Sábado, 10 de Outubro de 2009

"desabafo"

Para todos vós, como um aceno dirigido em especial a cada um, aqui fica este –

.

 "desabafo"

Dizer - eu dizia
- quero, não quero...
e, queria e não queria...
e, fiz o que fiz
- e o que queria
nem sempre fazia
- e ganhei perdendo
e perdi ganhando
dia após dia!
- que a luta é a Vida!
- e o sonho o caminho
que tenta e encanta...
e, só contra o vento
o vôo se alevanta!

saudades

-

Maria José Rijo

 

estou: "desabafo"

publicado por Maria José Rijo às 21:54
| comentar | Favorito
partilhar
11 comentários:
De Adalgisa Alexandra a 10 de Outubro de 2009 às 22:07
Lindo o seu poema, minha tia.
Adoro quando publica poemas no seu blog.
São sempre tão belos e profundos.
Adoro-os.
Os meus Parabens

Gisa


De Gustavo Frederich a 10 de Outubro de 2009 às 22:23
Perfeito
Especial
Sentido como todos os seus poemas.
Sabe que fico sempre deliciado quando tenho esta
oportunidade - de poder sentir os seus poemas.
É como pisar os seus passos, ouvir o som do seu
coração.
Gosto muito minha tia deste seu poema. É lindo
como tudo o que a tia escreve.

Um grande beijinho
Do seu sobrinho

Gus


De António Piedade a 10 de Outubro de 2009 às 22:25
Magnifico o seu poema.
Os meus Parabens minha senhora
por mais esta sua maravilha.

Um abraço
e amanhã não se esqueça de ir votar.
Vamos diminuir a abstenção.

Com admiração

António Piedade


De Xavier Martins a 10 de Outubro de 2009 às 22:29
Magnifico, admiravel este seu poema.
Saudades já tinha eu de os ver aqui para os ler.
Adoramos eu e a minha mulher.
Ela até já o copiou para o livro que está a fazer
dos seus belos poemas e artigos.

Da nossa parte
receba um beijinho de Parabens por mais esta
maravilha de poema

Xavier Martins


De Maria João Oliveira a 11 de Outubro de 2009 às 01:44
Olá, amiga Maria José!...

Permita que a trate assim. "Conheço-a", há muito, através da beleza deste blog. Em 5/12/07, por exemplo, guardei, em Word, um belíssimo poema seu intitulado "O meu riso". Um poema que não me canso de reler. Visitá-la é visitar as cores, os cheiros, os sons, os sabores do meu saudoso e amado Alentejo.
Lembro-me sempre de si, quando o visito, mas ainda não consegui comunicar consigo e o sonho de a encontrar pessoalmente continua adiado.
Em Abril, estive presente numa homenagem à minha Mãe, quarenta anos depois, em Prazeres-Monforte, com o seu nome atribuído à escola onde deu aulas, durante mais de vinte anos e com muitos alunos que vieram de vários pontos do país. Foi lindíssimo! Escrevi, sobre aquele inesquecível evento, um texto que eu gostava de lhe oferecer.
Tenho também uma grande paixão pela escrita. Já publiquei alguns livros. Há imensas coisas que eu gostaria de partilhar consigo, quando regressar ao Alentejo.
No passado dia 3, estive em Castelo de Vide, para receber um prémio que foi atribuído a um ensaio biográfico que escrevi sobre Salgueiro Maia, uma pessoa especial a quem devemos uma revolução com flores nos canos das armas. E, mais uma vez, me lembrei de si. Ainda não perdi a esperança de a conhecer pessoalmente. Ajude-me a realizar este sonho, peço-lhe!
Muito obrigada por ser como é!
Com muita admiração e amizade, deixo aqui um grande abraço, para si, amiga.

Maria João Oliveira


De Nicolau Demetrio a 11 de Outubro de 2009 às 18:37
Lindo este seu poema.
Adoro a sua alma. A forma como se expressa
é belissima.
Os meus Parabens minha Senhora.
Com amizade

Nicolau Demetrio


De Luciano Baptista a 11 de Outubro de 2009 às 18:40
Oh que lindo poema.
Vou coincidir com todos os que aqui comentam.
É que eu Adorei, adoro os seus poemas.
Venho cá muitas vezes, quase todos os dias e
comento sempre que algo me apaixona.
Os seus poemas são excelentes e identifico-me
sempre com eles.
Os meus Parabens
Com muita ternura

Luciano Baptista


De Gabriel Vasco de Lima a 11 de Outubro de 2009 às 18:47
Muito boa tarde D. Maria José Rijo
Quero muito agradecer-lhe este blog on-line
porque sem ele - não conseguiriamos ter acesso
a esta sua maravilhosa PROSA e POESIA
como este poema de hoje.
É simplesmente maravilhoso, como tudo o que
aqui é publicado.
Os meus sinceros Parabens e muito grato por
a Senhora nos dar esta oportunidade de ler tudo
o que escreve.

Sinceramente
este seu admirador
Gabriel Vasco de Lima


De Aristeu a 11 de Outubro de 2009 às 19:13
Minha queridinha tia
E como é que está? Como se sente?
Sei que hoje em Elvas é Eleiçoes - o mau pai diz
que não haverá alterações, que a maioria está bem
definida. Vamos ver.

Que lindo poema este seu, minha tia.
A MAg está deliciada e já o sabe de cor. Eu também.
O meu Pai - claro - que também.

O Gilinho não porque foi passear com Maria José
foram levar uma boiada - imagine o perigo, ela
gravida - mas lá foram. Eu nem sei se lhe diga se
lhe conte. Este rapaz mata-me em vida. Acredite!

Muitos, muitos beijinhos minha tia querida
Obrigado por esta maravilha de poema.

Aristeu


De Kiko Maciel a 12 de Outubro de 2009 às 00:20
Minha querida Tiazinha
Achei lindo o seu poema de hoje.
Que maravilha, já o sei de cor e mandei via e-mail a
todos os meus contactos - pedindo para passarem
no seu blog para lerem. e todos vão passar.

A minha mãe tambem adorou e pediu copia deste e doutros que ela muito gostou. O meu pai fez-me uma
surpresa - sabe que ele pediu a secretaria dele para
tirar todos os artigos - poemas e livros que estivessem
no blog e ofereceu-me hoje vários livros todos
encadernados - fiquei tão contente que até chorei
de alegria.
Diga lá se os meus pais não são uns queridos.
São pois.
É que eu estava a arrombar com os titeiros da
impressora dele e ele, fez esta maravilha de
presente para mim mas disse-me que eu tenho de
lhe pagar o trabalho - com as melhores notas da
turma - e isso é facil. Logo lhe contarei.

Beijinhos tia.
Adorou o meu presente não foi?
Eu adoreiiiiiiiiiii bué!

Beijinhos minha tia escritore e poetisa
Deste seu admirador

Kiko


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

. OLÁ Dolores

. 2007 - 2017 = 10 º Aniver...

. ENCONTROS DE CIRCUNSTÂNCI...

. Recado para os Sobrinhos ...

. Saudades

. A Feira de São Mateus 201...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@