Sábado, 13 de Março de 2010

Amarga Lucidez

.

 

Persistente e sagaz, em duro assédio
tenta-me a Vida, para que a viva, em cada instante
Atenta, contra o meu tédio - provoca-me
espicaça-me
e, entre o medo e o desejo
querendo
querendo em desespero
finjo não querer
sem me negar
não me dou -disfarço - afloro o beijo
e assim, perco e morre o cobiçado ensejo
.
Maria José Rijo

 

 

 

estou:

publicado por Maria José Rijo às 12:28
| comentar | Favorito
partilhar
9 comentários:
De Gustavo Frederich a 13 de Março de 2010 às 12:43
B E L I S S I M O poema minha tia.

Estou deveras encantado. cada poema seu é para
mim uma grande alegria - como agora -
inesperadamente receber esta maravilha.
Obrigado minha Tia.
Nem imagina as saudades que eu tinha da sua
poesia.
Identifico-me plenamente com ela. A Tia diz tantas, tantas vezes o que eu sinto e nem tenho palavras
para as expressar assim desta maneira tão
profunda.
A magoa e a saudade sente-se, apalpa-se mas o
que é senão a vida a saudade dos que partiram
e tantas vezes ...
Oh tia muito obrigado por ter postado esta maravilha.

Tia a Francisca - a minha companheira também
adorou e - a pedido meu anda a ler o se blog de
fio a pavio - assim já tenho alguém com quem
conversar sobre o que a tia escreve.
Em parte - sei não a surpreender - mas era a novidade
que ainda não fora participada - neste caminho
onde tudo se lê - mas nem sempre se atinge...
Sei que me compreende - nestas meias palavras.
Um grande grande beijinho e um abraço muito
especial de agradecimento por este belo presente.

Gosto muito de si.
Do seu

Gus


De Maria José a 26 de Março de 2010 às 21:44
Meu sobrinho querido ou:
Meu querido semeador de sonhos - não sei qual será a formula mais certa ou se será a soma das duas que mais vem a propósito.
O que eu sinto e sei é que penso em si - sem idade - como se o visse saindo a minha porta desde sempre e, eu ficasse como a velha ama de António Nobre a rezar para que a vida, a vida distraida, não lhe saisse ao caminho em dia de má catadura para que nada embaciasse a limpidez e a beleza dos seus sonhos.
Um dia - não sei quando - talvez eu encontre jeito para lhe falar como gostaria de conseguir.
Entretanto, com os seus silêncios me parecem querer dizer felicidade,faço da sua ausência essa leitura, e vou-lhe sorrindo de todo o coração
Beijinhos
Também gosto muito de si - tia Zé


De Dolores a 13 de Março de 2010 às 12:47
Olá
E como está a minha tia mais querida? E a sua mana?
Espero e desejo que estejam bem e de sorriso nos
lábios.
Venho contar-lhe que hoje vai ser um grande baile
aqui , onde eu participo numa valsa.
É ainda do tal concurso que tinha ganho.
Sei que se recorda.
Pois bem é hoje a final. Torça por nós.
Estou muito divertida e sabe hoje estou a assar um
leitãozinho que o Avelino andou a engordar.
É o Francisquinho. Tão lindo e rosadinho. Vai ser
um belo petisco logo de noite.

Muitos beijinhos e claro depois destas novidades
de euforia quero MUITO agradecer-lhe este poema
que adorei.
Já a minha filha e a minha sogrinha adoravam os seus
poemas.
Nós também gostamos.

Beijinhos tia

DOLORES
Avelino e Magé


De Fernando Silva a 13 de Março de 2010 às 12:58
Concordo com a beleza deste poema.
Minha Senhora bem haja por esta maravilha.

Cumprimenta-a
Fernando Silva


De Maria José a 26 de Março de 2010 às 21:53
Fernando Silva
Fico sempre surpreendida e, simultâneamente muito feliz, quando alguém que não conheço mostra agrado pelo que escrevo.
Há sempre alguma descrença quando o aplauso vem de quem nos cerca.
Obrigada pela força!
Um abraço
maria José Rijo


De Aristeu a 13 de Março de 2010 às 13:04
Muito boa tarde Tiazinha

Espero que esteja melhor de saude.
Não gosto de senti-la triste.
Gosto de saber que está feliz e a pensar que a primavera está a chegar e com ela as suas
adoradas olaias e espero que este ano faça uma
linda reportagem das Olaias que tanto gosta, para
nós, cá tão longe, também possamos ter essa alegria
que alegrou o seu olhar.

Devo dizer-lhe acerca do poema. Deste belo, triste
e tão lucido poema que me encantou.
A mag também gostou imenso e vai ser mais um poema
para a parede/mural que ela arranjou cá em casa -
lá para a zona da nossa Biblioteca.

O senhor meu Pai já leu e voltou a ler e está
comovido. Diz que mais tarde vem aqui também.
O Gilinho não está foi passear para longe...
este rapazinho, este rapazinho...

E a sua mana? está tudo bem com a minha Tia
Maria barbara?
Espero e desejo que sim.

Muitos beijinhos para ambas
deste sobrinho
que vos adora

Aristeu


De Flor do Cardo a 14 de Março de 2010 às 01:16
Minha cara amiga
Realmente os seus poemas são fantásticos. Já a
minha mulher gostava de os ler e sabia até alguns de
memoria.
Este é um belissimo poema.
A sua lucidez está presente em tudo quanto escreve.
Chego a ficar emocionado ao ler a sua belissima
poesia.

Parabens e o meu obrigado por este poema.
Agrada-me sempre a oportunidade que nos dá de
poder apreciar a sua poesia.

E como está? Nessa cidade que é nossa também?
Espero que esteja a reagir bem. Esta ajuda é boa
quiando a aceitamos como bengala.
Espera a primavera e as suas árvores rosas vão
aparecer e alegrar a vida e o olhar.
Tenho pena de as não poder ver, nem de me sentar
aí junto delas, naquela saudosa mata que estava no
jardim.
Uma mancha rosa e bela, perfumada e que encantava,
não só as abelhas, mas todos nós.
Uma pena ter desaparecido. É o progresso minha
amiga. Temos que cimentar tudo para caminhar sem
estradas com buracos. Dizem...


Bom que tenha um Feliz domingo.
Um abraço

Luciano


De Maria José a 26 de Março de 2010 às 22:29
Meu Amigo Luciano
Aqui estou eu a tentar dar uma palavrinha especial a cada um dos meus fieis amigos .
Com o Luciano a conversa já vem de tão longa data que por vezes o mais dificil é ter que escolher um assunto que se possa tratar por este meio que sendo embora maravilhoso não oferece a mais rudimentar privacidade.Muitas vezes me apetecia comentar assuntos que refere mas, o meio impôe limitações. Sei que me entende e, por isso me abstenho de desabafar coisas que bem me apetecia falar a fundo com alguém da minha amizade e confiança.
A idade se bem que nos dê conhecimento mais profundo sobre algumas atitudes, também nos impôe a prudência do silêncio para evitar conflitos quando as forças não se equivalem.
Mas deixemos isto.
gostaria de já ter para vos mostrar as minhas belas olaias mas, a Primavera este ano deve ter ido de férias.
Não me tem falado do "nosso" Gilinho. Espero que ele esteja bem e feliz. Ultimamente temos tido problemas com os casamentos das minhas sobrinhas. Quando há gente miuda metida nas separações tudo se complica.
Fico sempre surpreedida e muito contente quando se recorda dos meus velhos escritos. Pena como sabe que não haja unanimidade...
Obrigada sempre.
Um abraço grande - Maria José


De Xavier Martins a 15 de Março de 2010 às 22:52
E eu que gosto sempre de ser o primeiro em
comentar os seus artigos...
Nesta caso um poema lindissimo. Muito bom
mesmo.
Também eu quero agradecer esta maravilha de
poema.
Só não vim antes porque fui fazer o caminho de
São Tiago com a minha mulher e uns casais
amigos.
Foi muito enriquecedor. Gostamos imenso e é um
caminho que acho que todos e cada um de nós
deveria fazer.
É um passeio muito bonito.

Mas já estou de volta, Graças a Deus e agora cá
estamos para todos os dias me apresentar a
comentar e ler artigos. Quando não há nada de
novo volto a meses mais antigos e leio com a
mesma satisfação da primeira vez.
O seu blog é um bom e necessário blog.

Grato eternamente.
Seu admirador e leitor assiduo

Xavier Martins


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@