Quinta-feira, 14 de Outubro de 2010

"A Cidade do Homem" - Amadeu Lopes Sabino

CONVERSAS SOLTAS

Jornal Linhas de Elvas

Nº 3092    de 14   Outubro de 2010

 

A propósito de:

“A Cidade do Homem”

O mais recente livro de Amadeu Lopes Sabino, Escritor (com maiúscula) que sendo português e elvense, duplamente nos orgulha

 

Como é natural, não tenho a ousadia de me meter por meandros, que pareçam, sequer, querer levar-me a fazer critica deste livro cuja leitura me encantou.

Não devo, até por respeito para com o escritor cuja obra de há muito sigo com particular interesse, extravasar as minhas limitações.

Sendo isso verdade, vou ater-me, já que o prazer desta leitura, não me permite silêncio - a contar um episódio antigo que a sua leitura reavivou no meu espírito e me induziu a um “convívio”de maior encanto com esta narrativa singular.

(Foto J.L.E.)

Em 1943, acabada de sair do Liceu, cheguei a Elvas vinda lá desse Baixo-Alentejo, onde a planície se espraia como a imensidão do mar. Pelo caminho, já a paisagem, em si, por ser também Alentejo, e tão diferente, me prendera a atenção. Depois uma paragem forçada, sob um arco das Portas de Olivença, por onde entrei na cidade fechada nas muralhas, tocou a minha alma num deslumbramento de quem num passe de mágica tivesse voltado a um passado só idealizável em sonhos.

 Era como se recuasse no tempo e mergulhasse na história.

 Era a porta aberta para o imaginário.

A cidade, com seu cariz medieval, suas ruas estreitas, prédios altos, poucos largos, rica de belas igrejas e “passos”, com suas fontes, sua praça maior no centro, coroada pela Sé, sua luz alilazada ao entardecer tinha no todo como que um casto pudor da sua beleza, uma nobreza austera e discreta de quem se sabe guardiã de segredos que se pressentem e, de que cada pedra, cada “forte,”cada recanto, davam testemunho.

Vão sessenta e sete anos. A cidade mudou.

Mudar era inevitável.

Felizmente para melhor - algumas vezes.

Noutras - não tanto, como tudo nesta vida.

Mas…

“A Cidade do Homem” – está aí.

E, é esse livro que venho agradecer, em meu nome e em nome de muitos outros leitores anónimos, como eu.

A Cidade do Homem traz-nos, partindo de factos e personagens reais, a “tal” magia do imaginário numa recriação documentada, da biografia de António Dinis da Cruz e Silva magistrado e poeta, que nas querelas entre o Bispo D. Lourenço de Lencastre e o Deão da Sé de Elvas, D. José Carlos de Lara, se inspirou para escrever o Hissope, obra literária, que havia de ficar celebre pela sua qualidade no mundo das letras, e, considerada até, como um dos dois ou três melhores poemas herói-cómicos da literatura ocidental. (segundo os seus biógrafos.)

Amadeu Lopes Sabino, bem merece figurar entre os autores que Elvas sempre lembrará com orgulho e gratidão até por trazer à tona valores de Elvas de que os “de casa” às vezes – vezes demais - esquecem.

 

          Maria José Rijo

 

 (Foto J.L.E.)

Este livro vai ser apresentado à imprensa no dia 12 de Outubro, e terá uma segunda apresentação ao público, em geral, no dia 25 de Novembro, na Biblioteca Municipal de Elvas.

Creio que os elvenses não faltarão à chamada.

estou: Amadeu Lopes Sabino

publicado por Maria José Rijo às 11:37
| comentar | Favorito
partilhar
3 comentários:
De Xavier Martins a 14 de Outubro de 2010 às 20:28
Um livro muito interessante - vou certamente
comprar.
Gostei do artigo.
Mais um autor elvense e novo livro publicado.
Parabens

Com amizade
Xavier Martins


De Luis Maria teixeira a 14 de Outubro de 2010 às 23:18
Boa noite
Gostei muitoo seu artigo.
Sou um leitor de Amadeu Lopes Sabino - tenho
outros livros deste autor e se eu conseguir
estarei na biblioteca para assistir.
Bem haja pelo seu blog.
P A R A B É N S

Luis Teixeira


De Flor do Cardo a 17 de Outubro de 2010 às 00:17
Olá
Amadeu Lopes Sabino - tenho alguns dos seus
livros e devo dizer, que gosto muito da forma, como
ele escreve.
Vou comprar este tasmbém - o Aristeu vai a Lisboa
para a semana e vai tentar adquirir o livro, creio que
não terá tempo para a ir visitar - o que lamenta
profundamente - mas ele mesmo lhe dará - aqui, a
noticia.
Conto poder ler aqui - os artigos que lhe faltam
publicar - o meu amigo - o primo - que vive aqui
na nossa casa - como sabe - tem andado a fazer
uma lista dos que estão on-line - não só para estar
com algo em mãos - mas porque tem achado os
artigos muito interessantes.
Fico contente.

Novidade - o Gilinho vai brevemente ser Pai e anda
muito atarefado de trabalho - comprou nova
boiada e tem varios empregados.
A fazenda está muito bonita - todos nós gostavamos
que o Brasil não estivesse tão longe - assim poderia
aparecer por cá - de vez em quando.
Quem sabe um dia. Não é verdade.
O Gilinho diz que um dia destes vai busca-la a Elvas
para passar uns dias na nossa casa.
espero que goste da ideia.

E a Kika? Nunca mais nos mostrou nenhuma foto
dessa menina. Aguardamos a oportunidade.

Com amizade e admiração
Luciano


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@