Quinta-feira, 12 de Março de 2009

Tudo o que é legal é legítimo?

Jornal Linhas de Elvas

Nº 3.011 – 12 Março de 2009

Conversas Soltas

 

 

           

O que é legal – passa – por essa circunstância, a ser legítimo?

E, o que é legítimo? - Sendo assim – não teria de ser automaticamente legal?

Por mais legalidade que haja, nos meios usados para ter sido autorizada a obra que aleija para sempre a cidade de Elvas

Isso pode ser legítimo?

 Até agora – depois de Ávila – tinha a cidade de Elvas, a mais Perfeita Muralha da Península.

Tinha! – Não tem mais...

Ou será que as esplanadas eram apenas “escorregas” à antiga?

- Só quem foi capaz de pôr um desnecessário “Coliseu”- a que pomposamente colou o seu nome por inteiro – a manchar a bela  panorâmica  da entrada da  cidade e, com essa – mesma - falta de visão tem transformado o centro histórico num ermo, expurgando a vitalidade dos espaços públicos inter- muralhas, para   justificar a utilidade atribuída  ao mais flagrante símbolo da Rondónia

- Quem não foi capaz de ver, que a urgência, era a recuperação do velho burgo para poder reactivar e sustentar o pequeno comércio – mitigando o desemprego – promovendo o turismo e impedindo a desertificação com todas as suas trágicas consequências...

- Quem de tal confusão foi capaz – por certo - não parou para pensar quais as fronteiras - morais - entre o legal e o legítimo .

- Quem se dá ao luxo de permitir que se erga um edifício que encobre a perspectiva visual do Forte de Santa Luzia – privando por acréscimo, até quem passa na estrada, da visão magnífica que as muralhas oferecem...

- Quem manda “engaiolar” o que resta da Quinta do Bispo que sem legitimidade histórica mandou esfacelar – porque conseguiu o fabrico dos planos de pormenor legais - que  permitiram essa afronta á memória de “Imortais” que engrandecendo Elvas , engrandeceram Portugal...e agora não sabe descalçar essa bota porque o seu culto do Eu, não lhe permite admitir, sequer, que possa alguma vez  ter –se enganado...

 

- Quem diz pretender levar as muralhas de Elvas a ser consideradas Património da Humanidade – e, as aleija impiedosamente destruindo as esplanadas que as rematam sustentando o seu equilíbrio e beleza...

- Quem inventa fazer uma nova circular à cidade - desrespeitando a intimidade estrada – fortificações - que permitia fruir até o perfume dos campos e  toda a grandeza da paisagem sem nunca deixar de se sentir ombro a ombro com as vozes da história a qualquer viajante...

- Será legítimo que – quem tanto já desfez – fazendo...

- Possa continuar a sua senda de destruição embandeirando em arco?

- Para fazer a Biblioteca, aliás magnifica, destruiu-se o Museu – A propósito: - em que condições está esse acervo?

- Estará a apodrecer, algures, ou a mobilar salas do Coliseu?

     Nesta – moderna - reedição da antiga “União Nacional” – que nos foi imposta – desta vez em redor da trilogia – Degustar, Passear e Fanfarronar – como é possível que se apaparique a “Idade de Ouro”, e simultaneamente se comprometa o futuro?

velhos_pedros-simoes.jpgFoto Pedro Simões

- Será porque votam?

 

Disse Leopoldo Senghor: (e, é urgente relembrar)

             

“A terra não é nossa.

Foram os nossos Filhos

que no-la emprestaram”

 

 Que não se quebre mais o elo profundo entre os elvenses e o seu meio – porque ser de Elvas – não é igual a ser de qualquer outra cidade.

 

 

 Maria José Rijo

 

estou:

publicado por Maria José Rijo às 21:28
| comentar | Favorito
partilhar
5 comentários:
De Xavier Martins a 12 de Março de 2009 às 22:49
Excelente, EXCELENTE
mais um texto verdadeiro, honesto diria eu.

Gosto desta sua frontalidade, desta sua lucidez.
Continue assim porque estas verdades também
se têm de dizer.
Parabens por mais este excelente texto.
E realmente a Quinta do Bispo é uma grande
gaiola. ?!

Parabens e um grande abraço

Xavier Martins


De Adalgisa Alexandra a 13 de Março de 2009 às 00:20
Querida Tia

Escrever BEM é o lema deste blog, escrever bem
num blog Honesto e tão Lucido é o que quem
gosta de ler encontra aqui a cada dia.

Parabens e Felicidades para este blog que tem um
numero imenso de visitas e isto quer dizer alguma
coisa, não é?
Se não fosse bom ninguém por cá passava.

Gosto muito de si Tia.
Beijinhos e até amanhã

Gisa


De António Piedade a 13 de Março de 2009 às 01:13
Muito Bom este seu texto.
Realmente a Senhora escreve com uma beleza
e lucidez que me deixa boquiaberto.
Como nos comentarios anteriores também eu
fico perplexo com a sua Lucidez e esta forma
magistral de dizer - sem ofensa - o que tem de ser
dito.
É que há coisas que se têm de dizer assim com
esta frontalidade e com o nome assinado por
baixo - sem o tal (que me repugna) do talzinho
anonimo que enporcalha só porque tem medo de
de mostrar a sua opinião.

Muito bem.
O meu VOTO de LOUVOR por este artigo
só lamento que a Senhora não escreva num Jornal
da capital - o seu talento está perdido nessa Elvas
do interior - mas também um Aplauso por este
blog que leva os seus artigos para longe das
muralhas.

Um abraço e Felicidades

António Piedade


De Flor do Cardo a 13 de Março de 2009 às 01:27
Minha cara amiga Maria José
Acredita que um velho amigo, o meu amigo
engenheiro, me telefonou para me ler este artigo
de hoje - no Linhas.
Ele em Elvas e eu no Brazil.
Os ecos dos seus artigos chegam cá primeiro que o
Blog.
Parabens por esta maravilha literária.
Foi agora , neste instante, que o Aristeu me veio
dizer que já estava on-line.
Não pude deixar de vir pessoalmente deixar um
grande abraço de Prabens.
O Ernesto e o Rijo - onde estiverem certamente
estarão a sorrir como eu cá deste lado do oceano.

A sua lucidez, oportunidade, e a forma como
brinca com as palavras sempre foi o seu DOM.
É mesmo assim, quando se tem que dizer, diz-se
e pronto. De dito não passa, e o resto são cantigas.
Quem concorda e pensa igual, fica calado, apenas
falando baixihos, para os botões da camisa para
que os outros nem sonhem com os seus pensamentos
e depois só se diz, o que a maioria diz... é assim que
funciona a nossa Elvas.
Se eu conheço Elvas e como os elvenses fazem
o que não deveriam fazer. Mas cada consciência, de
cada um, ou é surda, ou muda, ou cega... cada um
saberá a parte afectada que tem e é assim, sempre
foi assim e há-de continuar a ser.
Coisas da vida...

Os meus Parabens por mais este excelente texto.
deste seu amigo

Luciano


Ah - o Gílinho está a mandar muitos beijinhos
e o Aristeu também

Com muita amizade
desde Brazilia

Um grande abraço
Luciano
Aristeu
e
Gílio


De Dina a 13 de Março de 2009 às 03:46
Quero apenas acrescentar que muitos dos que mais sentem Elvas como sua, não nasceram nessa cidade mas isso não os impede de lhes doer a alma por cada machadada que a sua cidade sofre.


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@