Segunda-feira, 13 de Julho de 2009

Da criança nasce a esperança…

Á Lá Minute

Jornal Linhas de Elvas

Nº 1.841 – 13 de Junho de 1986

 Da criança nasce a esperança…

 

Quando ouvi na televisão, o irmão da Drª. Leonor Beleza, contar que quando ambos eram pequenos ela lhe batia, e depois tocava a campainha com força para que não o ouvissem chorar – fiquei a pensar que garota engraçada e viva, cheia de expediente ela deveria ter sido – para além de bonita, como ainda é.

         

Depois lembrei-me como às pessoas da minha idade sempre apetece contar à criançada historietas breves, ás vezes aparentemente sem sentido – mas que escondem quase sempre, conceitos morais que assim se transmitem de geração em geração.

           

Julgo que não há ninguém, que ao menos, uma vez, não tenha segurado com carinho na mão sapudinha duma criança saudável, ou na mãozinha frágil de um menino doente, tentando cativar-lhe um sorriso – a dizer enquanto lhe afasta docemente os dedinhos:

Este achou o ovo

Este pô-lo a assar

Este deitou-lhe sal

Este o provou

E

Este o papou.

 

E, o polegar, porque em qualquer mão é sempre o mais gordinho – nestes contos de dedos, faz invariavelmente, o papel de vilão.

                       

Porém, quer esta, quer algumas outras brincadeiras semelhantes, dão apoio ao vulgaríssimo conceito de que: - os dedos das mãos não são iguais - quando se quer significar que cada individuo tem diferente compleição física, diferente temperamento, diferente gosto ou capacidade – Enfim! – Aptidões diferentes para percursos próprios – diferentes destinos – em suma.

             

Pode ainda, julgo eu, envolver a apreciação mais ou menos velada de um juízo de valor sobre o próximo.

Esta ou outras interpretações terão, umas mais do que outras, cabimento, porém, qualquer que seja deixa sempre o polegar em maus lençóis.

 

Não sei se é tarde, se é cedo, sequer sei, se ainda é tempo de contar à criancinha que a Senhora Ministra da Saúde foi – esta história popular.

 O que eu sei e todos sabemos é que não há campainhas que toquem tão alto que ofusquem a voz de qualquer consciência!

 

E, saber isso, dá-nos esperança.

 

Maria José Rijo

 

estou: Criança - 1986

publicado por Maria José Rijo às 15:13
| comentar | Favorito
partilhar
14 comentários:
De Maria JoséQ a 13 de Julho de 2009 às 20:37
Querida Dolores e Família - quando abrir o computador gosto de pensar que ficará contente por saber que temos saudades suas e das suas notícias.
Queriamos também saber as gracinhas que a Bagé

Também nos fazem falta as notícias de
todos os nossos outros familiares
Cilene
Luis Carlos
Augusta Silva Torres
Xavier Martins
Cita só os nomes dos que costumam estar mais vezes connosc embora tenhamos todos na nossa amizade e considração
um abraço grande - Maria josé


De Cilene a 14 de Julho de 2009 às 17:00
SURPRESA
Mas que grande surpresa eu encontrar aqui a
Senhora e a perguntar pela minha pessoa.
Eu estou bem - feliz e tenho um marido muito bom
que mi dá muito carinho.
Tou mesmo mt feliz.
E a Tia também está Féliz?
Já li que está de férias, isso é mesmo muito bom.
Espero e desejo que a Tia se sinta feliz.
Na sua idade a alegria é o melhor do mundo, como
dizia minha mãe de leite.
Gosto mesmo mt de si minha Tia querida
Muitos beijinhos no seu lindo coração
Cilene


De Maria José a 15 de Julho de 2009 às 22:58
Que alegria saber notícias suas - querida Cilene - e optimas como era meu desejo.
Que a vida lhe abra caminhos de Luz e que sejam sempre de alegria as notícias que nos der.
Beijinhos de todo o coração da tia- zé


De Dolores e Avelino a 14 de Julho de 2009 às 16:53
Minha tão querida tiazinha
desculpe a nossa falha imensa mas tivemos de
ir passar umas semanas ao campo para casa de um
amigo do Avelino porque a nossa prima apanhou
a tal gripe A e tivemos quase fugidos por causa da
Bagé. Voltamos no outro dia porque a prima está
hospitalizada mas não se assuste porque qualquer
dia já está de volta a casa.
Foi realmente mais um grande susto nada mais que
isso.
Muitos beijinhos e ainda bem que já tem o seu pc
de novo. Estams feliz por este comentário.
Muito grata minha Tia

Muitos beijinhos

Dolores e Avelino


De Maria josé a 15 de Julho de 2009 às 23:15
Meus queridos - fiquei feliz por voltar a saber de vós.
Já tinha saudades.
Faço ideia do susto que tiveram com aproximidade da gripe que traz todo o mundo preocupado.
Graças a Deus que se puderam defender e muito principalmente também, pela menina que é ainda tão pequenina.
Felizmente a nossa Paulinha trouxe o computadorr para retomarmos o nosso convívio.
Beijinhos para todos e obrigada por terem voltado a estar connosco.
de todo o coração - tia zé


De Dolores a 16 de Julho de 2009 às 19:49
Querida tiazinha
Nem imagina como foi... um susto mas já passou
Graças a Deus.
A nossa menina está cada dia mais linda e faz tanto
lembrar a mãe que até faz doer a nossa alma. Mas
então teve de ser assim desta forma e é assim que
vai ser...

Nós é que muito lhe agradecemos imenso o facto
de nos receber aqui nesta sua casa e de nos
responder como sempre fáz.
Gostamos tanto de si. Acredite porque é verdade.
Agora vamos jantar.
Para festejar o nosso regresso a casa e as melhoras
da prima assei um leitãozinho - o Marquinho que
está um apetite.

Muitos beijinhos tia querida

DOLORES
AVELINO e Bagézinha


De Maria José a 17 de Julho de 2009 às 22:49
Meus queridos
Que alegria ter voltado a saber as vossas notícias , muito principalmente porque elas são notícias felizes.
Imagino como estará linda a pequena princesa e, como a presença dela aquece os vossos corações.
que as vossas vidas continuem a correr em bem e que a saude não vos falte.
beijinos e saudades da tia Zé


De Gustavo Frederich a 15 de Julho de 2009 às 12:02
Querida tia
passei mesmo apenas para dizer
que o padre Anton partiu.
Um beijinho

Gus


De Maria José a 15 de Julho de 2009 às 23:39
Meu querido - já reparou quantas dores e sofrimento temos partilhado nestes escassos anos em que começamos a conviver?
Verdade que também temos repartido as alegrias que a vida também nos tem trazido.
Porém, de cada vez que nos bate à porta mais uma perda irremediável parece que esquecemos tudo de bom que também já nos aconteceu e só a amargura se agarra a nós como uma nova pele.
Eu sei que é terrivelmente difícil, sei, mas por favor
meu Querido pense nessa dádiva maravilhosa que foi, e é ,ter Amigos - Irmãos - como esse que acaba de saír do seu convívio, mas não do seu coração.
Tanta gente passa na vida sem conhecer essa felicidade de que o seu sofrimento dá a medida...
Bem gostaria de estar a seu lado e ouvi-lo até que
a sua mágoa se ajeitasse na sua alma, ou simplesmente o pudesse fazer sentir que estou a seu lado.
Abraça-o com muita força a sua tia Zé


De Gustavo Frederich a 16 de Julho de 2009 às 19:53
Oh tia
muito obrigado pelas suas palavras feitas de mimo.
Era assim que me consolaria a minha tia que partiu...
A tia é tão querida para mim.
Acredite que as suas palavras são tão importantes
que nem sei como explicar o que sinto e senti ao
le-las.

Agora cá estou eu olhando aquelas belas árvores
e desejando ser uma delas - assim lá - lá ao fundo
bem na linha do horizonte - não estaria só...
teria a companhia da terra e do céu...

Por favor tia não me deixe...
Preciso muito de si...
Hoje estou assim...

Beijinhos tia querida fique com Deus

Gus


De Maria José a 17 de Julho de 2009 às 23:12
Gus - meu sobrinho querido
Queria muito saber a palavra certa que pudesse aliviar a sua tristeza.
Queria muito saber como se faz para tirar a solidão que nos invade frente ao irremediável...
Queria muito saber desfazer aquela dolorosa sensação de impotencia perante a adversidade que quase nos esmaga quando a morte nos impôe o fim da vivência dum afecto...
Queria muito...essas e outras coisas misteriosas e milagrosas que pudessem resolver o que não posso nem sei...
Resta-me assim confessar a minha frustação e dizer que lhe quero muito bem e gostaria de o saber feliz
Melhor : que preciso de voltar a sabe-o feliz
Beijinhos - tia Zé


De Xavier Martins a 15 de Julho de 2009 às 12:04
Muito bom dia
Depois de umas férias que muito me souberam
a pouco - estive em Praga - em casa de uns amigos.
Foram dias magnificos.

Voltamos pois hoje ao nosso convivio.
Desejo-lhe também umas optimas férias.
Um abraço

Xavier martins


De Maria José a 15 de Julho de 2009 às 23:49
Xavier Martins - parabens pelas suas belas férias e obrigada por voltar a estar connosco.
Como de há cinquenta anos para cá , estamos aqui pela Manta Rôta e, pela primeira vez na minha vida
passo dias sem ir ao mar. Bem sei que o vejo da varanda mas...tudo muda com o tempo.
Um abraço amigo da Maria José Rijo


De Roberto Loureiro a 15 de Julho de 2009 às 22:46
Prezada Maria José,
Obrigadíssimo pela sua atenção. Gostaria imensamente de conversar com você sobre o Fialho e sobre o Alentejo, lugar que me traz as melhores lembranças do tempo em que vivi em Portugal.
Mas penso que eu é que vou aprender com a Maria José, e não o contrário. O motivo que me move é um curso sobre escritores portugueses que acontecerá no Real Gabinete Português de Leitura e o Fialho de Almeida será um desses autores.
Aguardo ansiosamente o seu contato.


Um abraço,
Roberto


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@