Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Queridos - Todos!

Domingo, 18.04.10

.

Queridos - Todos!
pudesse eu ficar aqui à conversa com todos vós que , feliz o faria.
Porém já tanto me atrasei que resolvi contar para todos uma pequena história, reminiscência da minha infância, que, se bem que a sua lembrança me comova, por certo, vos fará sorrir a todos, como ainda agora acontece comigo, e, explicará a situação.
Vale a pena, até porque, é como uma mostra comparativa dos tempos passados e presentes.
Minhas queridas e velhas tias, eram, como então se dizia senhoras prendadas e de bons princípios.
Eram referenciadas pela sua generosidade e educação e, uma delas, até, por sua beleza e elegância.
Ora, quando recentemente, uma das minhas pequenas e lindas sobrinhas bisnetas, piedosamente me mimou dizendo que devia ser "bué de chato" eu estar adoentada, de cama com febre, pensei divertida que minhas tias, qualquer delas, em idênticas circunstâncias, confessaria contrita:
Sabe! - Uma das pequenas festejou o seu aniversário e eu devo ter-me excedido nos doces ou fiz qualquer misturada que me originou um tremendo embaraço gástrico com todas as naturais consequências. Nesta altura do discurso já deveria ter o rosto afogueado e, pudicamente olharia qualquer prega do vestido ou do tapete do chão para disfarçar o rubor.
Realmente, os tempos mudaram; a tal ponto, que eu que tenho agora a idade que elas então teriam, quase me apetecia confessar que se é "bué de chato ser cota" , calcule-se como tudo se agrava quando se tem que conviver com o tal "embaraço gástrico"!

Estou e serei sempre grata pela fidelidade com que os meus Amigos e Família do blog vêm a esta casa que lhes pertence.
Sigo com a maior atenção tudo quanto me contam.
Alegro-me e sofro convosco e, quando o tempo para mais não dá, faço o de sempre - peço a Deus por todos nós
Um abraço grande e grato


Maria José Rijo

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria José Rijo às 12:09


12 comentários

De Aristeu a 18.04.2010 às 16:42

Olá tia.
Assim... está perdoada pela falta que nos tem feito
a sua ausencia...
Õbrigado por ter voltado e claro, especialmente
por estar melhor de saude.
Quando se está doente, nem vontade se tem para
nada. Muito menos para escrever.
Espero que esteja bem melhor.
E Hoje que apareceu quero contar-lhe que não vou
ter apenas uma filha mas parece que duas.
estamos muito contentes.
Duas meninas, e só lhe digo isto agora porque a Mag
não queria ir ao medico e só la tinha ido bem no
comecinho de tudo.
Foi esta semana e lá está a garnde noticia.
Grande mesmo.
Estamos todos duplamente Felizes.
Espero que goste da noticia.
Ah o Gilinho já comprou 2 poneis - um para cada uma.
A tia já viu isto?
Já está dito que uma vai chamar-se Maria José - será
pois a primogénita, a segunda ainda não te,m nome.
O meu Pai diz - Cremilde.
O Gilinho - Vanessa de Fátima
O Sinfrónio - Sinfrónia Maria
A Cecilia (a mulher do Sinfrónio) - Safira de Jesus
A Mag está cansada de rir com os nomes eu ainda
não pensei a sério
Mas e a Tia - que palpite nos dá para o nome?
Uma empregada cá de casa a Gracinha - diz para
lhe chamarmos de Segunda (por ser a 2ª filha)
o Gilinho a rir diz Segunda-feira ...
Ora já viu isto???

Cá esperamos o seu palpite com curiosidade.
Sua familia do brasil

Aristeu

De Maria José a 22.04.2010 às 22:11

Meus Queridos - parabens é o que me ocorre dizer primeiro frente a notícia tão feliz, depois...depois já que me convidam para a "confusão", cá vai mais uma achega:
Se insistem em chamar a uma das princesas Maria José, por uma questão de equilibrio estético a outra talvez devesse ter um nome com o mesmo número de letras e, de preferência com a mesma letra inicial.
Assim sendo, Maria João seria uma escolha possível , até porque também invoca um santo muito popular.
Se nada disso contar, já que uma vai carregar o nome de uma "avó"virtual, porque não a outra ter o nome da avó Tininha?
Um poeta, não sei qual, escreveu certa vez:
Teu nome - mais feio ou mais bonito - isso que importa!
O nome é sempre uma fachada morta , cheia de sombras medos e recantos...
Gosta-se dos nomes porque se gosta das pessoas.
Mesmo os mais bizarros acabam por caír no hábito.
Conheci umas gémeas, lindas que se chamavam Rosa e Rita e quando discutiam a Rosa dizia à Rita :
Há cor de Rosa - não há cor de Rita - estás a perder!.
Deixo-vos com um grande abraço e a minha alegria pela nova feliz que compartilharam comigo.
Estou a tentar pôr o " correio " em dia; porém lembro-me cada vez mais de meu Pai, quando nos seus últimos tempos se queixava : eu quero, mas... já nem sempre chego a tudo.
Um beijo especial para a Mag da tia Zé
Gosto muito de todos vós - saudades - maria José

De Gustavo Frederich a 18.04.2010 às 16:59

Minha Tiazinha
Lamento tanto que tenha estado doente.
Já tinhamos sentido a sua falta. O blog sem si não é a
mesma coisa. Acredite.
.
Horizonte

O mar anterior a nós, teus medos
Tinham coral e praias e arvoredos.
Desvendadas a noite e a cerração,
As tormentas passadas e o mistério,
Abria em flor o Longe, e o Sul sidério
'Splendia sobre sobre as naus da iniciação.

Linha severa da longínqua costa ---
Quando a nau se aproxima ergue-se a encosta
Em árvores onde o Longe nada tinha;
Mais perto, abre-se a terra em sons e cores:
E, no desembarcar, há aves, flores,
Onde era só, de longe a abstracta linha.

O sonho é ver as formas invisíveis
Da distância imprecisa, e, com sensíveis
Movimentos da esp'rança e da vontade,
Buscar na linha fria do horizonte
A árvore, a praia, a flor, a ave, a fonte ---
Os beijos merecidos da Verdade.

Fernando Pessoa
..

Princesa Desalento
Florbela Espanca
Minh'alma é a Princesa Desalento,
Como um Poeta lhe chamou, um dia.
É magoada, e pálida, e sombria,
Como soluços trágicos do vento!

É fágil como o sonho dum momento;
Soturna como preces de agonia,
Vive do riso duma boca fria:
Minh'alma é a Princesa Desalento...

Altas horas da noite ela vagueia...
E ao luar suavíssimo, que anseia,
Põe-se a falar de tanta coisa morta!

O luar ouve minh'alma, ajoelhado,
E vai traçar, fantástico e gelado,
A sombra duma cruz à tua porta...

Princesa Desalento
Florbela Espanca
Minh'alma é a Princesa Desalento,
Como um Poeta lhe chamou, um dia.
É magoada, e pálida, e sombria,
Como soluços trágicos do vento!

É fágil como o sonho dum momento;
Soturna como preces de agonia,
Vive do riso duma boca fria:
Minh'alma é a Princesa Desalento...

Altas horas da noite ela vagueia...
E ao luar suavíssimo, que anseia,
Põe-se a falar de tanta coisa morta!

O luar ouve minh'alma, ajoelhado,
E vai traçar, fantástico e gelado,
A sombra duma cruz à tua porta...
.
Princesa Desalento
Florbela Espanca
.
Minh'alma é a Princesa Desalento,
Como um Poeta lhe chamou, um dia.
É magoada, e pálida, e sombria,
Como soluços trágicos do vento!

É fágil como o sonho dum momento;
Soturna como preces de agonia,
Vive do riso duma boca fria:
Minh'alma é a Princesa Desalento...

Altas horas da noite ela vagueia...
E ao luar suavíssimo, que anseia,
Põe-se a falar de tanta coisa morta!

O luar ouve minh'alma, ajoelhado,
E vai traçar, fantástico e gelado,
A sombra duma cruz à tua porta...

.
Minh'alma é a Princesa Desalento,
Como um Poeta lhe chamou, um dia.
É magoada, e pálida, e sombria,
Como soluços trágicos do vento!

É fágil como o sonho dum momento;
Soturna como preces de agonia,
Vive do riso duma boca fria:
Minh'alma é a Princesa Desalento...

Altas horas da noite ela vagueia...
E ao luar suavíssimo, que anseia,
Põe-se a falar de tanta coisa morta!

O luar ouve minh'alma, ajoelhado,
E vai traçar, fantástico e gelado,
A sombra duma cruz à tua porta...

Florbela Espanca
...

Muitos beijinhos minha Tia
e as suas melhoras
Sabe - ainda não lhe disse - mas vivo na Holanda.
Agora já não tenho aminha saudosa floresta negra
mas tenho uma imensa plantação de Tulipas vermelhas.
Eu sei que a tia iria adorar ver este mar de flores.
Por vezes dou por mim a "nadar" entre elas e a
sonhar.
É bom sonhar, sou um sonhador compulsivo - que
anda perdido neste, naquele e ainda no outro sonho.
Sofrendo aqui, rindo ali, mas a solidão interior que
me acompanha é imensa - tão imensa que abarca
este campo de tulipas.
Mas dou por mim pasmado a olha-las...

Tia muitos beijinhos e por favor cuide-se.
Mime-se se faz favor.
Do seu sobrinho

Gus

De Maria José a 22.04.2010 às 22:42

Meu Querido - estava quase com vontade de lhe ralhar. Então muda-se assim de país como quem muda as folhas do calendário?
Suponha que eu o tinha ido visitar? - perdia a viagem.
Rumava a Itália e já se me esgueirara para a Holanda. Emfim! se Deus lhe deu asas e inquietação para as usar, vá continuando a voar até descobrir ou - acreditar - que um dia, olhará para as suas lembranças, que afinal. são a sua vida,sentindo a paz e o encanto que colhe agora das tulipas em flor.
Creia que guardo comigo , como se guarda uma flor seca entre as páginas dum missal , uma certa nostalgia, por não saber encontrar as palavras
que lhe contassem como o julgo entender.
Sabe que gosto de si. talvez não saiba quanto.
um abraço - tia Zé

De Xavier Martins a 20.04.2010 às 00:30

Espero que a Senhora já esteja restablecida.
Realmente estar doente e sentir-se mal e ainda
com um tempo mau de tanta chuva - não é petisco
para ninguém - se me permite a expressão.

Mas agora espero, realmente, que já esteja a
sentir-se bem melhor.
O mau estar é muito penoso de carregar.
Obrigado por ter regressado.

Bem haja por ter este belissimo blog que faz a
nossa alegria.
Um grande abraço.

Com amizade e estima
Xavier Martins

De maria josé a 23.04.2010 às 12:32

meu Amigo
Não me canso de repetir quanto a companhia dos meus amigos me ajuda nesta etapa da minha jornada.
Deus sabe como converso convosco de coração para coração e de quanto gostaria poder trocar este convívio virtual por presenças reais, que, mesmo em silencio já são um bem inestimável. Não quer isto dizer que deixe de dar graças a Deus pelo que de bom este meio representa.
Assim que aqui fica para sua mulher e para si o abraço amigo, que lhes devo , pela amiga companhia.
Maria José

De KIKO a 20.04.2010 às 00:34

Gostei imenso do que escreveu
apesar de ter sido pelo motivo de estar adoentada.
Espero e desejo que esteja BEM MELHOR minha
tiazinha.

Tia quando é que nos dá uma das suas poesias?
Gosto tanto delas.
Sabe que as tenho todas guardadas em formato
de papel para as poder ler todas as vezes que
me apetecer e até mostrar aos meus amigos.
A Soraia - minha colega da escola - fez um trabalho
com uma das suas poesias - trabalho de português
e tirou 15 valores, estava muito contente.

Muitos beijinhos minha tia
as suas melhoras.

KIKO

De Maria José a 23.04.2010 às 12:47

Kiko, meu querido
Se há presenças na minha vida que me adoçam o coração, a sua, é, por certo, uma delas.
Todos nós, penso eu, temos dúvidas existênciais. Todos, algumas vezes, muitas vezes - talvez - julgo, nos perguntamos se isto, ou aquilo, terá valido a pena, se terá sido certa ou errada esta ou aquela escolha. Na minha idade, então, há uma certa tendência para se fazer algum balanço do que se fez ou deixou de fazer mas, quando nos surge um jovém, que pára para acompanhar o nosso passo porque acha que lhe vale a pena a companhia, qualquer coisa nos aquece o coração e nos garante que errando, embora, se procurou acertar no caminho.
Então, pensamos que valeu a pena.
Obrigada pela sua doce companhia - um beijo - tia Zé

De DOLORES a 22.04.2010 às 01:48

Minha querida tia
Finalmente estamos de volta.
A operação do Avelino correu belissimamente bem.
Tanto que já fomos a Lurdes agradecer o bem
estar dele e nosso. Rezamos por si, obviamente.

Sabe que eu abomino ter de carregar esta peça de
metal dentro de mim, mas o Avelino queria ter duas,
uma de cada lado para o ajudar ainda mais.
Imagine as coisas que este homem fala.

AH - ganhamos um novo premio com um tango.
Aqui num concurso numa cidadezinha pequena.
Estamos contentes .
Este fim de semana vamos dar uma mini festa aqui
no nosso mini jardim.
Já Tenho pronto o hercolanozinho está no ponto
para assar. Pois, o nosso leitão.
Na casa da Dolores sem leitão não há festas...

E a tiazinha está boinha?
Tem passado melhor?
O tempo nãop ajuda muito, não é?
Tia e a tia Brabara está boinha?
Dei-lhe lá muitas saudades e muitos beijinhos e
abraços bem apertados.
acho que as duas - a tia e sua mana - são muito
queridas.

Mil Beijinhos

DOLORES
Avelino e Magé

De Maria José a 23.04.2010 às 13:02

Meus queridos
Que contente fico por vos saber bem dispostos e bem adaptados aos "modernos apoios" que nos forneceram.
Alegra-me saber que continuam a poder dansar, viajar e tudo o mais que gostam de fazer.
São novos, alegres e pelo que contam "bons garfos" nos petiscos preferidos.
Que a festa seja um exito, que bem o merecem pela coragem com que enfrentam a vida.
Minha irmã agora está em Lisboa no seu "namoro" preferido - os bisnetos. Na verdade eles para alem dos caprichos e teimosias comuns a todas as crianças são de uma meiguice e ternura inenarráveis. Até a mais pequenina, como sabe que gosto de gatos, guarda quantos papeis encontre com gatos para me dar. São um encanto.
Muitos beijinhos em especial para a Magé e para vós da tia Zé

De Carlos a 22.04.2010 às 18:42

Maria José,como sempre sus palabra tan bellas e inteligentes.
Desde outro lado da raia.

Um beso.
Carlos

De Maria José a 24.04.2010 às 12:02

Carlos - beijo com beijo se paga
Neste belo dia de sol, aqui fica o meu muito obrigada
Maria josé

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2010

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930


comentários recentes

  • Anónimo

    Querida Tia Maria JoséQue alegria chegar mais um d...

  • Anónimo

    Minha querida e Boa amigaque alegria chegar aos 93...

  • Anónimo

    Minha querida tiaEu sabia que era hoje o dia do se...

  • Anónimo

    Titia queridaQue alugria nesse seu aniversário.Des...

  • Anónimo

    Minha querida Amiga93 anos - uma data muito import...


Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@






ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@


links

Um pouco de mim...

EFEMERIDES

Blogs- quem nos cita

Deambulo por

Culinaria

K I K A

Paginas de Diário

2010

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

2019

Cá estou ...

Mais alguns...

Alguns...

Alentejo

Eurico Gama

Artigos sobre...

Escola Musica / Coral

Elvas Cidade...

Escritores e...

A Familia

Sebastião da GAma

Minhas sobrinhas Bisnetas

Meus sobrinhos Netos

Meus sobrinhos

Diversos...

Páscoa

São Mateus

Cartas especiais

noticias em Jornais

Dia da Criança

Cartas do Brasil- 1996

AÇORES

Juromenha

Col. de Gastronomia

O Natal

Exp. MuseuTomaz Pires-1984

Exposição PERCURSO-2008

HistóriasCmezinhasEreceitas

Revista Sénior

JOSÉ RIJO

Hospital e Maternidade

Livro de Reminiscências

Livros- de HistóriasInfantis

  • A história da Cotovia
  • A história de uma Flor
  • A historia do Castelo
  • AlendaMisterioso vale florido
  • O sonho da Joca
  • A menina de Trapo
  • A avó conta 1 historia
  • Conto - Margarida - 1
  • Conto-Margaridavaicontente
  • ... então sonhei!
  • O Cavalinho encantado
  • A princesa Jasmim
  • Aurinha está doente
  • Arnaldo o terrivel
  • A Cabrinha
  • Era uma vez ...
  • O pequeno castanheiro

Dias festivos

Programa de Poesia (radio)

Crónicas na Revista

Livro de Poemas - I

Livro de Poemas - II

Livro de Poemas - III

Livro de Poemas - IV

Aniversários Linhas

Livro Rezas e Benzeduras

Livro das Flores

LivroJoaoCarpinteiro

A Visita - Despertador

Programas se SãoMateus

Entrevistas

Entrevista - TV-Videos,etc

Visitantes no Blog

Aniversarios Blog



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos