Sábado, 23 de Maio de 2009

Para a História ter sentido

Á LÁ Minute

Jornal Linhas de Elvas

Nº 1.862 – 14 de Novembro de 1986

 

 

Numa maneira geral, os desenhos animados contam, a meu ver, histórias cruéis e perturbadoras.

Ás vezes fico a pensar que formação, ou deformação, conseguem “aquelas mensagens” levar ás cabecinhas das crianças.

          

O gato que persegue o rato, acaba sempre com a bomba a rebentar-lhe nas mãos, e fica lastimavelmente chamuscado e ridículo, ou espalmado como chata palmilha, porque cometeu o “crime” de assumir a sua qualidade de gato e o instinto que o obriga a ser atento caçador.

              

O rato, esse ri e esfrega os bigodes na segurança da sua toca subterrânea, como prémio por cumprir o seu fadário de ser rato, roendo, roubando e conspurcando tudo quanto apanha.

Assim que, atingindo ambos as dimensões possíveis das suas vidas – um… é castigado, e o outro dignificado como herói.

        

A não ser que os castigos sistemáticos, que nestes filmes, os gatos sofrem, queriam dizer que se lhes assaca a responsabilidade de ainda não terem comido os ratos todos… isto não se entende!

Um velho ditado popular diz que: “Quem seu inimigo poupa, ás mãos lhe morre”.

Desconheço se o povo da América sabe os mesmos aforismos do que nós, e se o intento é fazerem-nos essa advertência.

Se, por acaso, a finalidade é mostrar que os mais pequenos são os melhores e os maiores são os piores – então os seus rifões não são iguais aos nossos, porque nós sabemos, desde sempre, que: "os homens não se medem aos palmos”.

      

Os ratos, que se saiba, são nocivos e é pouco inteligente que, só por uma questão de dimensões, se ponha a bomba a rebentar nas mãos do gato que justamente persegue o seu natural inimigo … o rato.

                     acatmouse.gif (9149 bytes)catmouse_sm.gif (91769 bytes)

O mais lógico, parece-me, seria pôr o roedor em fuga, em procura de outros espaços, e a bomba na mão de quem a inventou… porque a poderia despoletar com sabedoria. Assim, o gato dormiria uma boa soneca deitado ao sol e os meninos aprenderiam que cada um tem direito ao seu próprio caminho.

 

Maria José Rijo

 

estou:

publicado por Maria José Rijo às 20:41
| comentar | Favorito
partilhar
5 comentários:
De Adalgisa Alexandra a 23 de Maio de 2009 às 21:40
Oh tia
Que texto bem giro e bem com lindas imagens -
como sempre.

Obrigado tia
por mais esta bonita publicação.
Muitos beijinhos

Gisa


De António Piedade a 23 de Maio de 2009 às 21:57
Excelente...
Muito bom este seu texto.
Concordo e ainda digo mais que hoje em dia muitos
dos desenhos animados é só violencia, guerras e
morte.
Parabens por mais esta sua opinião.
E muito obrigado por este magnifico blog .

Cumprimentos

António Piedade



De Dolores Maria a 23 de Maio de 2009 às 23:18
Oh Tia
Obrigado pelo seu comentário.
Sim por favor mostre-nos a sua orquidea, o
Avelino como sabe, adora orquideas e até aqui
seu trabalho é num orquidário.
Nós também temos cá em casa quatro vasos e
não temos mais porque o espaço é pouco porque
senão a nossa casa seria certamente a continuidade
do trabalho do meu Avelino.
Paixões!!

Gostamos muito deste texto, aliás todos eles têm
essa sua beleza de escrever - como só a nossa
querida tia é capaz de fazer.

Gostamos muito muito de si
Dolores
Avelino e Magé


De Aristeu a 23 de Maio de 2009 às 23:29
Olá Tia querida
Eu sei que as minhas palavras se repetem e que
vão todas dizer - adoro os seus textos - a sua
forma especial de escrever - a sua forma
fantástica e lucida de escrever.
Quando leio os seus textos vejo sempre os seus
olhos a brilhar e o seu sorriso - aquele sorriso
que me encantou de criança.
Impossivel de esquecer.
Muitos beijinhos tia querida

Aristeu


Ah o Gílinho foi buscar uma boiada e por lá anda
esperamos por ele brevemente.
Beijinhos

Aristeu


De Xavier Martins a 24 de Maio de 2009 às 00:11
Boa noite
Concordo com todos os comentarios anteriores e
eu ainda digo que este blog é uma benção.
Obrigado por nos dar a alegria de poder ler os
seus belissimos artigos.

Os meus Parabens minha amiga
Com muita admiração

Xavier Martins


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@