Sábado, 14 de Julho de 2007

O segredo é amar

Era um dia igual a outros dias.

Na varanda da vizinha, lambia-se fazendo a sua higiene da manhã o mesmo gato cinzento que gosta de se espreguiçar ao sol, e eu já considero como elemento indispensável do meu horizonte quotidiano...

No mesmo horário, o jovem marido faz um adeusinho dengoso à mulher, que ainda despenteada lhe acena por detrás da vidraça, enquanto ele põe o carro em marcha...

Raparigas e rapazes vestidos de igual na comodidade negligente das calças de ganga e blusões chamam-nos à indicação do calendário de que as aulas estão a começar...

Rebolando na rua, a rosnar com alegria dois cachorros - fugidos por instantes dum portão aberto por distracção - fingem morder-se e, na brincadeira, disparam numa corrida desenfreada...

Entra e sai gente das portas. Há janelas a bater...

Um arzinho fresco com cheiro, já de Outono, afaga-nos o rosto...

No pavimento tisnado de alcatrão, bailam e rastejam as primeiras folhas das árvores que lentamente se despem da pujança das copas frondosas...

Das chaminés das casas sai fumo que com o vento desenha pinturas que o próprio vento esvai...

Voam pombos rente às casas...e a cidade ouve-lhes o roçagar das penas das asas...como murmúrios dos céus...

É a cidade a viver.

É um dia igual aos outros...

Mas é onze de Setembro e o telefone toca. A pergunta vem: - tem a televisão aberta? - então abra...

...Os repórteres, os jornalistas, os políticos, todos quantos têm acesso aos meios de comunicação de qualquer espécie, têm escrito e falado e mostrado a destruição das torres de Nova Iorque e o ataque ao Pentágono, com que os terroristas surpreenderam o mundo.

13 de setembro de 2001: bombeiro de Nova Iorque olha para o que sobrou da Torre Sul do World Trade Center

E que o mundo viu em directo.

E todos, sem excepção, falam na forma de retaliar tão hedionda façanha.

Como todas as demais pessoas, sigo com preocupação e interesse o desenrolar das negociações entre os povos ainda não refeitos da surpresa e do horror do sucedido.

Volto à janela. Está tudo lá. Porém, nada mais é igual...

Como todas as demais pessoas, comungo no desejo de que se possa exercer justiça castigando os verdadeiros culpados; e no receio de que sendo difícil conseguir tão milagroso feito, voltem muito mais justos a pagar pelos pecadores.

Paisagem assustadora de fumaça envolvendo os arranha-céus.

Cresce nas consciências o terror de que a justiça descambe para a vingança. Na convicção assumida de que ódio não se sara com ódio altos responsáveis alertam para a prudência...

Fixei - num dos apontamentos de reportagem a que assisti uma frase que me martela no cérebro como um acenar de esperança...

Uma das vítimas, a bordo de um dos aviões, ao aperceber-se que beirava o fim da sua vida, telefonou ao marido só para lhe dizer que o amava.

Também um filho numa das torres já em derrocada fez outro tanto dirigindo-se a sua mãe.

Nem ódio nem vingança.

Uma mensagem com o gosto de um beijo de adeus...

Uma mensagem de AMOR.

Sem quase me aperceber pensei em Sebastião da Gama,0001gf74 o Poeta da Arrábida. O poeta do amor à VIDA, que sempre soube que trazia consigo a morte que cedo o levaria...

Talvez, também, por isso, nunca desaprendeu, quando adulto, o que quase todos esquecemos desde que deixamos de ser meninos, e foi a sua oração de VIDA: -“ O segredo é amar”

Fiquei então remoendo na lembrança dois versos de um soneto - seu - que tem esse mesmo titulo:

                      “Ah! bem me parece que o Amor melhora

                       Quanto a graça de Deus não fez bonito.

                       Há lá coisa mais linda do que um grito

                       quando foi o Amor que o pôs cá fora!...”

 

                                                       Maria José Rijo

                                                Escritora,poetisa e Pintora

 

@@

Revista Norte Alentejo

Set./Out. –nº 14  -- 2001

estou:

publicado por Maria José Rijo às 13:19
| comentar | Favorito
partilhar
2 comentários:
De Mário Picão a 14 de Julho de 2007 às 21:51
Estou fascinado com a sua forma de escrita.
Tem aqui textos surpreendentes.
Os de cariz politico agradam-me bastante, como o do Sócrates , estava "no salto".
Nas poesias continua a mesma alma, a mesma sensibilidade...
Desculpe Maria José Rijo, mas estou apaixonado pelas suas palavras, pela sua sensibilidade. Na rede existem milhares e milhões ... de blogs, alguns muitíssimo bons, mas na forma Lusíada , no amor, na escolha de temas - dou a nota 20 e os meus Parabéns, sinceros e do tamanho do mundo.
Só tenho um porém - estar a publicar textos, da qualidade dos seus num jornal de província , (nada contra o jornal) mas a sua BELLA PENA merecia um jornal maior, mais abrangente ,
mais lido e compreendido por milhares de portugueses...
Bem haja
Seu novo leitor e arquivador dos seus textos

Mário Picão
de Lisboa


De Luciano a 14 de Julho de 2007 às 21:54
Adoro Sebastião da Gama.
Muitos Parabéns pelo se blog
É magnifico
Gosto dos seus fados, das suas belas poesias.
Publique o seu livro de flores... já está publicado? Como posso comprar? -- Li aqui algumas e estou encantado.
Parabéns

Luciano


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

. Cá Estou ... - 1

. OLÁ Dolores

. 2007 - 2017 = 10 º Aniver...

. ENCONTROS DE CIRCUNSTÂNCI...

. Recado para os Sobrinhos ...

. Saudades

. A Feira de São Mateus 201...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@