Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009

O meu comício!

A lá Minute

Jornal Linhas de Elvas

Nº 1.824 – 14 de Fevereiro de 1986

O meu comício!

 

A campanha está no auge!

Parece a cantiga; ora agora dizes tu – ora agora digo eu – agora dizes tu – dizes tu mais eu!

E, Deus do céu! – As coisas que me dizem!

E, Deus do céu – As coisas que se insinuam e nem se ousam dizer! – E nem se ousam dizer! E que, como tal, têm apenas a leitura possível da pureza de coração de quem as escuta.

             

É verdade a campanha está no auge. O “cheiro a sardinha assada” – embebeda o ar e, cada um puxando a brasa para o seu lado.

Da minha janela olho. Da minha casa escuto, que por todas as frestas de portas e janelas nos entram os ventos da história que em histórias de verdade e mentiras emaranhadas se aventam como crianças que riem soltando papagaios de papel.

Da minha janela olho. À minha janela penso: deve ser a hora! – É por certo a hora de começar também a minha campanha – o meu recado a Elvas.

Também assim.

Elvenses! Esta é a vossa cidade, tomai-a – como ela é – pertença vossa!

Não a deixeis emporcalhar – não deixeis que a belisquem, sequer! - Cada canto e recanto, é vosso – usai-o com o respeito que a tudo se deve.

Levai os vossos amigos e, ide vós, visitar o vosso museu - as vossas igrejas – os vossos monumentos – com o orgulho de quem sabe e sente que está usufruindo de uma herança que século após século, outras gerações conservaram para vós – para nós.

Ganhe quem ganhar! – Nós é que não podemos nem devemos perder! – É esta a Vitória que está apenas nas nossas mãos porque só depende do nosso empenho e da nossa vontade. Vamos tornar para nós, seus habitantes, a mordomia da nossa cidade. Vamos cuidar e defender Elvas desde as suas árvores, aos seus monumentos, ao seu casario bonito, aos bancos e às flores dos jardins, ao asseio das suas ruas, de tudo em pormenor até aos pardais dos telhados e às pombas branquinhas do parque da Piedade.

Vamos? Vamos de verdade?

Ganharemos se não se perder em nós este espírito de campanha – esta febre de alta de comício em que a fé e a esperança no futuro dão asas e horizontes aos sonhos de ideal que mesmo em segredo todos acalentamos.

“Entregar Elvas a Elvas” pode também ser o grito de um propósito a ecoar de rua em rua…

.

Maria José Rijo

 

estou: O meu comício!- 1986

publicado por Maria José Rijo às 23:00
| comentar | Favorito
partilhar
7 comentários:
De António Piedade a 24 de Setembro de 2009 às 00:06
Belo texto.
Belo Comicio.
A senhora só pode amar a sua cidade.
Os meus Parabens
Com admiração
António Piedade


De Aristeu a 24 de Setembro de 2009 às 00:14
Tia
Adorei este artigo, o meu pai já tinha falado nele
porque anda sempre a ler ou aquele outro texto.
Porque se recorda e vai ler. Chama a Mag e lê e
conversam os dois e vice versa.
Resumindo Adoram os seus artigos.

Estas fotos são de uma grande beleza. Quem
conhece a cidade fica encantado com os recantos.
Aliás o Gilinho que adora fotografia diz que são
sempre belissimas.

Tia querida neste mês de São Mateus recordo-me
sempre de ir na procissão, e de uma vez a ter
visto a ver. Acredita que ainda vejo o seu sorriso.
E era lindo e dava-me paz e carinho.
Coisas de criança que até hoje não esqueceu nem
vou esquecer...

Gosto muito de si.
Muitos beijinhos

Aristeu

E a tia como está?
E a tia Barbara?
Muitos beijinhos


De Xavier Martins a 24 de Setembro de 2009 às 00:23
Excelente!
De 1986 - mas para mim está actualissimo.
É bonito ver como algumas pessoas gosto da cidade.
Não é toda a gente que consegue dizer o que aqui se
diz, e da forma como está transmitido para quem quer
"ouvir".
Os meus sinceros Parabens .
Adorei ler o seu comicio.!

A lucidez está sempre em cada um dos seus
artigos como uma marca.

Muitos Parabens
Xavier Martins


De Gustavo Frederich a 24 de Setembro de 2009 às 01:04
Olá tia querida
Como está? Espero e desejo que bem.
Mais um texto com um comicio muito bom.
Se todos os politicos tivesses tanto amor pelas
cidades onde vivem e trabalham - tudo seria tão
melhor.
Mas o que conta é aumentar o saldo bancário, nada
mais. É por isso que a politica a mim me passa bem
ao lado.

Mas gostei muito do seu comicio.
Só uma pessoa como a Senhora minha Tia
conseguiria ter uma alma assim - capaz de amar
essa cidade que a acolheu.

Tia já tenho três gatinhos - não bosques da Noruega
mas uns que os meus empregados trouxeram cá
para casa - uma familia de gatos brancos -
imaculados. Lindos.
Mas até tenho receio de me afeiçoar a eles...
tudo o que gosta de mim morre...
não entendo...

beijinhos tia querida e por favor cuide-se
Gostos mesmo muito de si.

Gus


De Virgilio Fernandes a 25 de Setembro de 2009 às 00:10
Olá Tiazinha
A tia está bem? Melhorzinha?
Espero que sim e gosto muito da minha tia, que o
meu Pai recorda sempre com grande ternura e
fala como se ainda criança, a estivesse a olhar.

Tia vou ser Pai.
A Maria José -- Jôse -- é uma querida.
Estou muito Feliz e espero a tia fique feliz também.
Espero goste desta FELIZ coincidencia dos nomes.
Foi aí - nesse primeiro pormenor que me encantei.

Beijinhos minha Tia querida
Gilinho


De Luis carlos Presti a 25 de Setembro de 2009 às 00:28
Minha querida Tia
E como está? Como se sente?
Li os comentários de fio a pavio e ...
a tia está doente? Que tem?
estou tão preocupado.
Oh tiazinha responda-me, responde?
Mil beijinhos
e as suas melhoras.

Luis Carlos Presti


De Dolores e Avelino a 25 de Setembro de 2009 às 00:34
Tiazinha
e como está? Espero que esteja melhorzinha e a
sua mana? Como estão?
Espero e desejo que melhores de saúde.
Com o São Mateus na porta de casa.

O Avelino tem aqui uma orquidea num vaso que
diz que é a sua e ele cuida dela com grande
preocupação. Está Linda. "A Magé diz foli tia zéi"
Está tão engraçadinha.

Muitos beijinhos tia

Dolores
Avelino e Magé


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

. OLÁ Dolores

. 2007 - 2017 = 10 º Aniver...

. ENCONTROS DE CIRCUNSTÂNCI...

. Recado para os Sobrinhos ...

. Saudades

. A Feira de São Mateus 201...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@