Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Nove anos depois…

Sábado, 13.06.09

Á Lá Minute

Jornal Linhas de Elvas

Nº 1.841 – 13 de Junho de 1986

 Nove anos depois…

 Era dia 5 de Junho de 1977 quando Elvas perdeu EURICO GAMA.

Então, muita gente como eu, anonimamente, somando as suas parcelas de amargura, demos corpo à amargura da cidade.

 Eurico tinha uma personalidade rica em mas controversa porém, quer os que o entenderam, quer os que o combateram, sabiam, e não se negavam a afirma-lo que – perdendo-o Elvas, perdia um admirador convicto e fiel, um investigador devoto e reverente, um filho de raiz, que sem descanso entre a poeira dos tempos e as traças dos arquivos catava minúcias, investigava, indícios por mais ténues que fossem para que nada faltasse ao brilho da imagem que ele paulatinamente ia compondo – da sua amada terra natal.

 

Avaliando então a vida desse “Gama” – que partia …

-- Lembro-me de ter pensado que tal como o “Gama das Descobertas” – também este Gama dos nossos dias, passara a vida embarcado no sonho de engrandecer com o seu trabalho, com o seu estudo, com os seus livros – a terra em que nascera. Depois – lembro-me ainda de ter desejado que alguém quisesse e fosse capaz de agarrar o facho que só a morte lhe retirara das mãos e prosseguir a obra que lhe preenchera a existência…

 

Aconteceu agora que, nove anos após o seu desaparecimento, coube à Câmara, a que dou contributo, cumprir o seu último desejo e recolher em sala própria o valioso legado desse Homem que – como outros – “ por obras valorosas se vão da lei da morte libertando”.

 

E, se é verdade que nos falta mérito para continuar os seus trabalhos – já nos conforta integrar a Câmara que dá à Cidade, que serve, a oportunidade de homenagear a sua memoria e agradecer à sua viúva – Senhora Dona Maria Amélia Gama – a inteligência e a generosidade com que se despojou de móveis e lembranças pessoais para que se preserve, através dos tempos, uma imagem mais verdadeira de seu marido.

 

Maria José Rijo

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria José Rijo às 17:35


7 comentários

De Xavier Martins a 13.06.2009 às 18:47

E já lá vão 31 anos da morte de Eurico Gama.
Realmente Elvas ainda está de luto - porque
Homens como este não nascem todos os dias.

Bem Lembrado minha amiga.
Neste excelente texto.
Sempre actualizado.

Um abraço

Xavier Martins

De maria José a 13.06.2009 às 21:10

Sabe por certo que esta sala foi desfeita para dar lugar a um elevador e os pertences de Eurico - estarão algures nalguma arrecadação.
Os livros , sem honra nem glória foram engolidos por estantes anónimas.
Assim e delapidou o desígnio expresso pelo estudioso e ilustre elvense.
Estórias de triste História...
maria José

De Adalgisa Alexandra a 13.06.2009 às 21:46

Minha querida Tia
Espero que esteja tudo bem consigo.
Eu por cá vou andando - agora triste porque
faleceu-me o Tio João o irmão da minha mãe.
De manhã cedo foi comprar pão na padaria da
esquina e foi atropelado e não recuperou dos
ferientos.
Estamos muito afectadas eu e a minha Tia
Augusta.

E a Tia como está?
Tenho lido os comentarios e não sei tia...
Mas está tudo bem?
Fiquei preocupada.
Beijinhos

Gisa

De Maria José a 16.06.2009 às 18:41

Querida Gisa
Perturba-me sempre ter conhercimento das perdas de familiares ou amigos das pessoas que estimo.
Pelo que julgo saber a Gisa , tal como eu, vive só.
Na minha idade, saber que os amigos e familiares estão bem já faz uma companhia de coração que adoça a vida mesmo quando já se perdeu o jeito de conviver intimamente com as pessoas.
Quando porém as pessoas nos estão perto do coração e são do nosso convívio diário torna-se um suplicio, ainda maior, ve-las partir.
Avalio como estará magoada e de quanta coragem precisará para seguir em frente.
Que Deus a ampare e ajude e a sua tia.
Um abraço grande e muito amigo para ambas
maria José

De Aristeu a 13.06.2009 às 22:16

Tiazinha
Feliz texto para marcar a data da partida deste grande elvense.
Os meus Parabens pela lembrança da data.

Tia sabe o que nos aconteceu hoje de manhã
ao acordar.
Nem imagina o Julião tinha mandado fazer umas
especies de fraldas para os gatinhos todos
então ele próprio trata dos infelizes ...
A gata está mais que preocupada e sem saber
ou perceber o que se passa começou a tira-los
de casa - um a um.
Pelo meio da tarde apenas um restava - o mais
fragil e até a presente hora a Duquesa não
apareceu mais e nem os filhotes.
É inaudito - nunca por sonhos eu ousaria pensar
uma coisa destas.
E a Tia?
Que diz desta fuga?

O meu Pai ri em silencio quando o Sr. Julião
chora junto do gatito abandonado que apenas
o lambe, lambe, lambe...

Cena de um filme
Muitos beijinhos
Aristeu

De Madalena Rainho a 13.06.2009 às 22:53

Minha Senhora
Todos os dias sou uma presença no seu blog.
Gosto tanta desta sua forma especial de escrever,
de como a Senhora conta a vida - conta e encanta.

Os meus Parabens
Obrigado por este blog levar a sua sensibilidade
ao mundo
para que todos possamos partilhar desta beleza
lucida de escrever.

Cumpeimentos

Madalena Rainho

De Maria José a 16.06.2009 às 18:49

Madalena Raínho
Hoje, temos por estas bandas do Alentejo uma tarde de trovoada em que só apetece fazer sala e conversar.
Aqui me tem pois , como que de visita, para lhe agradecer as generosas palavras que me dirigiu, e para lhe confessar que são presenças amigas como a sua que justificam este blog.
Volte sempre
Um abraço muito grato da
maria josé

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2009

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930


comentários recentes

  • Anónimo

    Lindo,como sempre

  • Anónimo

    Querida Tia Maria JoséQue alegria chegar mais um d...

  • Anónimo

    Minha querida e Boa amigaque alegria chegar aos 93...

  • Anónimo

    Minha querida tiaEu sabia que era hoje o dia do se...

  • Anónimo

    Titia queridaQue alugria nesse seu aniversário.Des...


Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@






ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@


links

Um pouco de mim...

EFEMERIDES

Blogs- quem nos cita

Deambulo por

Culinaria

K I K A

Paginas de Diário

2010

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

2019

Cá estou ...

Mais alguns...

Alguns...

Alentejo

Eurico Gama

Artigos sobre...

Escola Musica / Coral

Elvas Cidade...

Escritores e...

A Familia

Sebastião da GAma

Minhas sobrinhas Bisnetas

Meus sobrinhos Netos

Meus sobrinhos

Diversos...

Páscoa

São Mateus

Cartas especiais

noticias em Jornais

Dia da Criança

Cartas do Brasil- 1996

AÇORES

Juromenha

Col. de Gastronomia

O Natal

Exp. MuseuTomaz Pires-1984

Exposição PERCURSO-2008

HistóriasCmezinhasEreceitas

Revista Sénior

JOSÉ RIJO

Hospital e Maternidade

Livro de Reminiscências

Livros- de HistóriasInfantis

  • A história da Cotovia
  • A história de uma Flor
  • A historia do Castelo
  • AlendaMisterioso vale florido
  • O sonho da Joca
  • A menina de Trapo
  • A avó conta 1 historia
  • Conto - Margarida - 1
  • Conto-Margaridavaicontente
  • ... então sonhei!
  • O Cavalinho encantado
  • A princesa Jasmim
  • Aurinha está doente
  • Arnaldo o terrivel
  • A Cabrinha
  • Era uma vez ...
  • O pequeno castanheiro

Dias festivos

Programa de Poesia (radio)

Crónicas na Revista

Livro de Poemas - I

Livro de Poemas - II

Livro de Poemas - III

Livro de Poemas - IV

Aniversários Linhas

Livro Rezas e Benzeduras

Livro das Flores

LivroJoaoCarpinteiro

A Visita - Despertador

Programas se SãoMateus

Entrevistas

Entrevista - TV-Videos,etc

Visitantes no Blog

Aniversarios Blog



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos