Quarta-feira, 22 de Julho de 2009

Qual é a coisa qual é ela…

Á Lá Minute

Jornal Linhas de Elvas

Nº 2.031 – 23 Fevereiro de 1990

 Qual é a coisa qual é ela…

 

Qual é a coisa qual é ela,

Que deixa a gente amarela, pasmada, sem fala,

Entre o dó e a ira – até parece mentira –

Faz corar de vergonha, encobre peçonha, é ofensa,

Para quem trabalha e pensa, e sente o direito

De exigir respeito de ser tratado bem,

Direito que paga… direito que tem…

É coisa sem graça, é pretensiosa, rançosa, tinhosa,

Se fosse comida era vomitada,

Se fosse bebida era deslavada,

Se fosse farinha, só farelo tinha,

É descabida, como um palavrão,

Não é divertida, parece invertida

Por não se entender o que quer ser,

Passa-se algures em fundo piroso

E debaixo do chão é pesada e grosseira, até mais não,

Não tem pés, nem cabeça e sem que o mereça foi muito gabada,

Falada, mimada, cantada e tida como obra querida,

E foi mostrada com tal unção que não é a toa

Que o povo interroga como é possível impingir tal droga.

Tão cara mistela (Quanto custa aquilo? – não é bagatela??!)

A quem tantas vezes depois do emprego cansado – ao serão,

Ainda cozinha, passa a ferro e lava a roupa e o chão,

E só tem por escape

Sem outra opção;

Um programinha de televisão.

 

Maria José Rijo

 

Solução:

CASINO ROYAL

 

estou: Qual é a coisa qual é ela…

publicado por Maria José Rijo às 21:41
| comentar | Favorito
partilhar
8 comentários:
De Gustavo Frederich a 22 de Julho de 2009 às 21:56
Minha querida Tia

O tempo é feito de tristes dias e até de muitas
noites escuras, onde na busca de afectos, a nossa
alma fica presa a pequenos pormenores de olhares
e gestos que marcam cenas e olhares na alma.

Por vezes aqui e tão longe de si, dou comigo a
conversar com a tia, coisas de que realmente eu
que gosta e quer conversar.
Quando os meus gatos se aproximam de mim,
muitas das vezes o meu espirito parece estar longe,
o que a eles não passa desapercebido e então
ficam mimalhos dão-me marradinhas com a
cabeça, eu sei que entende o que diz - os seus gatos
certamente lhe fariam o mesmo - só que aqui são
dois bosques que romroneiam como se me dessem
dessa alegria que eles têm para dar...
Nem sei tia mas tinha e precisava tanto que
estivesse aqui comigo.

Além de tudo o que aconteceu mais uma tristeza
se aproximou desta minha casa.
O meu jardineiro japones morreu esta semana
com a gripe A que ataca o mundo.

Estou realmente confuso e triste.
Espero que a tia esteja melhor - lute para sorrir.
Gosto muito de si

Do seu sobrinho

Gus


De Maria José a 22 de Julho de 2009 às 22:22

Meu querido sobrinho
já estamos de novo em Elvas e estas mudanças
têm contribuido muito para alterar a nossa assiduidade
no blog.
Vamos lá ver se agora, depois das malas desfeitas
e tudo arrumadinho voltamos ao nosso ritmo
porque, acredite as vossas noticias fazem tanto
parte da nossa vida que quando não a recebemos
ficamos sempre inquietas.

Sossegou-me saber de si porque essa maravilhosa
sensibilidade que se capta em tudo quanto o Gus
escreve também dá a medida de quanto sofre
quando a vida o agride.
Também gosto muito de si e bem gostaria de
conviver consigo mais de perto e nunca o esqueço
nas minhas orações.

Beijinhos

Tia Zé


De Gustavo Frederich a 23 de Julho de 2009 às 21:12
Minha querida Tia
Nem imagina como é bem ter esta forma de
poder contactar consigo.
Desde os primeiros textos neste blog - que tenho
o prazer de ler - bem posso dizer - quase desde o
primeiro ou segundo dia - que foi a sua extrema
sensibilidade que me fez apaixonar por este seu
bello cantinho.
É uma paixão a forma como a Tia escreve e
consegue prender a minha sensibilidade a sua.

Há algo dentro de si que se liga a esta minha
alma errante - bem cá deste lado do mundo com
algumas gerações pelo meio.
O nosso amigo Padre gostava imenso da sua poesia
e acho que a sua forma de olhar e falar da vida -
dessa sua forma de a entender e dela falar - o
fascinou até ao fim.
Permita-me que lhe conte que junto do seu livro
de orações o nosso amigo tinha vários do seu
poemas - que ele dizia serem orações muitos
lindas.
Comove-me pensar nele...
Desculpe minha tia ...
Muitos beijinhos


Gus


De Aristeu a 23 de Julho de 2009 às 21:41
Muito boa noite
Senhora minha Tia

Finalmente consigo chegar aqui e sentar-me a seu
lado.
É bom estar aqui sentado a seu lado só falta mesmo
ouvir a sua voz nos meus ouvidos. Mas isso
consegue-se com um pouco de imaginação - é
assim que o Gilinho diz.

Sabe tia que o Gilinho e o meu Pai foram oferecer
uma série de livros para a biblioteca da universidade
e levaram cópias do seus livros de Poemas e das
rezas e Benzeduras para que os alunos possam
ler e consultar.
Estamos todos muito satisfeitos com este gesto.
Esperamos que a Tia também tenha gostado da
ideia.
O Gilinho, sempre apoiado pelo meu Pai, vão agora
fazer nais cópias e enviar para muitas outras
universidades do Brasil.
Eu também apoio esta ideia porque acho que o seu
nome tem de ficar conhecido.
Esperamos que se não aborreça.
Gostamos muito de si.

Ah sobre o nosso amigo Julião quero contar-lhe
que já regressou e muito triste porque o novo
amor deixou-o por outro então regressou triste,
muito triste e passa os dias no quarto fechado
e praticamente nem quer comer.
Como vê a história parece que vai começar
novamente, bom, antes será II parte.
Depois contamos...
Muitos beijinhos
e desejo que esteja bem e que se sinta melhor.
Melhor e mais feliz - até eu me sinto melhor se a
minha tia também estiver.

Muitos beijinhos

Aristeu


De Adalgisa Alexandra a 23 de Julho de 2009 às 22:06
Olá tia
Desculpe a minha ausencia mas estive de férias
em França e voltei ontem.
Foi uma viagem maravilhosa, um passeio muito
interessante.
Espero que a Tia esteja bem e que esteja bem
melhor de saúde tal e qual como s sua mana, que
se bem me lembro estava doentinha.

Muitos beijinhos

Gisa


De Xavier Martins a 24 de Julho de 2009 às 20:46
Minha Boa amiga
Que bom voltar ao seu blog, realmente posso
sinceramente afirmar que me faz falta os Seus
blogs - sinceramente que sim.

Já outras vezes tenho aqui dito - e agora repito -
que gosto imenso imenso da sua forma de escrita
da forma - como muitos aqui neste mesmo blog
repetem - da forma especial como a Senhora
fala da vida - da grandeza da vida - os seus
pensamentos e palavras conseguem - ameu ver -
engrandecer a vida.

Grato lhe estou eu minha Amiga
por ter esta maravilha de Prosa e Poesia
on Line - para bem de todos quantos possam
aprender e gostar de tudo quanto aqui se diz.
Muito obrigado minha Senhora.

Deste seu admirador
Xavier Martins


De Giane a 26 de Julho de 2009 às 11:48
Cara Maria José;

Antes era "pão e circo".
Agora é "sanduíche e televisão".

Beijos mil!!!


De Maria José a 5 de Agosto de 2009 às 18:50
Giane - como nos entendemos!!!
Beijinhos - maria José


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 55 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Apresentação do Livro de ...

. O Natal e os Poetas - 201...

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@