Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O ALECRIM

Domingo, 16.03.08

Foi uma cantiga, que me disse a mim, que a flor do mato era o alecrim.

O alecrim é uma planta popular. Cria-se sem cuidados em terrenos pobres,

como gente sem linhagem. Não impõe distância a ninguém como as

altivas e nobres flores de estirpe.

Do alecrim até se devia pensar em sentido colectivo - como quando

se diz: - Povo!

A flor do alecrim é azul anilada, miúda, franzinita, mas doce na sua modéstia.

As abelhas libam-na com gula e as pessoas cheiram-na com gosto.

Cresce nos campos, vive nos quintais e não desdenha mesmo como sebe,

viver em jardins mas... tem tradições !

Cumpre ritos e crenças. É cinza em Quarta – Feira de Cinzas!

Vai à missa em Domingo de Ramos.

Vai moiro – volta bento.

É oferecido para lapela de padrinho, decote de madrinha... onde fica

a murchar e a recordar obrigações de amêndoas para Quinta-feira Santa.

... “Aqui está este raminho!

Verde é e verde cheira...

e fica preso para Quinta-Feira!...”

Seca esquecido.

Vai para o lixo ou para o fundo da gaveta e dele nos apercebemos pelo

discreto e vago perfume, como de uma reminiscência...

- É tempero ! - vai ao forno no assado (há quem aprecie) mas, calha a

preceito no cozinhado do coelho manso a que corta a insipidez da carne

doce e branca !

- Faz chá de beleza para cabelos fracos. Recompõe roupas pretas já

gastas e ruças pelo uso...

- Entra nas mézinhas das bruxas quando fazem benzeduras!...

“Eu te coso, por carne quebrada e nervo torto!

Melhor cose a Virgem do que eu coso.

A Virgem cose por vão - eu coso pelo osso

Em louvor de Deus e da Virgem Maria

Padre Nosso e Avé Maria!

E... a velha a coser no novelo com a agulha sem linha e o alecrim

inocente - a arder! - a arder!... a arder!... - a consumir-se ao

som das loucas ladainhas .

É uma panaceia !

Aviva a memória! - conserva a juventude !

E... nas trovoadas’!!!

- Que é do alecrim ? - o alecrim benzido ?

- onde pára ele ? - onde está metido ?

p’ra queimar um pouco

que afasta os trovões !

Ai, Santa Barbara – nos acuda

Ai que aflições!

Barbara bendita - que no céu está escrita

e na terra assinalada!...

Superstição e fé de mãos dadas. Verdades e lendas com o

mesmo perfume: - alecrim!

- Ai alecrim, alecrim!

Também te cantam ! - Cantam-te aos molhos mas logo te acusam:

“Por causa de ti choram os meus olhos”

És pobre e modesto! - logo te culpam ! - Então como querias?

- mas tu, alecrim - porque não desmentes?

Ai alecrim! Alecrim!

Não fora a fogueira, o fumo

e toda a gente veria - se isto não fora assim como me ardem os olhos

como minhas faces queimam de chorar  triste por mim !

Ai alecrim! Alecrim!

Das cinzas que restam - do tempo passado

o vento que sopra - espalha sem dó

tudo o que encontra do fogo apagado

e no chão varrido - na mancha sem pó

Só baila a saudade

Só, saudade, só !..

  

Maria José Rijo

LIVRO DAS FLORES

@@@@@

Fotos do blog:

http://olhares-meus.blogspot.com/

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria José Rijo às 21:02


18 comentários

De Dolores Maria a 16.03.2008 às 23:28

Minha querida Tia
Hoje neste domingo de ramos um beijinho
imenso, imenso para si e para a Paulinha.
Lá fui eu para a igreja benzer o raminho cá
de casa.
Cantei na igreja, como em todos os domingos
e depois fomos para casa almoçar.
Foi um dia em familia muito agradável.
E agora... agora...
esta belissima surpresa o alecrim aqui com
um poema especialmente belo, com fotos
excelentes e com uma linda abelhinha e tudo...

Oh queridinha Tia
ADOREI a surpresa do Alecrim.
Beijinhos grandes
Pascoa Feliz.

DO LO RES

De maria José a 17.03.2008 às 20:59

Sabe, Dolores querida, que os seus comentários, são preciosos para mim?
Pois são. A sua felicidade e alegria transparecem neles, tanto como a sua sensibilidade.
Obrigada por me contar da sua vida que já foi muito parecida com a minha, mas é bem diferente agora.
Sábado e domingo estive só em casa. Nem abri a porta da rua. Ouvi música, escrevi uns artigos para os jornais da terra,falei ao telefone com minha irmã e alguns sobrinhos que vivem em Lisboa e, com algumas amigas e, várias vezes com a Paula que esteve a trabalhar.Pedi-lhe que pusesse on-line - que são dela - as fotos, lindas,que expõe, mas ela recusa-se. como se o resultado final do trabalho não resultasse muito da forma artística de tudo quanto ela faz.Estou convencida que ela só não se fecha num armário porque no escuro não tiraria fotografias.
Desejo-vos de todo o coraçao uma Santa Páscoa, e entretanto vamo-nos falando .Está bem?
Beijinhos.A Luisinha também é ruiva?
A minha Caroina também era assim linda.
Beijinhos -tia Zé

De Dolores Maria a 17.03.2008 às 23:10

Minha querida Tia
Acabei de ler este belissimo comentário
e dirigido a nós...
Fico contente por saber que gosta do que comento
aqui nesta sua casa linda.
Lamento que este fim de semana estivesse
sózinha, mas sabe querida tia que é comum as
pessoas - daqui para a frente - ficarem mais sozinhas
porque a vida da juventude - não os aproxima
das pessoas de idade - na verdade eles afastam-se
o que é uma pena, uma pena muito grande.
Pergunta se a Luisinha é ruiva, como eu - mas
não é - a Luisinha é parecida com o Pai e tem os
cabelinhos muito pretos.
Querida Tia faz-me muito bem conversar
consigo, a Senhora é muito querida.

Muitos beijinhos Tia

DO LO RES

De Gustavo Frederich a 17.03.2008 às 00:36

Conta-se que numa viagem Nossa Senhora
sentou-se à sombra de um alecrim para dar
de mamar ao menino Jesus: por isso
acredita-se que a planta nunca atinja altura
superior à de Jesus adulto.
Outro conto diz
que a Bela Adormecida foi acordada pelo
príncipe com um ramo de alecrim.
Os gregos usavam coroas de alecrim em
festas, como símbolo da imortalidade.
A crendice popular usa o alecrim para
afastar olho gordo, erva da juventude eterna,
do amor, amizade e alegria de viver.
Erva colocada debaixo do travesseiro afasta
maus sonhos e Tocar com alecrim na pessoa
amada faz ter seu amor para sempre.
--

Gosto Muito das suas flores minha tia
querida.
São de um perfume que chega à alma.
Através delas podemos caminhar pelos
jardins do mundo.
Muitos Parabéns Tia querida.
O seu blog está a cada dia muito mais
bonito.

Seu admirador

Gustavo Frederich

De Maria José a 17.03.2008 às 22:09

Vou-lhe dizer um segredo:- sempre pensei que fosse loiro, mas o que nunca pensei, foi, que soubesse histórias tão lindas, até sobre o alecrim.
Os seus comentários têm sempre qualquer surpresa para mim e muitas vezes,me oferecem achegas muito interessantes. São as lenga-lengas, os poemas, sei lá que mais, que vai acontecendo e o vai tornando como que mais familiar pela afinidade de gostos nestes caminhos onde sempre se cruza quem gosta de música e de livros .E, por livros...
Em 67, moravamos nas Caldas da Raínha.
Minha única sobrinha "Mimnim"como eu a tratava(ela aparece abraçadinha a mim, na barra do lado)que já era então uma mulherzinha,levou de visita a nossa casa um amiga francesa com quem fazia permuta de férias.
Aconteceu, encontrarem por acaso num café, um casal de professores da Universidade de Poitiers que ela frequentava. Levaram-nos a nossa casa e, vendo
alguns livros sobre uma mesa, a conversa foi nesse sentido, e, como nesse tempo eu "ainda" falava bem francês mandaram-me da colecção - Poètes d'aujourd'hui um livro de Rainer Maria Rilke recomendando:A vous de faire enfin la bonne traduction manquante!
Embora isto seja, na minha vida, como que uma anedota, guardei como marcador para o livro o cartão timbrado da "Faculté des Lettres" do senhor Button e, por este caminho cheguei à biografia de Lou Andreas- Salomé - Ma soeur mon épouse.
E,eis como das cartas - passei para os poemas.
Penso já lhe ter contado que é a nossa Paulinha quem faz aquelas fotografias que até têm abelhinhas.
Orgulho-me de si ! - sabia?
Beijinhos -tia Zé

De Flor do Cardo a 17.03.2008 às 01:01

Cara Maria José
Este seu livro das Flores - não tenho?
Tenho algumas flores que sairam no
Linhas,mas não tenho todas.
Devo dizer-lhe que são muito Lindas.
Os poemas estão de uma beleza - cujas
fotografias acompanham os versos.
ADOREI.
Muito Bonitos.

Seu amigo e admirador - desde sempre

Flor do Cardo

De maria José a 17.03.2008 às 22:34

Fico muito contente por saber que continua a decobrir cada vez mais motivos para se adaptar a esse belo País.
Eu estive no Brasil durante um mes e, como apaixonada que sou pela natureza vivi esse tempo deslumbrada com as árvores e a paisagem.
Comprei livros sobre a flora e um sobre aves.
Tomei banho em cachoeiras, andei por verdadeiros caminhos de cabras, dei de comer à mão a esquilos e
nunca equecerei a maravilha que é um ipê amarelo em flor.
Agora em Elvas as olaias estão no máximo da floração.Vou pedir à nossa Paulinha que ponha on-lne fotos delas para dividir convosco as belezas da nossa terra.
Desejo-vos uma Santa Páscoa.
Um abraço grande e amigo
Maria José

De Luis carlos Presti a 17.03.2008 às 01:05

Olá Tia
Já é bem tarde mas então e eu que não tenho
sono.
Ando por aqui - na sua companhia a ler ae a
reler estes seus textos magníficos que a Senhora
aqui coloca.
São especiais - todos e cada um deles.
Sabe Tia - estou enamorado dos seus desenhos,
atraem-me muito a forma como "fala" das mãos,
o risco que as desenha, as mostra e quase nos
toca.
São realmente especiais.

Vou er mais um bocadinho.

BEIJINHOS
Luis Carlos presti

De Maria josé a 18.03.2008 às 11:09

No meu coração já lhe tinha marcado falta. Não é que lhe imponha a obrigação de me aturar, claro que não.
Amar é, tabém isso, dar liberdade, respeitar espaços, e eu amo do coração os meus queridos companheiros de conversa neste caminho da net.
Mas, há sempre um mas... já reparou?
Todos nós temos tendência para criar hábitos, e daí que quando não os avisto por perto durante dias, me preocupe e, respire melhor quando vos sei em bem.
Beijinhos, Luis, boa Páscoa.
Eatá quase de rgresso a Itália, não está?
Que estes dias das suas férias tenham sido felizes.
Obrigada pelos comentários.
Mais um beijo - tia Zé

De Maria João Brito de Sousa a 17.03.2008 às 13:29

Só agora tive um momentinho para vir render homenagem ao seu alecrim. Tem mãos de fada, a Maria José! Tudo aquilo em que toca fica mais vivo, mais presente, mais bonito!
bem haja, minha amiga!

De maria josé a 18.03.2008 às 11:24

Vou-lhe contar que já não é qualquer coisa que me encanta ou surpreende.
Tenho, mais de oitenta anos e, para além de ter amortalhado os Amores da minha vida, até já vivi um terramoto.
Pois saiba que a sua poesia, abala e, muito, a minha alma.
Não sei se a felicite! Se ria feliz ,ou se chore consigo.
Sei que a leio e de todo o meu coração a abraço por cada verso seu...
maria josé



De Bernardo Oliveira a 17.03.2008 às 16:55

Adoro o seu blog a cada dia está melhor.
Este poeminha de dia de Ramos
é maravilhoso e acompanhado por LINDAS
fotografias.

Parabéns
Seu admirador

Bernardo Oliveira

De Maria José a 18.03.2008 às 11:34

Bernardo Oliveira diz adorar o meu blog - pois eu adoro os meus Amigos que são generosos ao ponto de me acompanharem nesta "viagem" mais ou menos intimista que, ao longo da vida, fui fazendo pela escrita.
Obrigada por estar presente - um abraço grande e
os melhores desejos de uma Santa Páscoa
Essa beleza de fotos é da nossa Paulinha - a autora do blog é ela. Só são meus os textos que, como se prova ela valoriza, como verdadeira artista que , sem favor -é.

maria josé

De Amilcar Martins a 17.03.2008 às 18:16

Nesta semana da Pascoa - além de ler as preciosidades dos seus textos - tanto de prosa
como de poesia - venho deixar um beijinho
e desejar uma Páscoa muito Feliz e muita Saúde
para continuar a escrever com esta garra
repleta de vida.

Com amizade

Amilcar Martins

De Maria josé a 18.03.2008 às 11:42

Há um ditado que diz: ande lá por onde andar, o frio, no Natal há-de chegar.
Eu , dos Amigos, direi outro tanto.Andem lá por onde andarem, em festividades e aniversários aparecem.
Também lhe desejo uma Santa Páscoa, e junto a esse desejo de coração, um abraço agradecido pela sua presença e pelas suas palavras tão generosas
Maria josé

De Dina a 18.03.2008 às 00:50

Ao ler este texto voltei a ser criança e a descer o Aqueduto ao mesmo tempo que ia colhendo ramos de alecrim...há alguns anos ainda restavam alguns pés não sei se hoje ainda haverá algum que continue a resistir.
A próxima 5ª feira vou sentir saudades de Elvas. Vou-me lembrar que está a decorrer a procissão que sempre considerei a mais bonita de todas as que se realizam na Semana Santa. E a ela associo o alecrim e as amêndoas...será que a tradição ainda resiste?
Beijinhos

De maria José a 18.03.2008 às 11:54

Às vezes, lembramos momentos tão felizes que apetecia pedir ao tempo que voltasse atrás...
Mas, quando se pensa no que o tempo apagaria, logo se lhe pede que caminhe...
E que vá ligeiro, para serem um dia os filhos dos seus netos a ouvirem da boca da bisavó a bela história do alecrim criado á beira das muralhas nesse outro tempo, em que a todos se há-de sobrepor o cheiro da saudade a quem o evocar
A Dina está no meu coração
Desejo-lhe uma Santa Páscoa - também dentro de mim ressoam as matracas da solene procissão...
Um beijo - maria josé.

De Maria João Brito de Sousa a 18.03.2008 às 22:27

Minha muito querida amiga,
A senhora é uma pessoa por cuja escrita e pintura tenho a maior admiração. As suas palavras deixam-me, a mim, sem elas. Não sei como lhe agradecer.
Nunca imaginei que uma pessoa tão extraordinária se pudesse interessar pelos meus poemas.
Quando conseguir patrocínio para o meu livro, será senhora quem receberá o primeiro exemplar.
Neste momento não me encontro de muito boa saúde e amanhã terei de ir ao meu médico por isso penso que esta semana não será muito produtiva, em termos de publicação no poetaporkedeusker.
Bem haja pelas suas palavras que, para sempre, guardarei no coração.
Desejo-lhe uma Santa Páscoa.
Um grande abraço com todo o meu coração.
Maria João

PS. Peço mil desculpas por só lhe responder a esta hora, mas estive fora de casa todo o dia

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2008

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031


comentários recentes

  • Anónimo

    GUSCom fé no Sr. Jesus da Piedade, rezo por si com...

  • Anónimo

    Querida TiaEstou internado no Hospital com o covid...

  • Anónimo

    Cá estou eu ... meia hora depois da meia-noite...B...

  • Anónimo

    PARABÉNS PARABÉNS PARABÉNS Muitos beijinhos n...

  • Anónimo

    Minha querida TiaMuitos Parabéns pelos 94 anos - q...


Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@






ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@


links

BLOGS DA CASA

EFEMERIDES

Aniversarios Blog

Culinaria

K I K A

Paginas de Diário

2020

2019

2018

2017

2016

2014

2015

2013

2012

2011

2010

Cá estou ...

Mais alguns...

Alguns...

Alentejo

Eurico Gama

Artigos sobre...

Escola Musica / Coral

Elvas Cidade...

Escritores e...

A Familia

Sebastião da GAma

Minhas sobrinhas Bisnetas

Meus sobrinhos Netos

Meus sobrinhos

Diversos...

Páscoa

São Mateus

Cartas especiais

noticias em Jornais

Dia da Criança

Cartas do Brasil- 1996

AÇORES

Juromenha

Col. de Gastronomia

O Natal

Exp. MuseuTomaz Pires-1984

Exposição PERCURSO-2008

HistóriasCmezinhasEreceitas

Revista Sénior

JOSÉ RIJO

Hospital e Maternidade

Livro de Reminiscências

Livros- de HistóriasInfantis

  • A história da Cotovia
  • A história de uma Flor
  • A historia do Castelo
  • AlendaMisterioso vale florido
  • O sonho da Joca
  • A menina de Trapo
  • A avó conta 1 historia
  • Conto - Margarida - 1
  • Conto-Margaridavaicontente
  • ... então sonhei!
  • O Cavalinho encantado
  • A princesa Jasmim
  • Aurinha está doente
  • Arnaldo o terrivel
  • A Cabrinha
  • Era uma vez ...
  • O pequeno castanheiro

Dias festivos

Programa de Poesia (radio)

Crónicas na Revista

Livro de Poemas - I

Livro de Poemas - II

Livro de Poemas - III

Livro de Poemas - IV

Aniversários Linhas

Livro Rezas e Benzeduras

Livro das Flores

LivroJoaoCarpinteiro

A Visita - Despertador

Programas se SãoMateus

Entrevistas

Entrevista - TV-Videos,etc

Visitantes no Blog

Blogs- quem nos cita



arquivos



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.