Quinta-feira, 27 de Outubro de 2011

CARTA A ELVAS

Jornal Linhas de Elvas

Nº 1.878 – 6 de Março de 1987

A La Minute

CARTA A ELVAS

 

Querida Elvas:

Obrigado por não teres faltado. Foi muito bom ver-te, presente e interessada, no colóquio em defesa da língua portuguesa.

Confesso que tinha um certo receio de que estivesses tão distraída ou ocupada, que não aparecesses. Ainda bem que assim não aconteceu!

Penso que tudo quanto se passa na tua Biblioteca e no teu Museu te diz particularmente respeito que deverás aparecer deliberadamente, sem esperar convites especiais.

Aqueles espaços são teus, e por essa razão farás muito bem indo lá sempre que os assuntos te suscitem curiosidade ou interesse. Afinal, ninguém desdenha saber o que se passa em suas casas, como é lógico.

Porem, de qualquer modo, confesso que estou a escrever para te dizer… obrigado! … Obrigado, de verdade, pelas manifestações de compreensão que dás com a tua presença.

Isso ajuda. Tu sabes.

Preparar uma reunião e depois não ver aparecer as pessoas a quem ela se destina não é só desagradável… é triste!

Olha, Elvas, aproveito para te prevenir que no sábado dia 7 às 17 horas, na Sala Públia Hortênsia, vamos abrir o piano e tocar um bocado. Vai ser uma tarde diferente, e ao mesmo tempo, um bom pretexto para estarmos juntos de novo.

Tu sabes que não me canso de repetir que tu tens muita sorte. Tens uma Biblioteca linda. Invejável. Preciosa, podes crer.

Goza-te bem dela. Utiliza-a. Vale a pena, não tenhas a menor duvida.

Desculpa a insistência. Não te roubo mais tempo. Ainda tenho umas coisitas a preparar para o nosso encontro.

Não te esqueças, Elvas, aparece. Sem ti, não há festa possível.

Escutarás Bach e haendel! … vais gostar… verás.

Conto contigo… já sabes.

 

Maria José Rijo

 

P.S. – Podes levar as crianças.

Há sempre lugar para elas e, como toca também gente nova “elas” não irão aborrecer-se.

Espero-vos

 

Maria José


publicado por Maria José Rijo às 19:12
| comentar | Favorito
partilhar
2 comentários:
De Xavier MArtins a 27 de Outubro de 2011 às 19:27
CAra amiga
Regressei a casa - isto ainda não está famoso
mas dá para o gasto.
Ainda ando recolhido... este frio não é lá muito
bom, mas enfim.
Hoje poderá mesmo mesmo dizer que estava por
detras da porta. Hoje estava mesmo.
Andava por aqui lendo isto, vendo aquilo,
e de repente
pagina nova e li - sabe que falhei - não estive
presente porque na altura estava a viver noutra
cidade.
Mas então, o passado já la vai, mas falhei esta.

E a Sra como está? espero que bem e
Parabens por mais esta A LA Minute.

Felicidades e Boa Saúde
Xavier MArtins


De GUS a 28 de Outubro de 2011 às 10:04
Minha querida Tia
Espero que esteja bem de saude.
Agora o tempo parece que mudou, quero dizer
que a estação entrou relamente, o que já fazia
falta.
Eu adoro a chuva, o vento frio pela manhã, até
a neve e a maneira como pinta a paisagem.
Estou saudoso dos seus poemas - não faz ideia
como gosto e sinto falta deles.
Conheço os que publicou mas gostava de conhecer
os que tem no papel - todo o poeta tem um
manancial escondido que espera olhar o sol...
Fico a aguardar a melhor oportunidade para
que eles e eu vejamos o sol.
Muitos beijinhos tia
Felicidades

do seu sobrinho

GUS


Comentar post

.Maria José Rijo


. ver perfil

. seguir perfil

. 53 seguidores

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
21
22
23

24
27
28
29
30


.posts recentes

. São Mateus 2017

. Participação - Programas ...

. Programa de São Mateus 20...

. Carta aos meus queridos A...

. Aniversário do Linhas - 2...

. Viagem a Fátima

. Reportagem do Jornal Linh...

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@