Quinta-feira, 19 de Fevereiro de 2009

...E vão cinco!

 Jornal Linhas de Elvas

Nº 2.836 – 20 – Outubro - 2005

Conversas Soltas

 

 

 

                   capa-eleicoes.jpg

 

Terminaram as eleições autárquicas na nossa terra com o resultado previsto.

 

Aqui, é como a pescada – antes de ser - já o era!

 

Uma coisa, porém me deu alegria – a diferença por cinco.

É que, se mais cinco votos da oposição houvera, nada resolveriam em relação a um futuro diferenciado.

Assim, como assim, tanto dá, um, dois, ou nenhum.

Por cá, só manda quem manda, e muito à sua vontade com o majoritário aval do povo soberano, decisão que democraticamente se aceita, embora também, democraticamente, dela se divirja.

Mas voltando aos cinco: - com eles pode ser reeleita a pessoa que consegue dar numa Câmara (que em conveniente mimetismo se unificou em rosa,) a nota de verdadeira simpatia e humanismo.

 

Parabéns Dona Vitória!

 

Pouco e mal a conheço, porém, toda a cidade sabe que o seu trato é simples e afável e que não se impõe com sobranceria e ameaças.

Deus a ajude, porque já provou ao longo destes anos passados que não é vulnerável a contágios de vaidades, grandezas, ou arrogâncias... (Suponho que talvez por isso a posicionaram à ré...)

 

Está minha alma em festa com a vitória de Rui Rio defende regionalização perante "sinais de reduzida governabilidade"Rui Rio. Desde a primeira hora do seu mandato que o admiro incondicionalmente pela coragem com que mostrou que o Porto não é nenhuma coutada the popedo senhor Pinto da Costa.

 

Que isso nos compense do arrogante fraseado, quase obsceno, do Major Valentim Loureiromajor Loureiro, que nos confrange como pessoas de bem.

 

Quem usa a força da vitória para insultar adversários mostra não só falta de cidadania como duvidosa qualidade como indivíduo e democrata.

 

Também estas eleições mostraram como o povo não quis entender que não se pode ou deve achincalhar um líder partidário por ter tido a dignidade e coragem de excluir das listas nomes de pessoas sobre as quais pairem sombras de comportamentos pouco honrosos, e que deveriam ter tido o bom senso de se auto excluir, em lugar de se evidenciarem em competições.

Ganharam, é certo, porque somos um povo sentimental e piegas que vibra com folhetins de faca e alguidar, escândalos de rua e outras pamplinadas...

                 

Somos um povo que consente que o Estado dormite em questões fundamentais que aceita por esmola o que, como dever, podia exigir e, lamuriando vai à televisão expor as suas misérias e revoltas, porque as caridosas subscrições entre particulares vão resolvendo dramas clamorosos, mas que depois, qualquer excursão ou jantarada cala e conforta.

Enfim, o gosto e o encanto da vida está, e muito, na sua diversidade.

Embora diversidade não seja, creio, o que o futuro nos trará.

Espero tantas e tantas mais placas pululando por aí como cogumelos, que o cemitério ficará – se não estiver já – em desvantagem...)

            jornal.gif

 ( Enganava-se o muito ilustre colaborador deste jornal – a quem, grata, saúdo - ao supor que as placas poderiam ferir a modéstia de alguns laureados!)

E...assim vai girando  o mundo!

 

P.S.- após leitura da imprensa local em 12/10/05

Queria agradecer ao Sr. Presidente da Câmara – a quem felicito - a honra que me concedeu  dedicando-me a sua recente vitória; até porque, fazendo-o, confessa ( no seu estilo peculiar) que lê, e tem em conta as minhas modestas opiniões.

Sem dúvida ele é, em política, “o mais promêro” para Elvas, mas ao que se deduz, em juízos de valor, “a mais promêra”, para ele, sou eu, o que me desvanece!

Acontece, porém, que ao receber “o perdão???” que me concede, “a meias,” com o Senhor Jesus da Piedade, se posiciona lá tão alto que me fica inatingível.

Pobre mortal que sou, entre o céu e a terra, esmaga-me a distância, daí que, na minha insignificância, me remeta, desde já, ao silêncio – não antes, porém, de afirmar que me sei incapaz de apodar de assassino quem quer que seja, e as ilações que cada qual possa extrair do que lê, não são da minha responsabilidade.

 

Maria José Rijo

 

 

estou: E vão cinco!
música: Conversas Soltas -nº 2.836

publicado por Maria José Rijo às 20:58
| comentar | Favorito
partilhar
4 comentários:
De Xavier Martins a 19 de Fevereiro de 2009 às 21:37
Excelente!
Gosto IMENSO desta sua sensibilidade para estes
assuntos.
Agradam-me de sobremaneira os seus artigos e
também a forma como eles são expostos aqui
neste blog magnifico.
Sabe que no outro dia pensei que gostaria imenso,
Eu, que a Senhora tivesse também um Site, um
daqueles lugares - WWW. -.
Fico aguardando que a sua sobrinha decida
fazer-lhe essa surpresa - Que a Senhora muito
merece.
Cumprimenta-a

Xavier Martins


De Amilcar Martins a 19 de Fevereiro de 2009 às 23:14
Mais um excelente texto.
É marca neste seu blog - A grande QUALIDADE
de textos, diversidade de temas - e TODOS eles
de uma sensibilidade e licidez fantastica.

Sou um leitor/apreciador DIÁRIO deste seu
dominio.
Muitos dos meus amigos - também passam por cá
todos os dias e até conversamos sobre os artigos.
É unanime a opinião de que V.Exª, merecia
escrever num Jornal de alto gabarito e não num
jornal de provincia - se me permite esta observação,
sincera da minha parte.

É um blog honesto, belo e que é actualizado em cada
dia, depois tem um bom nivel de pessoas que
comentam, sem aqueles comentários de gente
anónimo que só pretendem denegrir os blog.

Muitos Parabens e por favor continue assim, neste
ritmo de beleza e textos magnificos.

Obrigado.
Um abraço

Amilcar Martins


De Dolores e Avelino a 19 de Fevereiro de 2009 às 23:56
Nossa tão querida Tia
Hoje ao acordar pensei imediatamente em si e devo
dizer-lhe que é reflexo de um sonho de toda a noite
passada.
Não sei o que seria, nem sei porque aconteceu mas...
estou preocupada - está tudo bem consigo?
Não está doente - pois não?
Tentei todo o dia aceder ao blog mas a net por estas
bandas estava sem sinal - agora voltou e eis-me
aqui a escrever a nossa preocupação.
Espero e desejo de coração que esteja bem mas...
nem sei.
Aguardo noticias - pode ser mesmo - no rodapé do
texto de amanhã - um ok tudo bem - pode também
estar com aquelas tristezas feitas de saudades, que
eu conheço tão bem e tão sem vontade para nada,
nem mesmo para nos levantarmos de manhã.
Mas Tia a Primavera está a chegar - o perfume e
a cor alegra-nos o coração.
Gostamos muito de si.

Beijinhos tia zé

Dolores
Avelino e Magé


De Aristeu a 20 de Fevereiro de 2009 às 00:15
Olá Tia
Cá estou eu no meio da zafama do CArnaval.
Espero e desejo que esteja bem de saúde.
Fiquei preocupado com o comentario da Dolores.
A tia está bem?
desejo profundamente que sim, que esteja bem,
que se sinta bem.
Estou longe e neste momento nem posso ir a
Portugal para lhe dar aquele abraço prometido.
Muitos beijinhos
Gosto muito de si

Beijinhos
Aristeu


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

. OLÁ Dolores

. 2007 - 2017 = 10 º Aniver...

. ENCONTROS DE CIRCUNSTÂNCI...

. Recado para os Sobrinhos ...

. Saudades

. A Feira de São Mateus 201...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@