Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



MENSAGEM DE NATAL

Sábado, 15.12.07

Segui as eleições pela televisão.

Era tão previsível o resultado que o cenário doméstico não me interessou.

No entanto, as mensagens recebidas, quer pelo telefone, quer pessoalmente, ou, até mais tarde por “carta”, alertaram-me para o estado de choque que, em torno do tom  de um inqualificável imprevisto, se gerou.

 

Transcrevo com a devida vénia pela beleza literária e, também, como testemunho do que realmente vale a Elvas que eu defendo e amo, -  o excerto de uma carta que mostra a qualidade moral da maioria dos elvenses – evidência que a história jamais desmentiu,

 

“… no entanto senti-me inútil impotente quando, Domingo à noite ouvi o que nunca acreditei poder ouvir, alguém que como prova de gratidão àqueles que o elegeram, ofende, gratuitamente, outros que tanto amam a nossa cidade.

Não quero acreditar que a maioria daqueles que têm orgulho em dizer que são de Elvas, se revejam nessas palavras tão duras, cruéis e tão injustas, ou então é o coração dos homens que mudou sem dar por isso!

Lamento que a minha voz seja apenas isto, algumas palavras que se perdem numa folha de papel, contudo ainda assim, não posso deixar de solidariamente lhe dar um grande abraço que sei tocará a sua grande sensibilidade e riqueza de coração.

Com muita amizade…”

 

Confesso que frente a esta carta de um homem Novo – desses que com honra e dignidade hão-de na sua hora projectar Elvas no futuro, senti, face a este testemunho que também eu, como elvense, devo continuar corajosamente a assumir os meus deveres de cidadania como sempre fiz.

Assim que, nesta ou em quaisquer outras circunstâncias, Elvas está e estará acima dos meus sentimentos pessoais.

No momento, agradeço a todos que também me alertam para o perigo que receiam poder correr a minha integridade física e me recomendam que não ande só – tendo em conta desejos de morte formulados publicamente a outrem…

Agradeço as publicações mas não especulemos.

As figuras de retórica têm o valor que têm, não mais!

Cobardes e heróis – bons e maus – sábios e ignorantes – santos e carrascos – todos sem excepção saiem da vida pela mesma e única porta – A morte!

Da forma como essas coisas acontecem encarrega-se a medicina legal e a policia.

Não é generoso brincar com coisas tão sérias.

 

Estamos na época mais enternecedora do ano – comemora-se o nascimento de Deus Menino.

Com o melhor sentido de Natal – evoco a oração que o Pai nos ensinou:

-- Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos ofendeu!

Para todos – sem excepção:

                    - UM SANTO NATAL!

BOAS FESTAS

       

                                             Maria José Rijo

@@@@

Conversas Soltas

Jornal Linhas de Elvas

Nº 2.433 – 24-Dezembro-1997

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria José Rijo às 23:37

SOPA DE ESPARGOS E SOPA DE ESPINAFRES

Sábado, 15.12.07

 

Fritam-se em azeite coentros pisados com alho e sal.

Não se deixam fritar muito.

Sobre eles, deitam-se ou os espargos ou os espinafres que se deixam cozer em lume brando.

Escalfam-se ovos no caldo que se verte sobre o pão cortado em finas sopas.

                                     Maria José Rijo

@@@@@

Colecção de Gastronomia - Pão

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria José Rijo às 23:21





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2007

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031


comentários recentes

  • Anónimo

    Minha tão querida Tiaque BOM que se recordou de mi...

  • Anónimo

    Lindo,como sempre

  • Anónimo

    Querida Tia Maria JoséQue alegria chegar mais um d...

  • Anónimo

    Minha querida e Boa amigaque alegria chegar aos 93...

  • Anónimo

    Minha querida tiaEu sabia que era hoje o dia do se...


Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@






ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@


links

Um pouco de mim...

EFEMERIDES

Blogs- quem nos cita

Deambulo por

Culinaria

K I K A

Paginas de Diário

2019

2018

2017

2016

2014

2015

2013

2012

2011

2010

Cá estou ...

Mais alguns...

Alguns...

Alentejo

Eurico Gama

Artigos sobre...

Escola Musica / Coral

Elvas Cidade...

Escritores e...

A Familia

Sebastião da GAma

Minhas sobrinhas Bisnetas

Meus sobrinhos Netos

Meus sobrinhos

Diversos...

Páscoa

São Mateus

Cartas especiais

noticias em Jornais

Dia da Criança

Cartas do Brasil- 1996

AÇORES

Juromenha

Col. de Gastronomia

O Natal

Exp. MuseuTomaz Pires-1984

Exposição PERCURSO-2008

HistóriasCmezinhasEreceitas

Revista Sénior

JOSÉ RIJO

Hospital e Maternidade

Livro de Reminiscências

Livros- de HistóriasInfantis

  • A história da Cotovia
  • A história de uma Flor
  • A historia do Castelo
  • AlendaMisterioso vale florido
  • O sonho da Joca
  • A menina de Trapo
  • A avó conta 1 historia
  • Conto - Margarida - 1
  • Conto-Margaridavaicontente
  • ... então sonhei!
  • O Cavalinho encantado
  • A princesa Jasmim
  • Aurinha está doente
  • Arnaldo o terrivel
  • A Cabrinha
  • Era uma vez ...
  • O pequeno castanheiro

Dias festivos

Programa de Poesia (radio)

Crónicas na Revista

Livro de Poemas - I

Livro de Poemas - II

Livro de Poemas - III

Livro de Poemas - IV

Aniversários Linhas

Livro Rezas e Benzeduras

Livro das Flores

LivroJoaoCarpinteiro

A Visita - Despertador

Programas se SãoMateus

Entrevistas

Entrevista - TV-Videos,etc

Visitantes no Blog

Aniversarios Blog



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos