Quinta-feira, 17 de Junho de 2010

Frases feitas

Conversas Soltas

Jornal Linhas de Elvas

Nº 3076-  17 de Junho de 2010

Frases feitas

 

Por vezes, sem bem se saber porque sim ou porque não, encalhamos numa frase, numa palavra, numa expressão que teima em se nos atravessar no espírito sobrepondo-se a tudo, a propósito ou a despropósito, como se fora para nós, razão de vida ou de morte.

Se pararmos para pensar, quase não se acha sentido na obstinação, mas a verdade é que acontece.

E, quase sempre nos sai uma exclamação entediada: - olha que coisa!

E, sendo esta expressão usada a torto e a direito com tantos e tão diversos significados, nela nem reparamos, nem sequer, quando a estamos a utilizar.

Quando o empregado gracejou dizendo: qualquer coisa, não tenho! -

Recordei um bar, em Óbidos, onde, mediante o mesmo pedido, foi servida uma bebida licorosa, engarrafada, com o rótulo de: “Qualquer Coisa” .

Perante a reacção divertida do freguês que comentou a rir: - olha que coisa!

ocorreu-me inventariar um pouco a versatilidade de uso da palavra coisa.

Coisa – substantivo feminino que, segundo o dicionário, quer dizer: - Em sentido geral - tudo o que existe ou pode existir. Ente, objecto.

E, assim sendo, aqui estamos nós frente a algo, que, sendo nada, em exclusivo, - tudo, pode significar.

Sei muita coisa! – (misteriosa e provocatória a expressão! Ameaçadora, até!

Que coisa! – (tanto pode ser espanto, como surpresa ou, aborrecimento)

Olha a grande coisa! – (aqui já há desdém! Desprezo, pouca importância) Coisa engraçada! – (está bem explícito o agrado!)

Coisa sem graça! – (aqui, é evidente o desagrado, a crítica)

Coisa de ignorantes! – (vigora o mesmo sentimento mas com um tom mais injurioso)

Coisa de quem sabe! - Coisa de admirar! – (aplauso, admiração)

Coisa de espanto! Coisa triste! Coisa alegre! (Assim se faz a variante de comentários de emoções)

Coisa de arrepiar! – Coisas do arco-da-velha! (o medo e a estranheza ficam patentes)

Coisa de crianças! Coisa de pobres! Coisa de ricos! – (desde a futilidade, ao desdém, tudo cabe)

Coisas para rir! Coisas para chorar! (a abrangência de motivos fica expressa)

Coisas do mar – coisas da terra! (referência a origens, marinhas ou terrenas)

Coisas do diabo – coisas de Deus! (aqui já evoca o sobrenatural)

Coisas de arromba! – Coisas de eleição! – (o enfoque vai para a grandeza, a repercussão a distinção)

Coisa de mestre! (a qualidade, a perfeição)

Aqui há coisa! - Coisa ruim! – (o desagrado, a suspeição são evidentes)

A coisa correu bem – ou correu mal! (a evidência)

Alguma coisa há! – Aqui tem coisa! (Tem alguma coisa escondida, a

Desconfiança)

Coisa de preço! – Coisa cara!

Coisa de vulto! – Coisa feia! – Coisa mal feita! – Coisa bem feita!

Coisas e loisas! – Coisas pretas! - Coisas desprezíveis!

Coisas importantes, coisa nenhuma!

Coisa em primeira-mão! – Em segunda mão! (são as formas correntes de fazer avaliação, de formular juízos!)

 

 

Não dizer coisa com coisa! Equivale a não dizer a bota com a perdigota!

E, aqui estão juntinhas muitas coisas, sobre coisas, que pouca coisa ou nada dizem, mas que, por vezes, na hora certa, na oportunidade adequada se podem tornar coisa boa ou coisa má consoante quem o diz ou quem o ouve.

É que, temos que confessar: - há cada coisa!

 

 

Maria José Rijo

estou: frases feitas - 2010

publicado por Maria José Rijo às 21:48
| comentar | Favorito
partilhar
3 comentários:
De GUS a 18 de Junho de 2010 às 01:14
Tia
Gostei imenso deste seu artigo. Está muito bem pensado porque é uma prosa muito boa.
Aliás a sua forma de escrever é muito especial
porque nos leva pelo caminho da sua bela
inteligencia.
Parabens minha tia.
Gosto muito desta ideia de a tia ter voltado a
escrever.
É mesmo muito bom. Acredite.

E a sua Kika???
Linda e a crescer - atenta a tudo.
É como uma criança!

Muitos beijinhos Tiazinha

GUS


De Xavier Matins a 18 de Junho de 2010 às 01:19
Especial
fica na boca um gostinho agradavel.
É muito bom voltar a ter os seus artigos e
esta ideia de eles estarem on-line no proprio
dia em que sai o Jornal - é uma ideia muito boa.
Assim eu mesmo - Xavier Martins - já não
preciso gastar dinheiro no Jornal porque se é
o que me interessa ler - faço-o aqui com muito
mais prazer e sem sujar as mãos.

O meu agradecimento especial para si.
Adoramos .
Com muita amizade e admiração

Xavier Martins


De Gilio a 18 de Junho de 2010 às 01:37
Cheguei
Já vi as gemeas e são umas lindas bonequinhas
de porcelana.
Serão as rainhas da casa.
Muitos beijinhos tia
Gilio


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

. OLÁ Dolores

. 2007 - 2017 = 10 º Aniver...

. ENCONTROS DE CIRCUNSTÂNCI...

. Recado para os Sobrinhos ...

. Saudades

. A Feira de São Mateus 201...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@