Terça-feira, 21 de Abril de 2009

Cartas na mesa

Jornal Linhas de Elvas

Nº 2.872 – 29 – Junho - 2006

Conversa Soltas

 

Disse um dia André Malraux:

“Os homens devem unir a força e o sonho e fazer que

a força seja digna do sonho.”

 

Quando assim não é – quando a força só esmaga porque sendo força julga poder prescindir do sonho - o mundo não pára, não pára - porque recua...

                               

Há um pequeno poema, de Morellett, intitulado: Ronde – que traduzo assim:

“ Se todos os maus do mundo pudessem ameaçar-nos com os punhos, poderiam eles quebrar a ronda que lhes barra o caminho?

Não! Todos os maus do mundo são menos fortes sobre os caminhos do que o Homem arrebatador que na ronda tem o coração nas mãos.”

 

Estas são coisas em que eu acredito. Que tive a sorte de “encontrar” e me sinto no dever de repartir em acção de graças por a Vida as ter posto no meu caminho, mas que eu identifico como pertença dos caminhos da consciência da humanidade.

            África Berço da Humanidade

Li, li já sem espanto, mas com profunda mágoa, com vergonha até, um comunicado emitido nesta cidade tentando devastar e demolir a credibilidade de o jornal “Linhas de Elvas”, porque, não está funcionando, como as rádios locais, ao gosto dos políticos do momento.

O próprio Salazar – multava – censurava – mas não intrigava.

Até para ser Ditador, é preciso ter dimensão!

Um jornal não é um boletim, nem pode ser um panfleto! Não pode fazer as vezes de um vulgar comunicado de propaganda seja de quem for.

Um jornal, para merecer esse nome, tem que dar voz à pluralidade de pareceres dentro das suas directrizes morais e ideológicas.

Tem que ser aberto democraticamente a toda uma comunidade responsável, que o saiba usar com respeito por ele, pelos outros e por si própria, porque um jornal, rege-se por princípios éticos.

                       

E, ninguém poderá jamais deixar de reconhecer esse mérito e essa honra ao jornal Linhas de Elvas.

É só recordar:

Estou neste jornal desde antes de o seu actual Director ter nascido! (... vão todos os anos que o Jornal já conta...)

Sei que ele me estima e respeita, no que há reciprocidade - no entanto – várias vezes até com sublinhados foram nele publicadas cartas emanadas da Câmara, “no seu estilo peculiar” onde nada de simpático ou, cortês pode ser lido a meu respeito!...

Devo confessar, que sempre achei que assim deveria ser, e que a minha opinião, foi sempre a mesma: - publique-se!

           

Porque – no meu entender – só tem direito a receber louvores, sem se considerar bajulado e alvo de falsas lisonjas, quem tiver a coragem de aceitar críticas ainda que as possa achar injustas, e lhe doam.

De qualquer forma a crítica é sempre a outra face da moeda. Mesmo oculta ninguém dúvida – porque é inegável – que ela existe...

              

Há, sim, que encontrar humildade para a aceitar e coragem para a ponderar, à luz do nosso entendimento.

Ninguém pode ter a estultícia de querer agradar a toda a gente!

Nem todos temos os mesmos credos. Mas todos poderemos ter igual sentido de dignidade.

 

O Senhor Comendador Nabeiro, por exemplo: - para falar de alguém que todos conhecem -  é socialista e estando eu ao serviço da Cidade sob e égide duma Câmara PSD ajudou – sem hesitações - na fundação da Escola de Música de Elvas como, com a sua visão de cidadão do mundo e inteligência - sabe fazer - indiferente a tricas de comadres - porque ele é daqueles que, como outros portugueses esclarecidos, sabem fazer que a força seja digna do sonho.

 

Maria José Rijo

 

estou:

publicado por Maria José Rijo às 23:23
| comentar | Favorito
partilhar
5 comentários:
De Xavier Martins a 21 de Abril de 2009 às 23:55
EXCELENTE!!!
Sim, um texto excelente, delicado e honesto.
Como sempre!
Apanágio deste blog.
Os meus Parabens minha amiga
Cumprimenta-a

Xavier Martins


De António Piedade a 22 de Abril de 2009 às 00:01
Bom...
Muito bom este seu artigo.
É um prazer poder ler tanta inteligencia - na forma
destes artigos de opinião.
Um belissimo artigo.

Os meus sinceros Parabens

António Piedade


De Maria josé a 23 de Abril de 2009 às 21:17
António Piedade -a sua presença para além de muito simpatica é também muito generosa nas suas apreciações aos meus escritos - que mais poderia fazer do que agradecer-lhe de todo o coração as visitas que faz a este blog
Um abraço grande por tudo
Maria José Rijo


De Francisco Parreira a 22 de Abril de 2009 às 00:11
Assino em baixo dos comentarios anteriores.

Este blog é uma surpresa em cada dia.
Cada artigo é uma surpresa bem especial.
Venho cá todos os dias 2 ou 3 vezes - leio aqui,
leio ali e assim vou conhecendo cada artigo.

Gosto mesmo muito de ler e aprender neste blog.
Os meus Parabens

Francisco Parreira


De Maria José a 23 de Abril de 2009 às 21:25
Francisco Parreira
Sabe o que me faz por vezes pena? - é não vos conhecer pessolmente e poder falar com cada um de vós olhando-vos de frente.
Escrever, por vezes corta a solidão. Sentir o "eco" como retorno já é bom se melhor não acontece.
Obrigada - muito obrigada
Um abraço- maria josé


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 53 seguidores

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
21
22
23

24
27
28
29
30


.posts recentes

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@