Segunda-feira, 21 de Março de 2011

Pagina de diário 3

 

Kika, a minha gatinha, na brincadeira, fez-me um pequeno arranhão na mão direita. Nada que tenha importância - no entanto, achei conveniente desinfectar – acabo de escrever desinfectar, paro e penso: - desde que me lembro nunca hesitei como agora para escrever uma palavra! - ponho c, antes do t ,ou não? -isto do novo acordo ortográfico deixa-me com vontade de mandar passear quem o decidiu e fazer como meus Pais fizeram no seu tempo – continuaram a escrever como tinham aprendido indiferentes às mudanças de farmácia com ou sem ph, etc. etc…

Mas, não foi a nova moda da escrita que me prendeu a atenção, o que me fez confrontar com a minha realidade foram as minhas mãos. De repente tive a sensação que estava a cuidar das mãos da minha Avó quando me pedia ajuda por se ter arranhado ao cuidar das suas flores.

Por esse tempo, lembro-me de ficar comovida e triste quando ela com um ar nostálgico dizia: chamam-se a estas manchas “ rosas do túmulo” e, com uma das mãos afagava as costas da outra alisando a pele, enrugada e murcha cheia de pequenas manchas castanhas como sardas.

Ocorreu-me isso, agora, fixando as minhas próprias mãos, e logo me lembrei da Querida Matilde Araújo passando a sua mão macia pelas minhas, calejadas e ásperas dos canivetes, limas e formões na época em que eu fazia figurinhas em pau de buxo, dizendo-me, com apreço, naquele seu jeito de falar quase entoado – as suas mãos são as suas obreiras, Maria José!

As mãos, são o ponto que fixo, observo e mais me encanta em qualquer pessoa. Nas fotografias, é para onde olho em primeiro lugar. A linguagem das mãos seduz-me e apaixona-me. As mãos casam-se com os olhos para falar da alma. Completam-se.

Também num dos meus primeiros livros de escola, havia uma lição que começava assim: “ fora daquelas mãos estilizadas que os pintores debuxam nos seus quadros, não há mãos bonitas na sociedade propriamente dita”.

E, depois, vinha a frase de que eu mais gostava” as mãos de minha mãe tinham um calo de abrir e fechar a porta da despensa”

Eu via essa mãe, o molho das chaves e, sentia-me mimalha pedindo como se de minha própria Mãe se tratasse: - deixe-me ver, eu não mexo em nada, e olhava em volta corando como se alguém ouvisse a voz do meu desejo. 

Por estas e outras lembranças, muitas vezes penso na responsabilidade de quem educa crianças.

O mundo delas não cabe no nosso…abrange-o, mas ultrapassa-o.

Quase oitenta anos depois, ainda vejo as imagens que o meu coração desenhava lendo ou ouvindo estas pequenas coisas.

Beijou-lhe as mãos…Apertou-lhe a mão…

Mordeu a mão que o amparou…

Afinal, as mãos, são, mais do que as extremidades dos membros superiores. Sem deixar de o ser, são ainda, também, e muito principalmente: - as “extremidades frágeis de nossos gestos imperfeitos, onde às vezes nascem flores” – ou não…

 

                    Maria José Rijo

 

 

 

 

@@@@@

 

POST - Nº 1000

estou: Pagina de diario- 3
música: POST - Nº 1000

publicado por Maria José Rijo às 17:38
| comentar | Favorito
partilhar
12 comentários:
De xavier Martins a 21 de Março de 2011 às 23:42
3 vezes PARABENS

1 - Gosto imenso destas suas paginas de diário,
estou sempre a espera de as ver aqui.

2 - PARABENS pelo post nº 1000 - é bom sinal -
porque tem um espolio literario muito bom e
enorme. PARABENS

3 - A sua KIKA é lindissima.
É uma gatinha muito fofinha que só nos apetece
apanhar ao colo e depois as fotos são
belissimas.
PARABENS
P A R A B E N S
Felicidades e boa continuação para aumentar
este blog para o triplo.

Deste que muito a estima

Xavier Martins


De Maria José a 23 de Março de 2011 às 18:18
Meus queridos amigos - ainda bem que há mais pessoas que, como eu, acham que vale a pena perder tempo a falar nas pequenas coisas do dia a dia.
Na minha própria família por vezes se surpreendem e admiram das lembranças que guardo e me pedem para ajuda-los a recordar.
Verdade seja que estou tanto tempo só que, se não "olhar para dentro"como poderei encontrar respostas.
Obrigada pela amizade e companhia
Um abraço maria José


De KIKO a 21 de Março de 2011 às 23:47
Ohhhh que LINDA
A sua KIKA é muito linda - se eu fosse um gatinho
Kiko - queria pois namorar com ela.
Oh é mesmo fofinha.
Eu tb tenho uma mas não é assim.
Linda tia. Adorei tb a pag. de diario.

Beijinhos tiazinha
do Kiko


De Maria José a 24 de Março de 2011 às 11:19
Meu querido - não tenho dúvidas de que o Kiko é um "gato" e bem sedutor! Eu, a quem a sua alegria encanta, que o diga ...
Beijinhos
tia Zé


De Gustavo Frederich a 21 de Março de 2011 às 23:58
Tia
Adorei - realmente estas paginas de diario fazem
as minhas delicias.
Gosto muito de ler - é como olhar- desvendar
atraves das suas palavras esses caminhos
essas recordações que ficaram gravadas - e que
agora vêm - como reminiscencias - nestas
belas paginas de diário.
Realmente a semelhança com Isabel Allende é
assim, tão mais forte e bem construida por estas
belas palavras.

Parabens Tia pela forma sublime de escrever
e pelo postal - estas belas fotos da sua
"menina" gata.
É realmente uma beleza felina.
Linda a Kika.

Muitos beijinhos e espero que este blog atinja
os 5.000 posts.
Cá estarei para o ler e comentar.

deste seu sobrinho
GUS


De Maria josé a 24 de Março de 2011 às 11:49
Querido Gus - quero contar-lhe, para brgonha minha que apenas li um romance de Isabel Allende - Paula - de que gostei muito.Conta o drama da filha- o que é profundamente marcante.
Fiquei até com a impressão que esse drama marcou indelevelmente a sua forma de escrever.
Quem conta coisas tão íntimas e tão devastadoras das vaidades deste mundo, só pode desejar entender as águas que correm, a luz das madrugadas os poentes e cada dia, e deixar correr o que sente como as contas de um rosário...
Fantasia minha? - talvez.
Parecer-me com ela é elogio que me ultrapassa, mas que muito agradeço.l
Agora releio mais do que leio.
Às vezes penso que me bastavam dois ou tres livros para toda a vida.
Talvez um dia conte porque penso assim.
Agrradeço a Deus o afecto de todos vós e as vossas presenças que tanto me acompanham.
Beijinhos especiais de gratidão
tia Zé
Acontece que de há uns anos para cá, leio muito menos novidades e volto com frequência aos velhos livros de que guardo melhor lembrança.


De Luisa Freitas a 22 de Março de 2011 às 17:28
Boa amiga
éu sou uma apaixonada por gatos e esta sua KIKA
é uma belezinha tão fofinha.
Eu vivo só, sou viuva e também tenho um gatinho
o Luizinho - coisas do meu marido - que só gostava
de dar nomes de pessoas aos bichos.
Este também é um amor, atento, fofinho e muito
carinhoso.
Nos dias em que estou triste, saudoso e se choro,
então nem sabe como consolar-me.
São realmente uns grandes amigos.
Prabens pela sua KIka - é muito linda.

E escusado é dizer - que adoro o seu blog.
A sua maneira de escrever é uma maravilha.
Concordo com a semelhança com a escrita de
Isabel Allende - que escreveram aqui noutro
comentario.
Está certamente de Parabens por este blog
magnifico.
Noto grande lucidez na sua forma de ser e estar
perante a vida.
E... fica aqui um beijinhos de Parabens desta sua
nova amiga

Luisa de Freitas



De Maria josé a 24 de Março de 2011 às 12:05
Luisa de Freitas
Que surpresa boa ter mais uma Amiga que até gosta de gatos, como eu!
Assim já tenho mais uma razão para mostrar fotos da raínha desta casa - dona Kika!.
Ainda bem, porque, até já temos uma colecção muito engraçada e completa.
Obrigada pelos parabens, mas se tenho direito a eles é pela felicidade de ter tão bons amigos, o que sem dúvida é um presente dos ceus.
Um abraço grande
Maria josé


De FLOR DO CARDO a 22 de Março de 2011 às 17:37
Olá boa tarde
Mas que bela entrada hoje.
A sua gatinha a D. Kika - tão linda e bem retratada.
Realmente a sua sobrinha tem jeito para a fotografia.
Pode juntar-se ao Gilinho que tem já uma parede
cheia de fotos - na fazenda - das duas bonequinhas.
São muito lindas as duas. Muito boazinhas - so
dormem e comem. uma paz de alma.
O Gilinho agora passa o tempo com elas e está
deliciado.
Aqui em casa as nossas gemeas também estão
cada vez mais engraçadas - O Gilinho comprou
para elas também o fato de Emilia - a tal do
sitio do pica pau - tudo para tirar fotos.
É uma loucura - 4 bonequinhas lindas.
Posso considerar-me um sortudo neste final de
vida.
Vidas! - pensamos nós ser assim... e na verdade
é tudo de outra forma...

E a minha amiga como está?
E os olhos?? Já está bem deles?
Não tenha medo que não custa nada. Faz-sse bem
e depois é que agente vê como é uma maravilha.

E agora referente a esta pagina devo dizer que
Gosto imenso, imenso destas paginas que escreve.
São tão gostosas de ler como é fofinha a sua Kika.
E 1000 posts já é um numero consideravel.
Fico sinceramente feliz.
Parabens

Com amizade e muita admiração

Luciano


De Maria José a 23 de Março de 2011 às 17:57
Queridos amigos
Nem avalia as vezes que aí vou de visita "em pensamento". Muitas vezes imagino como deve ser doce ver essas lindas crianças crescer , sorrir e brincar. Como é reconfortante nas nossas idades receber abracinhos dessas "pessoinhas" queridas.
Na semana passada estiveram cá minha irmã com uma neta e uma bisneta. Desta vez foi a Conchinha.
que é muito meiga e me rgala com abracinhos.
Basta-me olhar para ela e pedir um "colar" que ela já sabe que espero te-la pendurada ao meu pescoço.
Enfim pequenas grandes coisas que adoçam a vida
Como vê, cá vou escrevinhando de quando em vez...
`´E um vício de que não me curo, como se vê...
Espero resolvr em breve o problema da visão. Já faltou mais.
Não vou pedir mais vezes fotos das meninas porque, é evidente que não vos dá jeito.
As minhas duas sobrinhas netas gémeas, as"Anas" andam aqui a passar e a encantar-me no computador.
Também são muito queridas.
Saudades para todos com um especial abraço para o Aristeu e para o meu amigo
Maria José


De eva a 24 de Março de 2011 às 13:10
Querida Maria José, que belo texto e tão verdadeiro sobre as mãos. E como sabe bem ler uma escrita que nos enche de paz. É como água que corre mansa junto de nós. Talvez como as festas que fazemos ao gato, lentas e correspondidas com aquele fechar de olhos cúmplice e a placidez de quem está bem com a vida.
Gosto muito de a visitar e peço a Deus que as suas "rosas de túmulo" perdurem por bastante mais tempo de modo a podermos usufruir das maravilhas que as suas mãos produzem.
Bem haja!


De Filomena a 27 de Março de 2011 às 00:41
Também eu recordo umas mãos enrugadas e cansadas de tanto tempo viverem, umas mãos que me guiaram, apoiaram, educaram e me acariciaram tantas e tantas vezes. As mãos da minha avó!
Para mim elas eram belas, os dedos finos, as unhas ligeiramente compridas e bem bonitas por sinal. É verdade que as suas veias estavam escuras e salientes, os ossos dos nós-dos-dedos um pouco mais largos, mas eram as suas mãos. A mão amiga que nunca me abandonou... ah que saudades!
Lembro-me, de também ela olhar para as suas mãos e comentar com alguma tristeza: "Chamavam-lhes os lírios brancos, diziam que eu era a menina com mãos de lírios brancos... e agora estão assim." Naquela altura não entendia o valor das suas palavras, que importância fazia as mãos "assim ou assado", cumpriam a sua função... Hoje sinto a falta de as ter entre as minhas e começo a entender o sentimento da minha avó. Também as minhas mãos já não são como eram...
Minha cara amiga (permita-me que a trate assim) em primeiro lugar gostaria que me perdoasse esta intromissão, mas não pude deixar de comentar algo tão bonito, não me quero despedir sem a congratular pelo excelente blog e agradecer-lhe pelos momentos de prazer que me proporciona.
Permita-me deixar-lhe um beijo nas suas mãos magníficas.
Filomena


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@