Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Carta ao “Zéi”

Terça-feira, 20.05.08

Jornal Linhas de Elvas

Nº 2.967 – 2 Maio de 2008

Conversas Soltas

@@

 

No dia do meu aniversário estava numa zona onde não tinha sinal e o telemóvel apenas registava mensagens.

Quando regressei a casa, vi-me confrontada com mensagens várias e, uma delas, dando-me um puxão de orelhas, era tua Amigo.

Com toda a força do hábito que te está enraizado dos teus tempos de docência deixaste-me uma bela duma “ real descasca”, para falar à moda das gentes lá das nossas bandas.

Nas tuas pretensas razões enunciavas: os telemóveis são para estar ligados.

Para que o queres, Maria, se não o ligas...

Queria-te dar os parabéns e não sei por onde andas...

E, mais um rol de críticas que queriam apenas dizer: não me esqueci de ti, vinha ouvir-te e dar-te parabéns etc. etc, etc. e, estou decepcionado por ter feito várias tentativas sem o conseguir.

Era isto, ou não era?

Era certamente. Também eu lamento o desencontro e, como já perdi o jeito de escrever cartas pelo correio, respondo-te por aqui.

Quero que saibas que sempre me toca o coração a tua presença nestas datas, como me enternece a tua amizade a que correspondo com muito carinho desde os velhos tempos do liceu.

E, vão setenta anos, bem contados...

Quanto à “desanda” , achei-lhe aquele sabor especial – a conversa de mestre – a que o senhor doutor Orrico Horta nos habituou, e de onde só transparece atenção e amizade.

Um beijo – meu Querido - e obrigada.

E, já agora ao correr das lembranças, evocando o nosso comum professor de alemão o Dr. Leitão de Figueiredo, de quem sofreste – para proveito dos teus alunos e, afirmação tua, como professor – marcante pela qualidade impar – de que deste testemunho uma vida inteira...

Já agora, se é que te não lembras, vou evocar - aquela brincadeira de Carnaval desses anos distantes.

Desde garota, como sabes, que eu fazia versos. Então, como o nosso professor algumas vezes dizia querer deixar o Liceu de Beja - que considerava um sertão - trocando por outra cidade mais do seu gosto, fui solicitada pelos colegas de alemão, para lhe escrever um postal de Carnaval.

Juntando “ a fome com a vontade de comer” logo acedi.

Comprei então um postal com dois porcos. Um pequeno e um grande a cumprimentarem-se frente a frente de chapelada e, com toda a irreverência da juventude escrevi:

Olá amigo Leitão!

Como se dá cá pelo sertão?

Se soubesse como sofro, nem m’o perguntava!

Assim?...

A cidade e o Liceu são um tormento para mim     

Mas... então quer ir embora?

Não compreendo, porém...

Cá na terra das bolotas é que os leitões vivem bem!

O nosso homem julgou tratar-se de provocação dos colegas de hotel e, levou o postal para a aula achando a brincadeira muito engraçada. Foi então que toda a turma desatou à gargalhada a olhar para mim e, Herr Doktor, percebendo a origem do postal, entre risos, mandou, a um e um, todos ao quadro para traduzir o texto para alemão mas, deu-me parabéns.

 

 Mocidade! Mocidade!

Já pensaste a que distância?!

Saudades...

 

                       Maria José Rijo

 

 @@

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria José Rijo às 23:03


3 comentários

De Dina a 21.05.2008 às 00:02

Que saudades desse Senhor...
Um professor único que tanto deu a essa terra.

De Flor do Cardo a 21.05.2008 às 01:23

Concordo com a Dina - Realmente Orrico Horta
foi um professor magnifico - o meu filho
aprendeu verdadeiramente com ele.
Muitos alunos sabem o que sabem porque tiveram~
um optimo professor.
Um abraço ao dr. Horta.
.
Cara amiga
Consegue sempre ter aqui textos muito bons
e sempre - mas sempre com uma presentação
muito bonita.
Os meus meninos dizem que tem muito gosto,
esta sua sobrinha, na escolha das fotografias e
que fazem realçar os textos de uma forma
maravilhosa.
há blogs de escrita compacta - que ao olha-los
até nos falta o folgo - quanto mais ter de os ler.
Aqui não- além do texto ser sempre bom, com
uma fluidez excepcional - temos as imagens
que nos situam e nos mostram de quem fala -
o que nos dá a conhecer as pessoas do seu
universo - ou que tenham que ver com eles.
.
É muito agradavel caminhar aqui a seu lado,
olhando os canteiros de flores, folheando os
seus livros perfumados, as suas palavras
doces e saudosas - é sempre um passeio
muito saudável.
Este blog é um bocado a minha companhia.
Obrigado por isso, por esse prazer de a poder
ler.
.
Hoje recebi mais jornais da cidade e vi que não
tem escrito com a mesma regularidade - e daí
deperendi que talvez esteja adoentada, sem
vontade de escrever, sem motivos para caminhar...
algo assim - digo isto porque comigo passa-se
algo semelhante.
Sempre gostei imenso de ler - agora muitas vezes
dou por mim - com os livros abertos na mão - mas
os meus pensamentos - estão longe - muitas vezes
no passado - outras então adormeço.
Assusto-me com esta coisa do envelhecer.
É tramado este assunto - só mesmo quem passa
por isso sabe dar o valor.
.
Não lhe tomo mais do seu tempo.
Um abraço
e Parabéns por mais este texto.

Luciano

De Dolores Maria a 21.05.2008 às 01:31

Olá boa noite
E como está a minha tia tão querida.
Acabei de ler o seu texto que gostei - embora
não conheça - o Sr Dr. - como as duas pessoas
que comentaram anteriormente.
Certamente um bom professor.

Beijinhos Tia - tenho andado muito ocupada - com
trabalhos na minha paróquia - a procissão está
próxima e eu tenho andado a trabalhar por lá.
Além dos ensaios no coro - ajudo o Sr. Padre
noutros serviços. Este ano vou decorar o altar do
Santissimo -e estou tão contente.

Beijinhos Tia
Com muita admiração
DO LO RES

.
Ah reparei que tem uma foto nova - na barra
lateral - e está muito bonita.
Reparei também que falta o nº 1 - do livro
Reza e Benzedura - aqui no lado. Foi esquecimento?

Beijinhos
dolores

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2008

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


comentários recentes

  • Anónimo

    Cá estou eu ... meia hora depois da meia-noite...B...

  • Anónimo

    PARABÉNS PARABÉNS PARABÉNS Muitos beijinhos n...

  • Anónimo

    Minha querida TiaMuitos Parabéns pelos 94 anos - q...

  • Anónimo

    Boa AmigaSou o filho de Augusta Silva Torres que a...

  • Anónimo

    Eu sabia... sabia que era este mês que a tia fazia...


Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@






ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@


links

BLOGS DA CASA

EFEMERIDES

Aniversarios Blog

Culinaria

K I K A

Paginas de Diário

2020

2019

2018

2017

2016

2014

2015

2013

2012

2011

2010

Cá estou ...

Mais alguns...

Alguns...

Alentejo

Eurico Gama

Artigos sobre...

Escola Musica / Coral

Elvas Cidade...

Escritores e...

A Familia

Sebastião da GAma

Minhas sobrinhas Bisnetas

Meus sobrinhos Netos

Meus sobrinhos

Diversos...

Páscoa

São Mateus

Cartas especiais

noticias em Jornais

Dia da Criança

Cartas do Brasil- 1996

AÇORES

Juromenha

Col. de Gastronomia

O Natal

Exp. MuseuTomaz Pires-1984

Exposição PERCURSO-2008

HistóriasCmezinhasEreceitas

Revista Sénior

JOSÉ RIJO

Hospital e Maternidade

Livro de Reminiscências

Livros- de HistóriasInfantis

  • A história da Cotovia
  • A história de uma Flor
  • A historia do Castelo
  • AlendaMisterioso vale florido
  • O sonho da Joca
  • A menina de Trapo
  • A avó conta 1 historia
  • Conto - Margarida - 1
  • Conto-Margaridavaicontente
  • ... então sonhei!
  • O Cavalinho encantado
  • A princesa Jasmim
  • Aurinha está doente
  • Arnaldo o terrivel
  • A Cabrinha
  • Era uma vez ...
  • O pequeno castanheiro

Dias festivos

Programa de Poesia (radio)

Crónicas na Revista

Livro de Poemas - I

Livro de Poemas - II

Livro de Poemas - III

Livro de Poemas - IV

Aniversários Linhas

Livro Rezas e Benzeduras

Livro das Flores

LivroJoaoCarpinteiro

A Visita - Despertador

Programas se SãoMateus

Entrevistas

Entrevista - TV-Videos,etc

Visitantes no Blog

Blogs- quem nos cita



arquivos



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.