Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Assuntos em agenda

Quinta-feira, 22.11.07

1º- Um beijinho especial à Maria Luís que tendo fotografias suas em apreciação num concurso, sem hesitações, seguiu sua mãe, afastando-se assim da festa onde gostaria de ter permanecido para solucionarem um contratempo ocorrido a uma amiga. Obrigada. Obrigada também às pessoas que, conhecendo-me, telefonaram a saber da minha saúde.
Bem hajam!·

2º- Se lá chegasse o recado, gostaria de dizer a Paulo Portas que

Paulo Portas Foto©Direitos Reservados

está equivocado quando se bate para que as horas extraordinárias fiquem isentas de impostos. A intenção é de louvar, só, que a luta, terá que ser para que essas horas sejam pagas!
Até quem apregoa, aos sete ventos, que começou a enriquecer amealhando o pecúlio que, com essa norma, arrecadava, até esses, uma vez ao leme...
Da oração rezam apenas: - venha a nós!
3º-
Ando, de há anos, até hoje, a desejar fazer uma pergunta a um muito ilustre colaborador deste jornal.
Vou contar a história:
Mais ou menos, quando este jornal nasceu, por esse tempo, havia na nossa cidade uma curiosa tertúlia que se juntava no Café Alentejo. Raramente se reuniam todos os seus elementos ao mesmo tempo. Cada qual tinha seus afazeres mas, logo que arranjava uma folgazinha, lá estava, porque todos sabiam que havia sempre hipótese de se encontrarem alguns elementos para a cavaqueira. Alguns, até, só esporadicamente, apareciam por não viverem cá, mas, como amigo, puxa amigo, aproveitavam o convívio mesmo de visita à cidade. Do grupo eram o
Ernesto, o Casimiro Abreu, o Falcato, o Marciano Cipriano, o Pontes, o Pedroso Gonçalves, o Violante, os Banazol, o Peralta, o Manecas Rodrigues, o Almeida e Brito, o Cabral, os dois manos Rijo, Dado e Zé, e...penso estar certa o Miguel Mota
, que, como engenheiro, trabalhava na – então - Estação de Melhoramento de Plantas.
Julgo não estar a fazer confusão pensando que sua mulher, por ser nórdica, viveu em Elvas uma circunstância que muito a surpreendeu e me fez fixar o episódio.
Querendo uma certa vez sair de casa escreveu uma nota com os trabalhos que destinava à empregada para serem executados na sua ausência. Quando a empregada lhe disse com a maior naturalidade que não sabia ler, a senhora julgou, que, por ser estrangeira, a funcionária por pilhéria, lhe estava a faltar ao respeito e contou ao marido o incidente. Ao aperceber-se que era essa a realidade ficou absolutamente estupefacta. [vão cinquenta anos!]
São deste mesmo -
Miguel Mota
– que acabo de recordar os importantes artigos que o Linhas publica?...
Não se volta ao passado, mas, é sempre reconfortante lembrá-lo, quando se recorda com saudade.
4º-
Devo, por amizade e muito sincero apreço, uma palavra pública a um grande artista nascido na nossa terra, mas de dimensão muito para além do nosso limitado meio.
Falo de: Cadete.

Conheci-o menino. Estimei sua mãe, minha amiga Marcelina.
Sempre que me acontece ter a sorte de apreciar um trabalho seu, penso no orgulho que ela teria do
Homem Artista, com letras Maiúsculas, em que seu filho se tornou.
O seu desenho primoroso na reprodução da flora do Alentejo – reconhecido internacionalmente.
A sua criatividade como pintor. O seu domínio de cor a ousadia do seu traço, tudo, tudo, nele é a expressão do artista que só o seu jeito modesto de ser ainda não guindou para o lugar a que tem direito entre os grandes da nossa geração.
Uma palavra para a sua última forma de expressão, a caricatura.
Considero-a magistral. Bordalo não faria melhor.

O seu olhar inteligente, capta a situação que lhe sugere a crítica, e, como é próprio da caricatura, fixa-a pelo exagero do traço, deformando-a pelo ridículo, pelo humor.
Grandes deste mundo, fizeram colecções das caricaturas que os seus actos sugeriram a artistas de nome.
Muitos, nelas terão aprendido o perigo da sua auto-suficiência e, com o humor, que só a inteligência proporciona, terão entendido caminhos que, a rir, outros lhes abriram...
Parabéns Cadete! – Pode a voz dos artistas não ser entendida de imediato, mas sempre foram os artistas – da sua medida – a abrir sem medo, os caminhos do futuro.

@@

  Maria José Rijo

@@@@@

JORNAL LINHAS DE ELVAS

CONVERSAS SOLTAS

Nº 2.944 --- 22 de Novembro de 2007

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria José Rijo às 21:57





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2007

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930


comentários recentes

  • Anónimo

    Lindo,como sempre

  • Anónimo

    Querida Tia Maria JoséQue alegria chegar mais um d...

  • Anónimo

    Minha querida e Boa amigaque alegria chegar aos 93...

  • Anónimo

    Minha querida tiaEu sabia que era hoje o dia do se...

  • Anónimo

    Titia queridaQue alugria nesse seu aniversário.Des...


Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@






ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@


links

Um pouco de mim...

EFEMERIDES

Blogs- quem nos cita

Deambulo por

Culinaria

K I K A

Paginas de Diário

2010

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

2019

Cá estou ...

Mais alguns...

Alguns...

Alentejo

Eurico Gama

Artigos sobre...

Escola Musica / Coral

Elvas Cidade...

Escritores e...

A Familia

Sebastião da GAma

Minhas sobrinhas Bisnetas

Meus sobrinhos Netos

Meus sobrinhos

Diversos...

Páscoa

São Mateus

Cartas especiais

noticias em Jornais

Dia da Criança

Cartas do Brasil- 1996

AÇORES

Juromenha

Col. de Gastronomia

O Natal

Exp. MuseuTomaz Pires-1984

Exposição PERCURSO-2008

HistóriasCmezinhasEreceitas

Revista Sénior

JOSÉ RIJO

Hospital e Maternidade

Livro de Reminiscências

Livros- de HistóriasInfantis

  • A história da Cotovia
  • A história de uma Flor
  • A historia do Castelo
  • AlendaMisterioso vale florido
  • O sonho da Joca
  • A menina de Trapo
  • A avó conta 1 historia
  • Conto - Margarida - 1
  • Conto-Margaridavaicontente
  • ... então sonhei!
  • O Cavalinho encantado
  • A princesa Jasmim
  • Aurinha está doente
  • Arnaldo o terrivel
  • A Cabrinha
  • Era uma vez ...
  • O pequeno castanheiro

Dias festivos

Programa de Poesia (radio)

Crónicas na Revista

Livro de Poemas - I

Livro de Poemas - II

Livro de Poemas - III

Livro de Poemas - IV

Aniversários Linhas

Livro Rezas e Benzeduras

Livro das Flores

LivroJoaoCarpinteiro

A Visita - Despertador

Programas se SãoMateus

Entrevistas

Entrevista - TV-Videos,etc

Visitantes no Blog

Aniversarios Blog



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos