Quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

“Exortação Ao Meu Anjo”

Este é o titulo de um poema de José Régio, do qual, mais do nunca, me vem à lembrança algumas estrofes. Nesta época um tanto conturbada, ou, politicamente confusa – também assim se poderá dizer – que a nossa cidade vive.

Cada um de nós, crentes ou não crentes, por certo já viveu, pelo menos uma vez, qualquer circunstância que nos fez invocar a ajuda de uma qualquer divindade ou entidade que consideramos acima das nossas capacidades humanas.

Pois quer o tivéssemos feito, quer não, parece-me ser este, também, o momento certo para que cada um de nós exorte o seu anjo e lhe reze usando o poema de Régio

 

“Quando a verdade, que é nua,

Me cegar como um sol, e eu me voltar para onde há lua,

E procurar jardins convencionais e plácidos,

Queima-me com os teus olhos ácidos!

 

Quando eu julgar, falando dizer tudo,

Faz ante mim sorrir teu lábio mudo!

Quando eu me poupe a falar,

Aperta-me a garganta e obriga-me a gritar!”

 

 

Penso que a prepotência, a falta de senso de justiça e tudo o mais que atropela e ofende a nossa dignidade como elvenses, pessoas de bem que somos, e como cidadãos de direito, clama a uma só voz que - se nos acomodarmos – nos recusarmos a falar – a agir, - como é nosso direito e nosso inadiável dever – o “nosso anjo”nos  aperte a garganta e nos obrigue a gritar:

Senhor Vereador Rondão Almeida

Soberano, aqui é o Povo.

O Povo que exige ser respeitado nas suas escolhas.

Presidente de Câmara, não é lugar vitalício!

A sua hora, passou.

Acredito que, quando o ouvíamos repetidamente afirmar com ênfase:

- “no meu reinado!  no meu reinado!”se tratava apenas de uma figura de retórica.

Não nos leve a crer que se tratava de íntima convicção,

porque – isso - seria assustador…

Está na hora de se afastar com a dignidade que ainda lhe for possível – depois dos lamentáveis episódios de que foi protagonista, querendo ocupar um cargo que  já não lhe pertence - até porque, também a “comenda” que lhe foi atribuída acresce as suas obrigações de civilidade.

Talvez assim., ainda possa ser recordado com alguma simpatia e gratidão que, ao logo de vinte anos, por certo, também terá merecido, e, não exclusivamente, por aqueles que, por seu desígnio, a nossa Câmara tão ostensivamente endeusou …

Preocupada, como todos os elvenses, mas ainda confiante num desfecho digno

 

 

Maria José Rijo


publicado por Maria José Rijo às 12:17
| comentar | Favorito
partilhar
2 comentários:
De fafita a 22 de Agosto de 2014 às 16:16
forma sublime de "regiar" o reinado. O monstro parece estar adormecido. Será que finalmente Elvas vai seguir em frente como Municipio livre de abutres ?
Parece que ainda rondam grilos lá para as bandas das Sochinhas.
oxalá nunca mais voltem a cantar por estas paragens
que tanto os envaideceram e tantos euros nos custaram.
Que a nova mocinha nos faça rapidamente esquecer a velha SENHORA que há 20 anos embruxou Elvas.
Beijinhos, tia Zé


De Xavier Martins a 23 de Agosto de 2014 às 20:44
Ora, Ora... mas que bem...
Adorei este artigo... já tinha lido mas não tinha
tido oportunidade de escrever...
Pois bem...
Finalmente os elvenses abriram os olhos que
estavam fechados a cera...
20 anos foram muitos anos e tudo o que é demais
cansa até à alma...
E foi o que aconteceu... agora parecem mais
libertos... mas os vulcões ainda não estão
extintos... a lava ainda se solta... raiva, odio e
e a vingança... ainda vão brotar como as flores
na primavera...
Que não se acautelem os elvenses...

Quanto ao seu artigo devo dizer que está
claramente fantástico, como sempre...
Também concordo que é a hora dos dois
protagonistas da guerra politica de Elvas
se afastem para sempre - o tempo fechou para
eles e já devem de estar a ver que os amigos
já não são os mesmos - nem em qualidade,
nem em quantidade.
Bom... mas cada um sabe o que faz e o que diz...

Os meus parabéns a Si minha amiga
e á cidade e aos elvenses que mostraram a
coragem que pareciam ter perdido...

bem haja

Xavier Martins


Comentar post

.Maria José Rijo

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Parabéns Avelino

. Parabéns Luciano

. CONVITE

. Cá Estou ... - 2

. CORAL PÚBLIA HORTÊNSIA DE...

. CRIANÇA - 1990

. Parabéns

. A afilhada da Tia Zé

. Páscoa - 2017

. Homenagem a Maria José Ri...

.arquivos

.tags

. todas as tags

. Dia de Anos

. Então como é ?!

. Em nome de quem se cala.....

. Amarga Lucidez

. Com água no bico

. Elvas com alguma rima e ....

. 28 de Fevereiro...

. Obras do Cadete

. REGRESSO

. Feição de nobreza

.links

.Contador desde- 7-2-2007

Nova Contagem-17-4-2009 - @@@@@@@@@@@@@@@@ @@@@@@@@@@@@@@@

@@@@@@@@@@@@@@@ A Seguir-nos por aqui. Obrigado @@@@@@@@@@@@@@@@ free counters
Free counters @@@@@@

.Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

.ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

.LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@