Segunda-feira, 24 de Maio de 2010

Dia da Mulher

 

 .

estou: Dia da Mulher

publicado por Maria José Rijo às 14:59
| comentar | Favorito
partilhar
18 comentários:
De Flor do cardo a 24 de Maio de 2010 às 15:17
Sim Senhor
O Jornal Linhas de Elvas está de Parabens.
Uma Grande Mulher - para evocar no Dia das
Mulheres.

Muitos Parabens
Com amizade e admiração

Luciano


De Maria José a 24 de Maio de 2010 às 21:46
Meu Querido Amigo
Sabe que foi por sua causa que consenti que a Paulinha acabasse por colocar essa notícia?
Em boa verdade o meu bom Amigo já tem feito alguns reparos a circunstâncias pouco felizes - e, com razão. Julgo estar certa acreditando que já não recebe o jornal com regularidade. Pensei então que não era justo ocultar a simpatia com que me trataram, e que foi tão inesperada para mim, como algumas outras de sinal contrário que me pareceram, por vezes, como esta, embora agradável, também, pecarem por excesso.
Sempre lhe serei grata pela frontalidade e estima que me dispensa e de coração, retribuo.
Onde anda o nosso Gilinho? Ainda está em Paris?
Acha que desta vez ela se arrisca até Portugal?
E os seus amigos de Vila Viçosa, já regressaram?
Bem gostaria de os conhecer. Gosto de gente que cultiva a sério a amizade.
Um abraço grande
Maria José


De Xavier Martins a 24 de Maio de 2010 às 15:45
Concordei plenamente quando vi a noticia
no Jornal.
Ainda bem que o colocou On-Line.

Bem haja

Xavier Martins


De Maria José a 26 de Maio de 2010 às 21:40
Meu Bom Amigo
Venho só contar-lhe que me vieram oferecer uma gatinha - como hoje a minha sobrinha Francisca faz anos, a gata ganhou o nome de Kika e eu estou encantada por ter arranjado companhia. É que aquela outra que achou bonita"mora" numa casa por onde passo com frequência. Faço-lhe festas sempre que a vejo e, como é obvio - a Paulinha fez a foto.
Um abraço - Maria José


De Xavier Martins a 28 de Maio de 2010 às 01:35
Fico mesmo muito contente
Eu sou um grande apaixonado por gatos.
Cá em caso temos um casal o Xico e a Xica
são dos Bosques da Noruega - e isto tudo porque
um nosso casal amigo - faz criação - e entre conversa
de vai e vem - decidimos comprar o Xico - depois
a minha madame achou que o Xico andava tristonho
e resolvemos procurar a parceira - que chamamos
de Xica - dirá que falta de imaginação - mas
acabou por ser assim e acontece uma coisa muito
engraçada porque a Xica quase me segue como um
cão e o Xico não larga a minha mulher.
É uma ligação muito curiosa.
Só não tiveram nunca meninos - foi a solução
encontrada para eles não aumentarem a familia.
e... somos muito felizes com eles porque são uns
grandes companheiros.
Temos uma almogada enorme - de veludo vermelho
com borlas nas quatro pontas - dormem os dois
na mesma almofada.
No inverno junto da lareira e verão procuram um
canto do nosso quarto e na mudança eles tentam
levar a almofada - mas claro nos damos uma
ajudinha.

São uma companhia.
Ficamos muito felizes pela sua Kika que les seja
para si uma companheirona como são os nossos.
Felicidades
Um grande abraço

Xavier Martins


De Luis Carlos Presti a 25 de Maio de 2010 às 10:04
Minha e tão querida Tiazinha
Finalmente consegui vir ve-la.
Desculpe o afastamento involuntário mas tive um
acidente com o nosso carro e a minha ... oh tia...
ela faleceu - não sei o que vai ser da minha vida.
Desculpe...


Beijinhos grandes
Luis Carlos Presti


De Maria José a 26 de Maio de 2010 às 22:02
Luis Carlos - curiosamente , eu tinha dito à Paulinha que pensava escrever um texto prguntando por si e por outras pessoas queridas que costumavam aparecer e têm andado ausentes. Não é que lhes reconheça obrigação de aparecer - é apenas cuidado e desejo de que nada de mal lhes tenha acontecido.
O tempo vai correndo, e, no nosso caso, já lá vão alguns anos deste convívio que deram lugar a esta estima que lhe dedico com muita gratidão pelas atenções que me tem dispensado contando-me da sua vida, das suas viagens, do seu casamento, de tudo o que faz que o sinta como um dos meus sobrinhos queridos.
Que lhe direi agora? - nem sei!
Acho que apenas lhe posso enviar um abraço grande , grande, para que sinta como lhe quero bem e me doi não o saber feliz.
Pudesse eu, ao menos, ser-lhe útil...
Beijinhos, tia Zé


De Luis Carlos Presti a 28 de Maio de 2010 às 01:26
Coisas da vida...
Minha tia... são das tais tragédias que trazemos
com agente sem saber...
Romances redigidos para terminarem cedo mas que
deixam marcas para o resto da vida.
Estou ainda perdido nesta linha da vida...
Mas... minha Tia agradeço as suas palavras - é
sempre tão bom ouvi-las -
Obrigado Tia.
Adoro-a

Luis


De Maria José a 3 de Junho de 2010 às 20:51
Meu querido Luis Carlos
Venho só dizer que penso em si, que rezo por si e que se de algum modo eu o pudesse ajudar, tudo faria para que sentisse como lhe quero bem
Beijinhos - tia Zé


De Maria José a 9 de Junho de 2010 às 21:02
Querido Luis Carlos - pensa em si com muita ternura a tia Zé


De Magnolia a 25 de Maio de 2010 às 10:08
Querida Tia
Venho agradecer os seus comentarios e dizer
que afinal vou levar a minha ideia para a frente.
Pois... as minhas meninas terão o nome de - a
1º será Maria José e a outra será Feliciana - que é o
nome da minha avó materna e que me criou. Acho
que devo fazer-lhe essa homenagem.
Todos acabaram por concordar.
Maria José e feliciana. -- Gosto imenso .
E a tia???

Adorei esta noticia e achei muito bem.
Realmente a tia é uma Mulher de M grande.
Gosto muito de si.
Beijinhos

Mag


De Maria José a 26 de Maio de 2010 às 22:15
Querida Mag
sabe que uma das pessoas mais queridas da minha vida foi uma tia, única irmã de meu Pai, que se chamava Feliciana Isabel.
Era uma senhora de uma generosidade e inteligência sem par. Era amada por toda a família e amigos. Estava sempre disponível para ajudar fosse quem fosse.Os amigos dos meus sobrinhos, todos, a convidavam para os baptizados, dos filhos, casamentos pela estima e deferência que a todos merecia. Minha irmã e eu chamavamos-lhe tia Fanchinha e, eu sempre pensei que,se tivesse uma filha lhe daria esse nome.
Veja como me comoveu ver os dois nomes ligados; tantos anos depois, "como se houvesse acaso!"
Acho que todos os nomes se tornam belos quando amamos quem os usa.
Beijinhos - tia Zé


De Mag a 28 de Maio de 2010 às 01:38
Oi
Fiquei até emocionada com a coincidencia dos
nomes.
Que alegria.
Agora ainda me sinto bem melhor e cá em casa
todos nós nos alegramos por si.
A Tia é uma pessoa tão especial. Tem uma alma
grande e linda.

Gradecida.
Beijinhos em seu coração

Mag


De Luis Alberto Amor a 25 de Maio de 2010 às 13:42
Muito Boa tarde
Venho hoje deixar um comentario aqui neste seu
(quase meu) blog - digo isto porque é um dos meus
blogs preferidos.
Tenho andado por aqui - todos os dias e desde o ano
passdo - a ler aqui - ali - e agora terminada toda a
leitura quero muito felicitá-la por tudo.
Pela forma do blog - das fotografias - que nos dão
praticamente - uma segunda leitura dos seus e tão
BELLOS artigos.
Confesso que emiti copias de muitos artigos - dos
que mais me tocaram - por diversos temas.
Tenho os seus livros de poemas que são deliciosos...
resumindo tenho quase tudo o que a Senhora
escreveu e publicou neste cantinho.

Bem haja pela alegria que me deu de a encontrar
neste mundo imenso de redes.
Gosto bastante da forma como escreve, da sua
forma única de contar.

Desde já seu muito admirador

Luis Alberto Amor


De Maria José a 27 de Maio de 2010 às 11:09
Luis Alberto - o Luis Alberto é amor de nome e para mim um amor de pessoa. Obrigada pelas suas palavras de apoio. É muito bom na minha idade encontrar nas dobras do caminho quem páre para nos sorrir ou dar um abraço. Faz-nos ter mais coragem para o resto do percurso ganhar a sensação ou a esperança, de que valeu a pena.
Um abraço Maria José


De GUS a 25 de Maio de 2010 às 13:55
Olá minha querida Tia
Cá estou eu... depois de tantos dias de ausencia.
Voltei - regressei a minha floresta negra - aqui
é que me sinto em paz - comigo e com o resto do
mundo.
É quase como renascer - pois também se renasce
ao voltar ao passado - nem sempre com a mesma
alegria - nem mesmo a mesma dor - mas volta-se
e no caso para recomeçar.
Vamos pois seguir em frente... por vezes penso
que errei ao sair daqui deste lugar cheio de paz...
As saudades eram já... sei que imagina e sabe
o quanto pode pesar a saudade... por vezes
chega a ser demasiado peso para um ser humano,
fragil, como somos todos, ao fim ao cabo...

Querida tia gostei deste artigo - onde falam assim
da Minha Tia tão querida.
Sou, obviamente, da mesma opinião.
Maria José Rijo, a Senhora minha Tia, é mesmo
uma grande Mulher - só não vê ou não quer
enchergar... porque tem certamente os olhos e o
coração - com outros sentimentos - refiro-me a
esse mal - que se imiscuiu (entre homens/mulheres)
- ora pois - a inveja.
Setimento latente em tantos seres humanos que
chega a bater como um coração.
Coisas da vida que não tinham razão de ser mas que
parece fazem parte da sociedade. Ou sempre
fizeram.

Tia receba um grande GRANDE beijinho
~do seu

GUS


De Mari José a 27 de Maio de 2010 às 11:33
Querido Gus - não me surpreendeu que tivesse voltado. Surpreendeu-me que não mo tivesse dito sem eu perguntar. Estranha esta sensação de "posse" da alma de quem se quer bem. Parece que apetece comentar : eu não posso adivinhar tudo! - porque há muita coisa que se não precisa dizer porque se depreende ou intue.
Em boa verdade ninguém volta ao passado. Nem é necessário porque do passado anda e fica connosco, daí que ´não valha a pena fugir.
Penso que lhe será mais fácil "arrumar" tudo quanto tem vivido junto com o lastro que foi juntando desde criança e, sempre será causa e motivo de saber quem é.
Até quando minha Mãe partiu, alguns amigos me aconselharam a ir viver com minha Irmã. Resisti. Aqui, cada coisa está no local próprio e, como tal só tenho que "lutar" com a minha solidão quesempre ocupará espaço demais...
Quando tiver um cavalo novo, diga. Conte-nos também como será gostoso percorrer com ele caminhos que traz na memória.
Depois, pense que mesmo cá de longe sempre hei-de sorrir contente quando o souber feliz
Um abraço grande
Tia Zé


De GUS a 28 de Maio de 2010 às 01:44
Tia querida
Eu sabia... acredite que eu sabia que sabia ou sentia
que esta mudança era inevitavel.
Sabe, nunca deixei a casa completamente acho que
dentro de mim sabia que voltaria aqui a este lugar
magico com aquela floresta ali ao fundo.
Não imagina como foi dificil não lhe contar mas
desta vez não podia mencionar aqui...
Mas cá estou - como se agora a vida - esta minha
vida voltasse a ser uma nova - ou outra folha em
branco que tenho de preencher...
Sabias as suas palavras - como sempre aliás
A Tia não imagina como me são gratas as suas
palavras a este coração abandonado...
... basta deprender o resto...

Beijinhos minha querida tia

Gus


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@