Terça-feira, 7 de Julho de 2009

Vou de férias…Deixo-vos em férias…

Á La´Minute

Jornal Linhas de Elvas

Nº 1.792 – 28 de Junho de 1985

 Vou de férias…

       

Deixo-vos em férias…

Quando regressar, se Deus quiser, voltarei ao vosso convívio, de que tanto gosto, com os “nossos” “A Lá Minute”.

A todos quantos me têm apoiado nos momentos de dúvida, e muitos são, em que a mim própria me interrogo do porquê e para quê do que faço ou digo – Obrigado!

     

Se é verdade que não desisto porque, ninguém que esteja vivo – pode desistir de ser quem é – também não é menos verdade que a palavra amiga que nos chega, na hora de maior inquietação, quando a duvida quase nos asfixia tem sido amparo e bordão.

Tem sido como que o ombro amigo onde se encosta a cabeça e se repousa; como que nos envolve e nos tranquiliza, porque nos reconhece como somos.

      

 

(Obrigada pelos seus postais – Amiga da minha maior consideração – Senhora Dona Maria Mateus).

           

E, se não quero deixar sem uma referência essa outra rajada de ternura de quem a mim aludiu escrevendo nos jornais de Elvas e não só, com a luz da sua própria alma – também me cabe agradecer aos que pensam que:

“Porque não tenho que fazer – faço colheres”…

 Todos – como eu – vibram com essa inquietação latente de que:

    

 

Estar vivo – já é um grito

Com raízes de infinito.

- É o grito de amar que dói

E dói saber dos que morrem

sem ter tempo de gritar…

É o grito de cada qual

É o seu jeito de estar

de dar testemunho e voz

e esse grito infinito

que foi herdado de aquém

e passa para além de nós.

 

 

 

Maria José Rijo

 

 

 

 

.

Estamos em 2009. É Julho.

É pleno Verão.

Estou de férias mais uma vez e ... TEMOS COMPUTADOR

A pergunta impõe-se :  - QUE É FEITO DE VÓS?

Vamos voltar à conversa - tenho saudades.

Beijinhos

 

Maria José

estou: Senhora Dona Maria Mateus

publicado por Maria José Rijo às 16:31
| comentar | Favorito
partilhar
13 comentários:
De Aristeu a 8 de Julho de 2009 às 09:05
Oh minha tão querida Tia
Finalmente regressou o Gilinho já queria ter ido a
Portugal saber o porquê da demora tão imensa.
Quando chego a universidade é a minha
primeira tarefa - saber se a minha tia já tinha
regressado.
E Já cá está Graças a Deus.
Vou dizer a todos.
Muitos e muitos beijinhos minha Tia
Obrigado por ter regressad.
Gostamos muito de si

Aristeu


De Maria José a 9 de Julho de 2009 às 16:08
Minha gente querida - bem queria não ter tido que estar tanto tempo sem saber de vós, mas... não vale a pena esmiuçar as causas, porque basta uma que era intransponível - não tenho ainda o meu computador, mas estando de férias com a nossa Paulinha assim se arranjou a "ponte" por onde passo para chegar até vós.
Estou àvida de notícias e "babada" de mimo pela preocupação que mereci ao meu Gilinho.
Como vai o romance do nosso romântico Julião pela sua bela "Gata" e a sua criação de gatinhos?
Beijinhos para todos com a mais grata saudade
Tia Zé



De Flor do Cardo a 10 de Julho de 2009 às 12:52
CAra Maria José
Que bom que regressou a este convivio diário
A este nosso "conversar" de que muito me orgulho
e me honra, verdade seja dita.
Conversar com a senhora, mesmo por aqui, é o
melhor do mundo.
Alguém que olha e entende como nós a vida.
Muito obrigado por ter voltado.

O Gilinho este mesmo para se enfiar num avião e ir
saber de si. Estava já tão preocupado. Na verdade
ele não escreve muito, mas todos os dias vem aqui
ler o que estiver e comenta sempre comnosco.
É a única tia escritora (como ele diz) que tem em
Portugal e mostra o seu blog a todos os amigos e
amigas.
Fico contente por esta amizade ter nascido assim.

Agora sobre o compadre Julião devo dizer-lhe que
anda num passeio por todo o Brasil. Compraram uma
caravana e querem percorrer tudo quanto é canto.
Onde param manda-nos um postal.
Está felicissimo com a gata dele.
Se o Gilinho tivesse o Dom da tia já tinha feito um
romance com as histórias que acontecem nesta casa.

Pode rir a vontade que isto só dá mesmo para rir.
Minha amiga que tenha umas férias optimas e que
seja Feliz.
Na nossa idade nem sempre é facil mas temos de
fazer por isso.

Um abraço

Luciano


De maria José a 13 de Julho de 2009 às 19:50
Meu querido Amigo
Aqui estamos de novo na Manta-Rôta vivendo o mesmo encantamento do mar morno e da areia fina.
O tempo tem estado bom, a única diferença está em mim. Já me satisfaz ficar na varanda a olhar de longe.
Deixaram de me apetecer as longas horas de praia.
Talvez, por isso, ainda admire mais o nosso " heroi viajante". É admirável que naquela idade tenha tais assomos de esperança que lhe permitam acreditar que a juventude ainda o acompanha.
Admiro a coragem embora sorria da loucura
Uma coisa boa para mim é ter o computador da Paula ao dispor. Já me atormentava nada saber dos meus Amigos de cada dia"- faziam-me falta as vossas companhias, até porque desconhecendo mails, telefones e direcções nem dava para um postal que sossegasse o meu Gilinho.Porém já tudo voltou à rotina, graças a Deus e assim cá nos vamos acompanhando nas evocações, nas saudades, e, nas esperanças das nossas já longas vidas.
Um abraço de coração para todos da vossa
Maria José


De Adalgisa Alexandra a 8 de Julho de 2009 às 09:42
Oh Tia
Estou tão FELIZ por ter regressado a esta nossa
casa.
Já pensava que se tinha esquecido de nós... cá longe
de si - mas acredite que também tão perto do
coração.
Faz-me muita falta as actualizações do seu lindo blog.
Gosto muito de si.
Beijinhos e obrigado por estar de novo on line
com o seu pc bom de novo.
Gosto muito de si

Gisa


De Maria José a 9 de Julho de 2009 às 16:29
Minha querida Gisa
Creia que muitas vezes me preocupava pensando que vos afligiria o meu sillêncio, porém mantive sempre a esperança de que não estivesse tanto tempo sem net. Neste momento tenho o problema resolvido e quando chegar a casa já lá terei o meu fiel confidente - se não terei que me candidatar a
um Magalhães...
Também eu senti uma enorme alegria por vos ter reencontrado.Sem dúvida que a vossa companhia faz parte do aconchego do meu coração.
Beijinhos e muito muito obrigada por ter aparecido tão prontamente - tia Zé


De Gustavo Frederich a 8 de Julho de 2009 às 15:19
Estar vivo – já é um grito

Com raízes de infinito.

- É o grito de amar que dói

E dói saber dos que morrem

sem ter tempo de gritar…

É o grito de cada qual

É o seu jeito de estar

de dar testemunho e voz

e esse grito infinito

que foi herdado de aquém

e passa para além de nós.

....................


LINDO tia.
Parabens e ainda bem que regressou já estava a
pensar o pior - o que lamento - mas a angustia
quabrava-me por dentro, tirava-me o sossego.
Aqui é o nosso ponto de encontro sem ele é como
se eu fosse um barco que estivesse perdido no meio
do oceano.
Mas que bom que voltou.
Fico mesmo muito Feliz com este regresso especial.

Por aqui ... cá vamos andando... nesta luta diária
pela vida e com a vida.
O Padre Anton teve de voltar para a cidade dele
e esperar a autorização para mudar de paróquia,
pais e mais uma série de burocracias - ainda nem
sabe se lhe é permitida a tal mudança.
Mas voltou e eu estou só com as pessoas e bichos
do costume.
Nada de novo por estes meus caminhos- de momento
feitos de saudades do passado.
Calam-me bem fundo.

Estive adoentado e fui ao médico - claro o que eu
já sabia mas não queria - uma depressão que não
veio acomodar-se numa hora errada.
Estou de férias tentando tira-la das minhas costas
mas nem vontade tenho de lutar. Uma inércia imensa
como se carregasse, nas costas, o mal da humanidade.
Nem sei se resistirei a tanta pressão.

Perdoe-me este desabafo tia. Parecer-lhe á
estranho mas eu sou dado a muitas zonas escuras
numa mente que parece olhar, com gosto a vida.
Mas nem tudo é escuridão.
Olho neste instante a floresta negra e sinto uma
vontade imensa, indiscritivel de me envolver nela
- quem sabe criar raizes e ficar a olhar o céu...

Muitos beijinhos e seja bem vinda
Senhora minha querida tia

Gus

Só o seu regresso me deu alegria.
Obrigado Tia querida


De Maria José a 9 de Julho de 2009 às 17:06
Gus Querido - qualquer coisa me segreda que lhe fiz mal sem o querer o que muito me penaliza.
Na verdade o meu portátil ainda está fora de casa
e a minha "relíquia", onde ainda escrevo, não dá para a net. Também é verdade que ainda não consegui recompor-me em absoluto do tremendo susto que vivi com a minha irmã e que isso me atirou para uma nova experiência - depressão - que me mostrou uma pessoa diferente que pelos vistos também sou eu.
Agora, com o mar pela frente, o que sempre me conforta - e de novo com os meus amigos, que tanta e tão boa companhia dão à minha vida espero ser capaz de estar convosco dia a dia como é desejo do meu coração.
Porque não vem até este Algarve onde gostaríamos tanto de o ver.Acredita que tenho saudades suas?
Espero que o padre Anton consiga a mudança que tanto desejam.
Beijinhos grandes da tia Zé


De Gustavo Frederich a 10 de Julho de 2009 às 12:23
Querida Tia
Muito grato pela sua amizade e dedicação. As suas
palavras são-me sempre muito queridas, fazem-me
sempre tão bem, fico sempre tão mais feliz.
Acredite que também adoraria poder estar ai consigo
nesse maravilhoso Algarve, mas no momento não me
é possivel sair daqui.
Sobre o padre Anton estou muito aborrecido porque
não sabemos como mas apanhou a tal, a terrorifica
gripe da moda e está muito mal no hospital.
Tenho hoje de apanhar um avião e ir visita-lo.
Espero em Deus que tudo seja apenas um susto.
Depois lhe darei noticias.
Boas Férias e por favor SEJA FELIZ - faça-me esse
favor - cuide de si - porque é um ser PRECIOSO
Um ser que merece o melhor do mundo.
Mime-se e deixe-se mimar. O Mimo faz a alma de
cada um sorrir.
Adoro-a
Muitos beijinhos
do seu sobrinho

Gus


De Maria josé a 13 de Julho de 2009 às 20:17
Querido Gus
Estou desejando saber se o seu amigo já está melhor.
Espero em Deus que sim e, peço-lhe, por favor, que não nos deixe sem notícias
Beijinhos - tia Zé


De poetaporkedeusker a 8 de Julho de 2009 às 16:41
Tem razão, minha amiga. Também a mim me passou pela cabeça a ideia de perguntra, um dia, se valeria, ou não, a pena todo este esforço... e vale. Vale mesmo!
Que tenha umas férias magníficas e repousantes!
Maria João


De Maria José a 9 de Julho de 2009 às 17:22
Obrigada Amiga pelos votos e boas férias e pelo prémio que só não está on-line porque a imagem não está visivel e, portanto, impossível de copiar.
De qualquer modo grata, de verdade, pela sua estima que retribuo muito afectuosamente.
Tenho a impressão que todos nós, não uma vez apenas, mas muitas, sofremos a angustia da dúvida...
Beijinhos-Maria José


De poetaporkedeusker a 10 de Julho de 2009 às 10:57
Sim. Eu também assim penso, minha amiga. A angústia da dúvida é inerente à nossa humana condição.
Peço desculpa por não ter a imagem visível... estou no Centro de Juventude de Oeiras e trabalho um tanto às cegas no que respeita à imagem. Estou com esse acesso condicionado há umas duas semanas. Talvez um pouco mais.
Um grande e respeitoso abraço.


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@