Sexta-feira, 9 de Abril de 2010

Giro Flé Flé Flá

Á Lá Minute

Jornal Linhas de Elvas

Nº 1.800 – 23 de Agosto de 1985

Giro Flé flé flá

 

“Da minha Janela à tua

Há lixo que chega e sobra

-- onde andam os varredores

Que não põem mão à obra?”

 

 

Faço esta brincadeira, a sós comigo, quando olho as janelas do Senhor Presidente da Câmara, que da minha casa avisto.

Outro dia, porém, pus-me a pensar:

Quando o largo está limpo – o que já tem acontecido – não deu para versejar…

Também não ocorreram glosas, nem li comentários de outrem, sobre a fartura de água de que dispomos já há dois anos e cuja carência, era costume deplorar, acusando a inércia da Câmara.

Também não me ocorreu indagar cuidadosamente com que critério irão ser distribuídas as casas dos bairros novos – e por quem – ou, a quem cabe, a inteira responsabilidade do atraso na sua atribuição a tanta gente inscrita, àvida dum mínimo de conforto…

Tem-me ocorrido, isso sim, e muitas vezes pensar – a sós comigo: - coisas da Câmara!

E… será só? Ao certo não sei – mas… Quando penso nos projectos que certo dia escutei da boca do actual Presidente, no começo do seu mandato, e os comparo com a obra realizada, não posso deixar de me interrogar:

-- Será só a Câmara a responsável pelo que não se fez?

--Teria sido possível ao Município navegar contra a maré?

A maré, de certa maneira, depende da lua que a determina…

Sendo embora a lua uma realidade distante, toda sombras, quartos, crescentes e minguantes, é na maré que se pesca, é na maré que se voga, se parte e volta ou dá à costa…

O lixo que os cantoneiros não limpam a horas, é também lixo nosso – mal acomodado – etc… etc… por aí fora !

Não gostaria de usar nos meus juízos a inocência com que alguém, certa manhã, colhia flores na placa ajardinada frente ao Palácio da Justiça – como, se ali fosse o Jardim da Celeste, giro-flé-flé-flá!

Não! Nem quero depois olhar para a placa “depenada” e dizer candidamente: - a culpa é do Presidente! – Continuando o meu caminho leve e feliz – giro-flé-flé-flá!

Não estou mandatada para acusar ou defender!

Estou consciente dos meus deveres como Munícipe e, como tal, quero aceitar a minha parte nos “custos”, se a tiver!

 

Maria José Rijo

 

estou:

publicado por Maria José Rijo às 17:16
| comentar | Favorito
partilhar
4 comentários:
De Xavier Martins a 10 de Abril de 2010 às 03:11
Cara Maria José
Realmente mais um texto excelente.
É isso mesmo... concordo em pleno consigo.
Tantas coisas como essa acontecem todos os
dias. As pessoas não respeitam nada, cortam
mesmo flores onde existe um cataz a dizer que
é proibido colher flores.
É inexplicavel mas isso acontece sempre.
É de lamentar.
Bem visto mais uma vez este tipo de situações.

Parabens por estas lindas fotos que acompanham
a leitura do seu artigo.
É um prazer ler as suas crónicas.

Com muita admiração
Xavier Martins


De Aristeu a 12 de Abril de 2010 às 22:14
Sempre bem vistos os seus artigos minha tia.
Sempre de Parabens já que eles, os artigos,
estão semprte actuais.
Aposto que essa situação se repita em qualquer
destes dias, com qualquer pessoa.
as flores despertam sempre a cobiça de
qualquer criatura.
Não se deve... mas faz-se...

Muitos beijinhos minha Tia
Espero que esteja bem de saude, aqui o
Sr. meu Pai está no hospital por causa da
visicula. Imagine... como de tudo como se
tivesse 20 anos.
Acredita que o Simfrónio trouxe azeitonas e
têm estado num concurso para ver quem
consegue comer mais... pois bem o resultado
está a vista.
Está muito risonho porque nunca tinha comido
59 azeitonas numa tarde e quase seguidas.
Imagine se ele tem idade para estas coisas.
O sinfrónio que ganhou por mais 15 está de
cama.
E claro o gilinho a fotografar, enquanto a prima
comia acompanhadas com pão.
Parece anedota mas olhe que é verdade e eu
ando numa correria para chegar a tudo.
Valha.-me Deus.

Para si minha tia
Muitos beijinhos
do seu sobrinho

Aristeu


De Anónimo a 14 de Abril de 2010 às 17:27
Exma. Senhora
Dra. Maria José Rijo

Volto a contactá-la no âmbito da genealogia dos Vasconcelos que necessito sobremaneira consultar para a minha árvore genealógica. Sei que me disse há uns tempos que os documentos se encontravam na posse do Conégo Dr. Silvestre. Como posso contactar esse senhor? Ele vive em Elvas? É pároco em alguma igreja da cidade?
Agradeço mais uma vez a sua disponibilidade.

Com os melhores cumprimentos,
José Vasconcelos


De Maria José a 15 de Abril de 2010 às 22:11
José Vasconcelos
Tenho o maior gosto em lhe dar o contacto do Senhor Cónego Dr. Silvestre, que na altura, há vinte anos, utilizei : - Dr. Silvestre António Marques
Paço Episcopal de Évora
O telefone, nessa data tinha o N.º - 066-22186.
A esta distância no tempo muita coisa se alterou, porém, Évora, julgo ser ainda o caminho certo.
Cumprimentos
Maria José Rijo


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@