Quinta-feira, 5 de Setembro de 2013

Setembro 2013

Jornal Linhas de Elvas

Nº 3.241 - 5 de Setembro 2013

..

 

Qlhem quem fez anos dia dois !

Olhem quem deve estar muito contente a festejar ainda as visitas dos amigos !

Olhem quem espera os abraços de parabéns que em consciência fez por merecer!

Olhem quem, sem falhas, com mau ou bom tempo compareceu em cada semana, a seu jeito, para contar a cada qual, que o desejasse saber, as notícias que achou úteis e recolheu com trabalho e esforço, para elucidar, esclarecer com assumida opinião os acontecimentos que ao longo do ano foram marcando o dia a dia da cidade e do Concelho.

Este ano, para alem dos factos habituais, o” Linhas “ teve para oferecer festivas páginas e páginas de cor, cantando as alegrias que a Elvas couberam, e que pelo esforçado trabalho e inteligência de muitos, a cidade, conquistou com honra e brio.

 

Foram dias de legítimo conforto de alma para tantos que  mereceram essas distinções, o que todos louvamos, e que de longe e de perto todos e cada um dos elvenses reconhecidos, também agradecem. Não admira pois, que ,com a mesma veemência, deplorem o injusto silêncio sobre a memória de outros que por insondáveis critérios foram apagados.

Mas, a história não se compadece com ligeireza de critérios, nem ídolos, nem vaidades, só o distanciamento dos factos lhe dá a perspectiva exacta.

A história, só a posteridade a consolida e, ao cair, com o tempo, como sempre cai,”o manto diáfano da fantasia, que cobre a nudez crua da verdade”os vindouros hão-de honrar a memória de  homens como Vitorino de Almada, Eurico Gama, Tomaz Pires, António Sardinha, que estarão sempre ligados pelo seu talento e obras valiosas, às letras portuguesas e a Elvas particularmente, gravando os seus nomes nos espaços que ,por justiça, são seus de direito..

 

Hoje, ao felicitar este Jornal, cujo aniversário a cidade comemora com estima e gratidão, senti mais uma vez, que ele está vivo e já com mais de meio século de existência, porque tem um percurso marcado de honestidade, liberdade e sentido de arreigada independência como foi lema da batalha de onde lhe veio o nome e consolidou a independência da nossa Pátria.

Parabéns!

Bem hajam!

        

 

Maria José Rijo

estou: 2013

publicado por Maria José Rijo às 11:58
| comentar | Favorito
partilhar
4 comentários:
De Xavier Martins a 5 de Setembro de 2013 às 20:57
Hoje tive uma GRANDE ALEGRIA
ao ver no Linhas este seu artigo.
Uma pérola - como todos e cada um deles.

Os meus Parabéns . Gostei IMENSOoooo.
Espero que volte com mais artigos.

Um abraço e muito obrigado.
Com amizade
Xavier Martins


De Flor do Cardo a 5 de Setembro de 2013 às 21:07
Minha cara Amiga Maria José
Devo dizer-lhe que estava a espera deste artigo.
<do aniversario do nosso Linhas. Confesso que fiquei encantado, realmente quem nasceu para escrever - ESCREVE SEMPRE e BEM. O Apanágio da sua escrita é esta - escreve maravilhosamente bem e acho - mesmo cá de longeeee que muitos ciúmes dará a muita gente que não sabe escrever uma linha seguida. esta é a Maria José Guerreira que eu conheço. Os Meus Parabéns E a vidinha como vai? por aqui menos mal. As coisas... suavizaram-se um bocadinho e tenho de contar-lhe que o Gilinho foi passear para o Japão com uma nova namorada a Nancy que é um mimo de criatura. O Aristeu e a - com uma boa novidade - a Meg engravidou novamente e de gemeos... inacreditável. Eu aqui ando com estes amigos de Vila Viçosa. Fazemos tertúlias literárias e divertimo-nos imenso. Tudo parece começar a andar. E a amiga, não desanime, a vida é isto... Aposto que por ai já cheira ao São Mateus. aposto que o tempo arrefeceu um bocadinho e no ar já se sente aquele perfume dos Setembros... essse perfume que só os elvenses sabem sentir... Não é verdade... Devo confessar-lhe que já estou ansioso por ver aqui as fotos da sua sobrinha sobre o evento principal de Elvas. Fico aguardandoooo Com amizade e saudades Luciano


De Aristeu a 6 de Setembro de 2013 às 20:17
Minha querida Tia
Sinto-me orgulhoso de a ter como Tia.
este artigo mostra a sua grandiosidade, digam o
que disserem. a verdade a cima de tudo !!

O meu Pai está muito contente e todos nos.
PARABENS minha tia.
Fique feliz.
bem haja por esta sua forma SUBLIME de escrever
.
Gosto muito de si.

beijinhos

Aristeu


De Amilcar Mendes a 6 de Setembro de 2013 às 20:20
Minha cara Amiga
Foi com um enorme prazer que li o seu artigo,
este que temos aqui na sua pagina.
É de Louvar a sua forma de escrever.
Bem haja pelas suas palavras, pena é que
como sempre os elvenses baixem a cabeça.
Estou muito contente e assino na linha logo
abaixo do seu nome.

Bem haja

Amílcar Martins


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

. OLÁ Dolores

. 2007 - 2017 = 10 º Aniver...

. ENCONTROS DE CIRCUNSTÂNCI...

. Recado para os Sobrinhos ...

. Saudades

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@