parte das nossas
vidas - eu partucularmente gosto dos nocturnos, a
minha mulher agora está apaixonada pelos sons de
Mozart - de Maria João.

Há coisa que "casam" umas com as outras - e no
caso é a beleza da sua escrita - que tendo de fundo
os nocturnos de Maria João Pires - fica algo de
excepcional.

Minha amiga
Um grande abraço para si e já agora para a Senhora
sua irmã.

Com imensa amizade

Xavier Martins


De Dolores e Avelino a 31 de Janeiro de 2009 às 23:17
Minha e nossa tão querida Tia

Desculpe não ter aparecido mas a nossa bajé tem
estado tão constipadinha que tivemos de andar
de médico em médico - mas agora já está bem
melhorzinha.
Gosta de dormir com aquelas musiquinhas para
crianças, daquelas que se tira de um fiozito e é
o danubio azul. dorme com um sorriso nos labios.

O Avelino conta-lhe histórias infantis, das de sempre
e ela fica de olho arregalado a ouvi-lo, como se
percebesse tudinho.
É uma querida.

E a Tia está bem?
E a sua mana? Foi feliz a festinha de anos? 85 é
uma data muito importante.
Beijinhos para as duas.

Este texto é muito bonito.
A minha sogrinha gostava imenso de ouvir a Maria
João Pires, daí o meu conhecimento do seu Piano.
O Avelino de vez em quando, quando está muito
saudoso da mãe, poe os cds a tocar...

Beijinhos Tia querida

Dolores


De Flor do Cardo a 31 de Janeiro de 2009 às 23:40
Cara Maria José
Mais um sensacional texto.
Realmente Maria João Pires é um prodigio no piano
tal como Maria José com as palavras.

Bem haja por este texto magnifico.
São sempre excelentes

Com amizade

Luciano


De Madalena Rainho a 1 de Fevereiro de 2009 às 12:34
D. Maria José
Gostei imenso do seu texto.
Muitos Parabens pelo blog tão lindo que tem .
Adoro ler tudo o que publica.

Um beijinho e Feliz Domingo

Madalena Rainho


De Barbara de Almeida a 1 de Fevereiro de 2009 às 14:12
Lindo
Os seus textos são sempre tão lindos. Eu sou uma
grande apaixonada pelo toque delicado da Maria
João Pires.
O seu texto é belo referindo uma maravilha que me
toca também.

Obrigada por mais este artigo.
Gosto imenso de ler o seu blog e já cá venho desde
Março do ano passado - todos os dias cá venho
ler os seus artigos.
Acho muito gostoso entrarmos mum blog tão
bonito, de uma linda Senhora que escreve
primorosamente, mas quero dizer-lhe que foi
o meu cardiologista, numa destas conversas no
consultorio que me disse (já que falavamos de
Internet) que o seu blog era muito bom e
actualizado todos os dias (e eu vivo no Porto).

Muito obrigado por mais este delicioso artigo.
Um beijinho e bom domingo

desta sua admiradora

Barbara de Almeida


De António Piedade a 1 de Fevereiro de 2009 às 15:06
Boa amiga
permita-me que a trate assim mas de vir a esta sua
casa tantas vezes, já me sinto a fazer parte desta
sua familia on line.
É gratificante encontrar um blog com tão boa prosa e
poesia, com tantos temas actuais e locais.
Temas que apresenta com tanta lucidez que chega
a fazer pensar, pelo menos comigo é assim.

Para não variar, eu sou também, como a Senhora,
um bom ouvinte de Maria João Pires.
Gosto de ler com o piano de fundo de Maria João
Pires, realmente ela faz com que a musica seja
muito mais agradavel, um toque especial.

Bem haja por mais esta maravilha.
Os meus parabens

Antonio Piedade
agradavel


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

. OLÁ Dolores

. 2007 - 2017 = 10 º Aniver...

. ENCONTROS DE CIRCUNSTÂNCI...

. Recado para os Sobrinhos ...

. Saudades

. A Feira de São Mateus 201...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@