Segunda-feira, 28 de Maio de 2012

Resolvi falar de Amor

Jornal Linhas de Elvas

Nº 1.987 – 21 de Abril de 1989

A La Minute

RESOLVI FALAR DE AMOR

 

Às vezes, quando para tal tenho oportunidade, folheio os desenhos que os jovens que vão passando pelo espaço que lhes está dedicado na Biblioteca, por lá vão deixando.

Um pouco antes da Páscoa deparei com uma composição a que não resisti, recolhi, e guardo comigo.

Há por lá outras, mais ou menos expressivas. Todas têm interesse. Todas são linguagem de alma de quem as produziu. Todas encobrem (descobrem) uma intenção, algo da vida interior dos seus autores – mágoa – fantasia – imaginação – alegria – desespero – solidão – sei lá…

Mas, aquele desenho especial que guardo comigo, tem uma figuração e uma legenda que fazem pensar.

Diz assim:

 - “é dia de Páscoa construamos a paz e a felicidade”.

 Tem ainda um cão (quase sorridente) que cumprimenta um gato:

 - “olá” e recebe do felino idêntica amabilidade: - “olá”. Tudo isto rematando com o seguinte conceito:

 “o cão não anda a correr atrás do gato, porque estão a construir a paz e a felicidade”.

Completam o trabalho, uma figura de homem, outra de mulher unidas pelo letreiro que seguram nas mãos e no qual se faz o convite à construção da Paz e da Felicidade com as palavras sublinhadas duas vezes. Ao alto da folha brilha um belo sol muito redondo e amarelo. Assina – Pedro Miguel com data 11/3/89.

 

Não conheço o rapazinho. Não sei se é gorducho ou magricela, loiro ou moreno, olhos vivos ou mortiços, nariz pintado de sardas, joelhos esfolados ou qualquer outro traço particular.

Não o conheço eu a ele, nem ele a mim, creio.

Fiquei no entanto a pensar na “palavra certa”, que com alguns erros de ortografia, que por lá deixou, com a sua letrinha irregular de criança como quem deixa flores caídas de um ramo.

Tenho desde então olhado com frequência este desenho, sentindo sempre que me cabia não o guardar só para mim.

Pensei utilizá-lo por várias formas. Tê-lo-ia transformado em cartão de boas-festas de Páscoa se tal me tivesse sido possível. Não calhou.

Não o esqueci entretanto e, hoje, sem premeditação ao reler Rilke sobre tema eterno – o Amor – parei a pensar no menino e no desenho. Relacionei amor com ideal, rumo de vida, sonho, estrela do Norte, anseio de mais alto. Relacionei tudo isto com a esperança de que é feita a alma das pessoas e pensei que devia falar dessa centelha de fé no amor que pulsa no coração dos jovens.

Então resolvi esquecer os amargos e os descrentes, os que já não acreditam nem em si, nem nos outros, os que já tão longe do tempo em que sonhavam pureza e foram inocentes que chamam pejorativamente poetas ou literatos aos que se apoiam na alma limpa das crianças que estão perto ainda da mão do seu Criador que são indesmentíveis na sua fé e na sua esperança.

Dei comigo a sorrir tranquila, em Paz e resolvi falar de Amor.

 

Maria José Rijo

 


publicado por Maria José Rijo às 01:00
| comentar | Favorito
partilhar
3 comentários:
De XAVIER MARTINS a 28 de Maio de 2012 às 01:11
MAs que MAravilha de artigo.
Deste já não tinha memória minha Amiga.
É mesmo muito bonito.
O Amor é a alavanca da vida - digam lá o que
disserem.
Gosto mesmo destas suas A LA Minutes.
PARABENS
Por mais este.


Sabe que ando triste.
Já nem compro o Jornal Linhas...
como não vêm lá os seus artigos - o jornal
perdeu - PARA MIM - todo o interesse
Agora venho é aqui "beber" as suas palavras
como se costuma dizer.

e assim vamos andando...

BOA semana

Xavier MArtins



De Augusta Silva Torres a 28 de Maio de 2012 às 01:19
Minha boa Amiga
é bem tarde mas que fazer... as minhas plantações
só agoram estavam prontas para colher...
Vê... é o meu vicio...
O meu médico diz que me tenho de deixar desses
joguinhos que só me fazem mal à vista...
Muitas hortas no pc....
>Eu só me deixo rir...
A minha esperança de vida já não é muita pelo
que acho - que devo e faço tudo o que me
apetece...

E antes de ir para a caminha - vim ver de novidades
e eis que agora as novidades aparecem mais...
mais...
o que me deixa tão feliz.
Este artigo está BELISSIMO - uma maravilha da
literatura. Eu gosto e é a minha opinião.
Cada um terá a sua - a minha é agora a que está
valendo!!

Parabens pelos 200.000 - isto é muita gente !!
Fico Feliz.
Querotambém dizer que aprecio bastante as fotos
que acompanham os seus artigos - além de
espaçar o compacto da escrita - parece uma
segunda leitura.
Os meus PArabens pela escolha - não é facil
conseguir o que aqui temos.

Parabens amiga e já me estão a ralhar pelo
avançado da hora.
Esperojá esteja a dormir - nas nossas idades
convem dormir bem.
... eu vou já... mas ficava aqui à conversa
consigo... mas ... ordens são ordens.

Um grande beijinho
desta sua velha amigo
Augusta Silva Torres


De Flor do Cardo a 28 de Maio de 2012 às 23:01
200 000 mil e artigo novo...
Que maravilha.
Fico muito contente que esteja novamente a
bombar - expresão do Gilinho quando viu...
VIM VER!
Estou contente.
È bom mas amiga e coisas novas... noticias da terra
já não leio o Linhas... perda de tempo...
acho que já cortei muitos laços...
os anos ajudam a cortar - nem sempre a raiz
é sangue... nem sempre corre...
É verdade que corria ... mas agora apenas
decepção.

E a a amiga como tem passado?
Eu agora é uma canseira... mal faço algo...
parece que dei a volta ao mundo em 5'...
um transtorno !!

Mas cá vamos....
o medico diz repouso meu velho...
repouso - nada de preocupações e serenar
o espirito... comida saudavel... muita àgua
e ar puro...
bom... cá vamos...


O resto da familia sempre com coisas...
e loisas... o de sempre....

Um grande abraço e Boa saude para si
Cuide-se amiga


Luciano


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@