Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Exposição PERCURSO- Inauguração -III

Segunda-feira, 22.09.08

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria José Rijo às 17:18


16 comentários

De Gustavo Frederich a 22.09.2008 às 18:19

Antes de ir para o meu isolamento (junto dos monges)
deixo-lhe aqui um grande beijinho e dizer que as fotos
estão lindas, a tia está lindissima. Só tenho pena de
ainda, não poder ver a exposição - mas assim que eu
regresse à vida - se o fizer - já estarão on-line. Aí
apreciarei a sua obra - que SEI de alma e coração
qiue será do meu total agrado, a Tia faz prodigios
com as palavras e com as suas mãos.

Gosto muito de si, acredite.
Espero e desejo que fique bem, muito bem.
Por favor, não deixe que nada mal lhe aconteça.

Um grande, grande abraço e muitos beijinhos
Seu sobrinho

Gus

De Maria josé a 22.09.2008 às 19:28

Meu Sobrinho muito Querido - telefonou-me a Prima avisando dos comentários.
Corri a le-los, neste foge foge em que tenho andado.
Por favor não saia assim da nossa vida.
Afinal, Elvas é bem mais perto do que o Tibete...
Leve consigo o poema com que iniciei a exposição
" O caminho-acaba ali...
Ali , onde começa a descoberta...
O caminho,
é sempre estrada feita...
O fim do caminho- é uma porta aberta

E, nunca esqueça que conquistar um afecto , tem suas responsabilidades
Até com o seu cavalo...Que fará ele sem o dono?
Ele que até já ajoelha para lhe dar alegria!
E, uma velha tia sem "escutar" seu sobrinho querido?
Isto de amor,de qualquer espécie que ele seja, tem seu preço!
Beijinhos - tia Zé

De Gustavo Frederich a 23.09.2008 às 00:27

Não conseguia dormir...
Vim ve-la...
estou na casa de um amigo, amanhã inicio a minha
viagem para o ponto mais alto - vou rezar muito...
muito por si e por mim...
Ventos negativos assolam a minha alma, estes
caminhos onde antes havia arvores e flores que
abriam todos os dia... hoje é um deserto... um lugar
onde nem eu queria estar...
Não quero estar comigo...
Estas palavras afastam-me de mim, afastam-me de
si, dessa pessoa que um dia lhe apareceu por aqui,
como quem lhe traz um ramo de flores e um sorriso.
Vamos ver... quem vence... se este eu que agora
habita em mim, ou se o seu Gus volta... para
continuar o caminho agora partido aqui...

" O caminho-acaba ali...
Ali , onde começa a descoberta...
O caminho,
é sempre estrada feita...
O fim do caminho- é uma porta aberta


Este seu poeminha é mais que lindo, é uma
verdade, uma oração que será a partir de agora
o meu guia.
A Senhora é como um anjo na minha vida, a sua
poesia, mesmo agora nesta hora de dor é como...
um sorriso para o meu coração.
Grato por tudo tia.
Quando eu poder darei noticias.
Gosto muito de si Tiazinha querida

Gus

De Anónimo a 23.09.2008 às 01:34

Comentário apagado.

De Gustavo Frederich a 23.09.2008 às 15:58

Querida Tia
Ainda estou na casa do meu amigo, acredita que lhe
morreu a mãe e não tive como o abandonar... Parece
que o anjo da norte me acompanha.
Agradeço imenso, não imagina o quanto me fazem
bem as suas palavras, o seu carinho, essa sua forma
excepcional de ser Maria José Rijo.
Conto ir ter com os monges só amanhã pelo que ainda
hoje virei aqui a sua casa e queria ver a exposição.
Pelo que percebi - da postagem - é agora a nossa vez
de entrar e estou contando as horas.
Irei comentar tudo. E irei para a minha cruzada com
a alma lavada e também uma foto sua, recente, destas
que aqui estão, no meu bolso.
Acredito que esteja feliz e é assim que quero que
esteja - é de saber que está bem, com saude...
Sonhei com o nosso amigo padre...
a saudade é agora imensa, mas é o caminho.
Quando me reencontrar - dentro de mim - voltarei
o meu outro amigo - que está lá em casa - também
precisa de mim...

Tiazinha adorei o poema - realmente só a tia cuja
sensibilidade é do tamanho do mundo - encontraria
palavras para me dizer nesta hora amargurada.

Grato pela ajuda de coração a coração.
É mesmo uma querida.
Seu sobrinho
Gus

No Tibete, costumamos dizer que muitas doenças podem ser curadas com a medicina do amor e da compaixão.
Dalai Lama,


Quando sentimos amor e simpatia pelos outros, isso faz não apenas com que os outros se sintam amados e estimados, como também ajuda a desenvolver sentimentos internos de paz e felicidade.
Dalai Lama,

A necessidade de amor faz parte da nossa existência humana, e resulta da rede de dependência que nos une aos outros.
Dalai Lama,

Beijinhos tia querida
Gus

De Maria José a 23.09.2008 às 20:09

" Não perturbeis aquele caminheiro
que em busca de aventura apetecida
o monte suba onde ela se levante
Haja embora no termo subida um engano falaz
Bendito instante que nos concebe
uma ilusão na vida "


Já tenho saudades suas

Maria José

De Dolores e Avelino a 22.09.2008 às 18:23

Minha querida Tiazinha
Já estivemos a ver as suas fotos da exposição,
das pessoas que estiveram na inauguração.
Deve de estar mesmo muito linda.

Nós não viemos antes ver o seu (nosso) blog
porque a nossa - a mãe do Avelino faleceu - a
minha sogrinha partiu no dia 20.

Estamos muito tristes (e contentes por si)

Destes seus sobrinhos e amigos
DO LO RES
Avelino
Luizinha e Magé

De Maria josé a 22.09.2008 às 19:42

Meus muito Queridos - a minha surpresa não tem tamanho! -Mas como aconteceu uma coisa assim?
Então aquela Avó doce - Dulce - que deu coragem e companhia á neta e a todos, que recomendou os cursos para ajudar a Luizinha, que dizia poesia e me ensinou orações, partiu?
Realmente na vida estamos todos de passagem, para voltar à mão de Deus quando Deus quer.
Muitos beijinhos para todos de todo o coração.
Vossa muito amiga Tia Zé

De Aristeu a 22.09.2008 às 18:36

Querida tiazinha
Já estive a ver as fotos e as pessoas que estiveram
na sua exposição. Aguardo agora a exposição mas
quero desde já dizer que está uma reportagem magnifica.

Muito obrigado por tudo.
Realmente a tia é uma alma muito sensivel uma alma
de uma beleza extraordinária.

Seu sobrinho e admirador

Aristeu

De Maria José a 22.09.2008 às 19:51

Minha querida família -Ando ainda cansada para além de um tanto ocupada.
Com calma voltarei aqui , se Deus quiser para contar muitas coisas.
Agora é só um abraço grande , porque a minha preocupação com o querido Gus, e a morte da outra senhora, me fizeram , mesmo de fugida vir à conversa, e, assim sendo venho deixar um aceno de amizade para todos vós
Beijinhos - tia zé

De Flor do Cardo a 22.09.2008 às 18:41


Cara Maria José
Mas que maravilha - esta belissima reportagem
fotografica deu bastante para eu matar as minhas
saudades de Elvas e das suas gentes.
Lá estava o meu amigo Cadete, Manuel António, o
Zeferino...

Que contente.
Sei desde já que as pessoas adoraram os seus
trabalhos.
Depois me dirá opiniões.

Um grande abraço

De Xavier Martins a 22.09.2008 às 22:35

Cara amiga Maria José

Ainda não consegui ir ver a sua exposição porque
morreu a minha mãezinha de 92 anos no Porto na
Casa de minha irmã , onde ainda estou.

Estive a ver as fotografias da sua exposição e
ve-se que estava com muita gente. felicito-a com
desejos de inumeros êxitos.
Êxitos e muitas alegrias.

Com amizade e admiração

Xavier Martins

De maria José a 23.09.2008 às 13:49

Meu bom Amigo
Acredite que estou um pouco perturbada com os tristes acontecimentos que têm atingido os meus Amigos da net, precisamente, quando quereria partilhar com todos as circunstâncias que vão envolvendo,talvez , a minha última exposição?
O Gilinho, caíu do cavalo, ficou mal tratado - e não veio.
O familiar que traria a Gisa - teve um acidente.
O Senhor Padre, amparo espiritual do Gus - faleceu.
A Sogrinha da querida Dolores, também.
Agora o meu querido Amigo conta-me da perda sempre irreparável da Senhora sua Mãe...
Que mais posso dizer, senão que vos abraço de coração?
Bem gostaria de entender a Vida!- talvez então a morte não doesse tanto...
um abraço - Maria José

De Dina a 23.09.2008 às 13:27

Não tinha tido ainda oportunidade de vir cá. Uma vez mais parabéns pela exposição.
Pelo que vejo aqui foi um sucesso. Merecidíssimo!!!
Vou fazer os possíveis para ir lá antes de terminar.

De Bernardino Matias a 23.09.2008 às 18:34

Minha Senhora
Descobri só hoje o seu Blog e devo dizer-lhe que
estou verdadeiramente encantado pela forma bela
em que estão os textos.
Textos óptimos de uma extrema qualidade literária,
a poesia que também tive o gosto de ler de uma
frescura e beleza tocante.
Adorei os seus poemas das flores - a cerejeira do
Japão tocou-me verdadeiramente a alma.

Os meus Parabens por este blog tão bonito e cheio de
tanta prosa e poesia da melhor qualidade.
Fiquei deveras contente por ter entrado na minha
vida, neste dia 23 de Setembro.

Um abraço e os meus Parabens
Bernardino Matias

De Augusta Silva Torres a 23.09.2008 às 18:50

Minha amiga
Permita-me que a trate assim.
Foi hoje o meu neto António Maria Junior que me
indicou este seu blog - porque achou que eu iria
gostar da prosa e da poesia.
Ele é um menino de 16 anos que adora estas coisas
da internet e resolveu que eu, com 92 anos, tinha de
conhecer e caminhar por estes caminhos da rede
(como ele diz).
Levei algum tempo a perceber como estas linhas
emaranhadas me levam a qualquer parte do mundo,
mas agora andar neste meio é realmente uma delicia.

Pois bem minha amiga Maria José
Já li imensos textos de prosa e poesia, imprimi uma
série deles que guardo com grande estima, para ter
o prazer de reler e reler.
Sabe adorei um deles - As gavetas - achei de uma
leveza de espirito, de uma graciosidade e de uma
abertura maravilhosa. Mas este é um de entre muitos
e muitos que apreciei e devo dizer-lhe que é um
prazer ter este prazer de a poder ler e reler.
Quanto à sua poesia estou deveras extasiada pela
beleza profunda dos seus poemas.
Sinto-me quase um insecto deliciado em cada um deles.
Sabe que nas quintas feiras pelas cinco horas
recebo um grupo de velhas Senhoras que vêm tomar
chá comigo e de entre elas, está a Margarida de 82
anos que tem o dom da leitura, Lê muito bem e os
seus poemas na voz dela ficam Lindissimos.
Que posso dizer mais - que estou encantada e ainda
que a grande maioria deles são documentados com
belas imagens, o que ainda realça ainda mais a
beleza da sua escrita.
Desculpe ter-me alargado tanto neste comentário
mas sabe ficaria aqui a conversar consigo muito
mais tempo, mas não posso, tenho a hora do terço
a aproximar-se.

Cumprimentos

Augusta Silva Torres

De Maria José a 05.10.2008 às 18:45

Minha Amiga - rendo-me aos seus maravilhosos 92,à sua iteligente lucidez, ao seu jeito e conviver tão fora dos canones actuais e, a tudo quanto me contou de si e, das suas amigas e me deliciou.
Tenho ainda que lhe "invejar" esse neto que, talvez pela qualidade de Avó que tem fez como o santo do seu nome, o milagre e a introduzir na Net.
Creia que eu estou bem mais atrasada. Só sei escrever ,comentar , todo o resto faz a minha sobrinha Paula.
Mas...como só tenho 82, ainda conto ir a tempo.
Creia que tive a maior alegria de a encontrar e de saber de si, e da sua Amiga Margarida.
Que bom que vos tenha feito alguma companhia., Estivesse eu mais perto e iria, se me permitisse, engrossar o grupo e também agradecer pessoalmente a gentileza dos seus comentários.
Sabe que eu também acho graça às gavetas?
Quando me calhou escrever o texto ainda me ri porque é gavetas que costumo chamar ás algibeiras nem falei nisso . Saíu asim!
Um braço grande e grato da Maria josé

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2008

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930


comentários recentes

  • Anónimo

    Querida Tia Maria JoséQue alegria chegar mais um d...

  • Anónimo

    Minha querida e Boa amigaque alegria chegar aos 93...

  • Anónimo

    Minha querida tiaEu sabia que era hoje o dia do se...

  • Anónimo

    Titia queridaQue alugria nesse seu aniversário.Des...

  • Anónimo

    Minha querida Amiga93 anos - uma data muito import...


Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@






ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@


links

Um pouco de mim...

EFEMERIDES

Blogs- quem nos cita

Deambulo por

Culinaria

K I K A

Paginas de Diário

2010

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

2019

Cá estou ...

Mais alguns...

Alguns...

Alentejo

Eurico Gama

Artigos sobre...

Escola Musica / Coral

Elvas Cidade...

Escritores e...

A Familia

Sebastião da GAma

Minhas sobrinhas Bisnetas

Meus sobrinhos Netos

Meus sobrinhos

Diversos...

Páscoa

São Mateus

Cartas especiais

noticias em Jornais

Dia da Criança

Cartas do Brasil- 1996

AÇORES

Juromenha

Col. de Gastronomia

O Natal

Exp. MuseuTomaz Pires-1984

Exposição PERCURSO-2008

HistóriasCmezinhasEreceitas

Revista Sénior

JOSÉ RIJO

Hospital e Maternidade

Livro de Reminiscências

Livros- de HistóriasInfantis

  • A história da Cotovia
  • A história de uma Flor
  • A historia do Castelo
  • AlendaMisterioso vale florido
  • O sonho da Joca
  • A menina de Trapo
  • A avó conta 1 historia
  • Conto - Margarida - 1
  • Conto-Margaridavaicontente
  • ... então sonhei!
  • O Cavalinho encantado
  • A princesa Jasmim
  • Aurinha está doente
  • Arnaldo o terrivel
  • A Cabrinha
  • Era uma vez ...
  • O pequeno castanheiro

Dias festivos

Programa de Poesia (radio)

Crónicas na Revista

Livro de Poemas - I

Livro de Poemas - II

Livro de Poemas - III

Livro de Poemas - IV

Aniversários Linhas

Livro Rezas e Benzeduras

Livro das Flores

LivroJoaoCarpinteiro

A Visita - Despertador

Programas se SãoMateus

Entrevistas

Entrevista - TV-Videos,etc

Visitantes no Blog

Aniversarios Blog



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos